AdSenseV

sábado, 1 de outubro de 2022

Política - Desabafos e lições aprendidas III - Mensagem Final - Os perigos do fanatismo e o que realmente importa

Finalmente após a parte 1 e parte 2 termino essa série. Bom acabar logo mesmo e voltar pro foco principal do blog, pois esse assunto já deu... rs

Depois desse último desabafo, é nessa paz que vou viver

Sim, há muitas pessoas que se desenganaram com a política e eu sou uma delas. Sim, também sei que isso não resolve nada. Mas não podemos fugir de quem somos.

Minha maior dificuldade de falar sobre política hoje é ver como muitos acham que tudo isso é uma guerra do bem contra o mal, ao escolher um lado demoniza o outro.

Entristece ver o quanto de gente tem se desentendido ou deixado de falar com pai, mãe, amigo, parente, etc. só porque essa pessoa vota no político que ele tanto odeia. E esses políticos estão lá em cima se lixando pra gente.

É muito difícil entender como tantas pessoas celebram a vitória de um político como se tivessem ganhado na loteria (mesmo sem nenhum benefício direto) ou chegam a entrar em desespero (mesmo sem ter perdido nada).

Beira a insanidade depositar toda a fé, sonhos e esperança numa pessoa quando o que efetivamente muda a vida, caso se tenha o mínimo para sobreviver e batalhar, são as suas atitudes.

NÃO ARRANJE TRETA POR CAUSA DE POLÍTICA

Não é porque seu parente ou amigo vai votar diferente que você não deve mais gostar dele. O caráter de alguém não depende disso. Não é por isso que ele agora é uma má pessoa. Não o julgue por isso, ou pelo menos tente.

Muitos que me conhecem devem estranhar eu dizer isso pois saí de vários grupos de whatsapp (quase que um crime hoje em dia para muitos!) e evito algumas pessoas, mas digo de coração que não foi por pensarem diferente de mim. Foi simplesmente porque penso, como já falei no post anterior, que o problema pra mim não é você ser de esquerda ou direita, o problema é você ser chato. 

Há muitas pessoas cheias de convicção que parecem ter uma grande necessidade de fazer os outros pensarem igual a elas e de mostrar que estão sempre com a razão. Seja o político que vai tornar "o país e o mundo melhor"; o seu time que é o melhor; a sua religião que é a única a te levar ao céu. 

Já eu posso até discordar de você, mas nunca vou te perturbar ou questionar suas crenças por serem diferentes das minhas.

Há também aquela turma que não tem outro assunto, ainda mais em tempos de eleição. Gosto muito de conversar sobre futebol, mas se vejo que alguém não gosta de futebol eu não fico insistindo pra ela falar disso comigo. 

Aí nesses casos realmente não vale a conversa, filho, como diria um mestre da região onde moro. Eu passo longe.

O problema é que hoje, qualquer mínimo elogio a um candidato já faz muitas pessoas te julgarem achando que você é partidário dele. Ou também: qualquer crítica feita a um faz as pessoas te julgarem como apoiador do adversário. É como se houvesse uma linha obrigatória separando a vida e te obrigando a escolher um deles. 

A verdade é que ninguém é tão ruim que nunca tenha feito pelo menos algo de bom na vida, nem é tão perfeito que nunca tenha errado. Isso vale para pessoas e óbvio, para políticos também.

Acho que a pessoa pode sim defender seu candidato, mas quando não é capaz de encontrar nenhum ponto negativo, dizer que tudo contra ele é perseguição, aí a gente entra no perigoso terreno do fanatismo, e pra mim aí realmente NUNCA vale a conversa.

Que tal uma reflexão pra encerrar esse tópico: Será que todos esses milhões de pessoas que votam no candidato que você abomina são tão horríveis assim apenas por você discordar nesse ponto delas?

O QUE REALMENTE IMPORTA, NO QUE ACREDITO 

Não querendo ser melhor que ninguém, mas acho que o fato de eu não ter muito dessa sensação de pertencimento me ajuda ver as coisas de forma mais clara, ao passar longe de quem só escuta o que um lado tem a falar.

Não é que eu seja descrente de tudo, mas só consigo sentir mais essa coisa de pertencer e se engajar em algo quando se trata de grupos menores: a equipe em que trabalho, o time que estou jogando no meu futebol, etc.

Pois aí entra o conceito da contribuição realmente efetiva de 1 jogador num time de 5 no futsal, de 1 colaborador numa equipe de 10 no meu trabalho. Aí eu certamente vou procurar dar o meu melhor para atingir o objetivo.

Também acredito muito em colaborações diretas a quem precisa: doações para moradores de rua, gente faminta, entre outros. Ali você está atuando diretamente no problema sem passar por tantos atravessadores.

ACREDITO MUITO NA PERSEVERANÇA 

O Batalha Pai não teve muita oportunidade de instrução: só completou o ensino fundamental. Com isso, resolveu empreender: uma borracharia. A Batalha Mãe completou seus estudos mas não trabalhou mais fora depois que nasci pra cuidar de mim e ser dona-de-casa.

