AdSenseV

domingo, 1 de dezembro de 2019

Hayek x Keynes - "A batalha do século"

Após as últimas postagens complexas e um tanto "azedas" sobre a reforma da previdência, vamos falar agora sobre algo bem mais legal relacionado a economia: 2 raps.

Já faz um bom tempo que esses vídeos foram postados, mas caso não conheça e mesmo que você não curta o assunto vale a pena ver nem que seja somente o primeiro. Foi genial o que esses caras fizeram. Resumiram 2 das escolas de economia mais importantes explicando o seu antagonismo de forma muito inteligente.


Mas quem foram Hayek e Keynes?

Friedrich August von Hayek: economista e filósofo austríaco depois naturalizado britânico. Pupilo de Mises, da Escola Austríaca de Economia. Sua teoria sobre os ciclos econômicos recebeu um Nobel em 1974.

John Maynard Keynes: economista britânico que pregou ideias que influenciaram bastante os modelos macroeconômicos, incentivando uma maior intervenção dos governos na economia.


Round 1: Fear the boom and bust (Tema a expansão e recessão)
Como é bem resumido no video: "Keynes quer dirigir o mercados, Hayek quer libertá-los". Vemos como Keynes é praticamente um superstar já que fala tudo o que as pessoas querem ouvir.

O povão não se incomoda, na verdade adora ver o governo oferecendo dinheiro, e claro que nunca se chateia com essa ideia de gastar cada vez mais sem pensar em poupar...

Como bem dizia Keynes, para que pensar no futuro se "no longo prazo estaremos mortos"... Não precisa pensar muito para ver como isso vai contra tudo o que a blogosfera de finanças recomenda.

Já Hayek é desconhecido, impopular. Tenta trazer as pessoas à realidade com foco no longo prazo. Mostra que estímulo governamental é como beber mais no dia seguinte para tentar curar uma ressaca. Explica que não há como se ter prosperidade sem poupança e investimento


Round 2
No segundo rap temos uma luta de boxe e um julgamento que começam focados na temática da recessão após a crise do subprime. Logo na entrada a gente vê como o pobre do Hayek continua desconsiderado... acaba sendo barrado na entrada, enquanto Keynes entra mesmo com o detector de metais apitando...

Keynes continua insistindo que devemos manter o gasto fluindo... Hayek resume mais uma vez que sabemos muito pouco do que realmente ocorre para tentar interferir e que o "longo prazo" chegou...

O final é emblemático. No boxe, mesmo nocauteado, o juiz concede a vitória para Keynes. No julgamento, a maioria aplaude Keynes, mas é interessante ver que alguns começam a dar voz a Hayek...

Na verdade nunca houve um debate entre eles. As ideias de Keynes ditavam aquela época em momentos que governos interviam bastante na economia. O valor de Hayek só foi reconhecido muitos anos depois, durante a crise dos anos 70.


E o que a Escola Batalha de Economia prega?

Vemos nos vídeos como fica claro que é muito mais cômodo ser keynesiano e isso explica muito da popularidade de suas ideias. Ninguém precisa fazer conta, basta só aceitar um dinheiro que o governo está injetando para consumo e/ou investimento.

Mas com o seu entendimento de como o mundo real funciona, a Escola Batalha de Economia defende que o ideal seria algo na proporção de 80% Hayek e 20% Keynes. O que faz um país crescer é o trabalho, pessoas empreendendo e gerando empregos, o mercado em sua maior parte se auto regula.

Há áreas como assistência social, justiça e combate a monopólios que precisam sim de governos minimamente sérios e eficientes atuando, e é ai que mora o grande problema: ineficiência e corrupção são muito comuns em vários países...

No final não seria um estado mínimo, mas sim um estado otimizado e eficiente, colocando o nariz somente aonde deve, sabendo os momentos onde precisa intervir e ciente que na maior parte das vezes a sua ação deve ser mínima.

Por exemplo, o pós-guerra na década de 40 precisava de um empurrão a mais, talvez a crise do subprime de 2008 tivesse sido ainda pior sem a atuação do governo, por mais que ainda assim eu questione a forma como tudo foi feito, com alguns bancos grandes saindo ainda maiores da crise.

Mas nunca há uma solução perfeita. Assim é o mundo...

2 comentários:

  1. Fala Zé Batalha,

    Salvei os videos para ver depois. E legal sua conclusão. Sigo essa linha também.

    Enfim, dá para resumir a conclusão com uma palavra: equilíbrio.

    Abraço!

    ResponderExcluir