AdSenseV

sábado, 22 de junho de 2024

Não dá mais! Uma a menos na CZB Ações: Fechamento de Capital (OPA) da Cielo

Depois de anos de boatos, finalmente a OPA da Cielo saiu.

Já dava pra sentir fazia um tempo que eles não queriam acionistas minoritários. Se não querem os pobretas investindo, quem somos nós pra insistir no papel. 

Se você não é bem vindo num local, o ideal é cair fora. Esse é o básico da vida. Da mesma forma aqui. Mandei a ordem de venda no preço da OPA e tchau.

PNC do minoritário
Cielo mandou esse recado pra gente, minoritários

A história da OPA começou com R$5,35 e no final ficou em R$5,60 por ação. Parte do grupo de minoritários questionou o método de avaliação da CIEL3, pedindo R$ 8,61, mas depois mudou de posição e apoiou a OPA a R$ 5,60. “A decisão não tem pé nem cabeça e que não defende os interesses dos investidores deles”, diz Hugo Queiroz, sócio da L4 Capital.

Vendi logo em abril para me livrar disso por R$5,58. Com meu PM de R$6,99 + proventos acumulados, saí com uma perda acumulada de cerca de 4%.

COMO ENTREI NESSA DE CIELO

Comecei a investir em Cielo numa época em que ela era uma das queridinhas da bolsa. O primeiro aporte foi num preço ajustado de R$26,16 em julho de 2014. 

Em 2018 começaram a surgir muitas notícias ruins, tanto que Cielo foi a pior ação da CZB neste ano, fechando em -59%. Ainda assim eu botava muita fé na empresa nessa época.

Nessas horas reflito como analisar empresas é complexo. Naquele momento eu via todas essas notícias ruins como um ruído, já que os fundamentos dela se mantinham. E na verdade, era só o começo da queda...

Comecei a reduzir a meta de alocação a partir de 2019 (em 2017 chegou no máximo de 8% na CZB-Ações) pois já via as margens de lucro se reduzindo e no seu guidance o lucro anual caindo de 3,5 para 2,3 bilhões de reais. Relembrei disso revendo o post das decisões que tomei há 5 anos atrás

Por fim, ela chegou a valer apenas R$2 em 2021-2022, momento em que fiz vários aportes pois ainda botava uma certa "fé calculada", conforme explicarei no post.

POR QUE CONTINUEI NESSA? 

Em um post de dezembro de 2021, comentei porque ainda continuava em Cielo. Acreditei que poderia voltar a lucrar mais, que poderia melhorar e se reinventar, mas sempre com a clareza que nunca chegaria aos 4 bilhões/ano de outrora. Mesmo não sendo tão pujante como antes, ainda é uma empresa que dá lucro, bem gerida e que foi líder de mercado até 2023.

Na pandemia, mesmo com a economia ruindo, ela teve uma chance enorme de decolar, mas veio o Pix e com ele o BACEN suspendendo a plataforma de pagamentos via whatsapp da Cielo, o que melou todos os seus planos, conforme tratei nesse post

INCERTEZAS SOBRE O FUTURO DA EMPRESA

O PIX é uma revolução e foi muito positivo para o país, mas acabou se tornando uma das maiores ameaças para empresas do segmento da Cielo. Com o futuro Pix parcelado (se for sem taxas), quem vai querer usar cartão de crédito com suas taxas embutidas? O único motivo que vejo para seguir no cartão de crédito seria a pontuação de milhas e outros benefícios oferecidos, se estes conseguirem superar as vantagens do pix parcelado.

Então, eu tinha essas incertezas sobre o futuro da empresa. Agora não preciso mais pensar nisso. Uma a menos para eu esquentar a cabeça na CZB.

Já era, Cielo

E com a grana da venda, priorizei os aportes nas top picks da CZB e que estavam indicando compra pela distância da meta de alocação: mais em EGIE3, EZTC3 e menos em VALE3 e GRND3. Como já falei em posts anteriores, vou priorizar quem brilha muito.

Foco nos aportes, sempre