Nunca foram ricos (nem faziam questão de ser). Criaram o Zé Batalha, que estudou em escola pública. Só a faculdade foi particular e meus pais puderam pagar. Hoje sou concursado, trabalho numa empresa pública e graças a Deus, além da Sra Batalha e da Batalhinha filha, consigo dar uma ajuda financeira a meus pais.

Tanto meus pais como boa parte das pessoas dessa geração que conheço, passaram por dificuldades imensamente maiores do que eu e a grande maioria das pessoas da minha idade que está lendo isso aqui. E eles venceram.

Pegaram situações políticas e econômicas muito mais complicadas do que a gente. Pergunta pra eles se ficaram chorando, revoltados ou quiseram fechar a borracharia e desistir de tudo porque o candidato que eles votaram (quando puderam votar é claro) não venceu.

Não. Eles seguiram em frente.

Daqui pro fim da nossa vida teremos governos de direta, esquerda, de tudo que é "lado". A maioria vai decidir e vamos ter que aceitar, gostando ou não. Simples assim.

CONCLUSÃO: NÃO LEVE A POLÍTICA TÃO A SÉRIO

Como ouvi certa vez: "A política é um fenômeno de cima pra baixo. Não existe essa de 'vem pra rua', 'vamos nos unir', etc. ELES que têm a caneta na mão"

A perpetuação no poder é o único objetivo. Pode haver uma decisão tomada por eles que nos beneficie, mas não fizeram isso porque se preocupam com o povo, mas sim porque são incrivelmente hábeis para entender as regras do jogo e saber o que estrategicamente é vantajoso pra eles.

Os incentivos são inúmeros no Brasil para continuar nos cargos: dinheiro e poder, fora a roubalheira. E por isso muitas vezes são os piores que costumam chegar mais longe.

Mais uma vez: é tudo sobre escolhas. Sou muito feliz pelo nosso direito de votar, mas penso que não deveria ser um dever, ainda mais quando vejo as péssimas opções que costumamos ter na urna. Não prego que você deva se desiludir com a política como eu. Apenas que entenda que suas atitudes farão muito mais diferença no longo prazo.

E por fim, essa foi a minha escolha: acreditar naquilo que me propicie um maior alcance de efetivamente mudar algo.

Desabafo feito. E com isso concluo minhas reflexões e não pretendo nunca mais falar de política aqui. 

Agora sim, Zé Batalha volta a sorrir... rs



sábado, 3 de setembro de 2022

Política - Desabafos e lições aprendidas II - 7 dicas para passar tranquilo e evitar tretas nessas eleições

Está e a segunda parte das reflexões que registrei durante esses anos tentando entender a política, conforme tratado no post anterior. Acabei aprendendo mais sobre o comportamento das pessoas que tende a se repetir, só mudando o time.

O que ainda me impressiona no que falo a seguir é o quão óbvio muitos desses itens são, mas como tantas pessoas não se dão conta disso.

1) NÃO LEVEM PRO PESSOAL QUANDO FALAREM MAL DO SEU CANDIDATO

Certas pessoas abraçam de tal forma seus candidatos que até mesmo uma pequena crítica a ele chega a ser encarada como uma ofensa pessoal! Aí o cara vai querer te provar, te contestar e justificar as ações dele com todas suas forças.

Para começar, seu candidato não sabe nem que você existe. E pior: há grandes chances que daqui há alguns anos ele esteja apertando a mão do adversário atual que você (e ele supostamente) tanto despreza. Os exemplos são inúmeros.

2) CONVENCER ALGUÉM A VOTAR IGUAL A TI NÃO VAI MUDAR O RESULTADO

Vamos dizer que você acabe sendo convencido pelo colega que diz que seu candidato X é o que o país precisa. O resultado da eleição não muda por ele ter conquistado apenas seu voto. Mas aparentemente para essa pessoa deve surgir uma satisfação incrível por ter ajudado o colega a "votar certo"...

Reflita sobre o quão pouco convencer alguém a votar no seu candidato muda matematicamente o resultado de uma eleição. A não ser que você seja um influencer que consiga mudar a mente de milhares de pessoas, o que não deve ser o seu caso, nem muito menos o meu com o alcance mínimo que tenho nas publicações. A sua postagem com um punhado de curtidas igual a minha não muda o país em nada, campeão. Talvez sirva só pra se sentir melhor mesmo.

Quando você vir pessoas tão ávidas de te convencer a votar em alguém, acredite: menos de 5% terão um beneficio imediato e os outros 95% (pasmem) acham que terão.

Penso que somos extremamente mais úteis para nós mesmos e para o nosso país ao tentar ser uma pessoa melhor, um profissional melhor, trabalhando e se capacitando (#PERSEVERANÇA), do que usando esse tempo para convencer alguém de algo sobre política.

3) OS "TENDENCIOSOS" E A LAMENTAÇÃO PELO QUE FAZEM COM O SEU CANDIDATO, UM "HERÓI PERSEGUIDO" 

O fanático sempre que vê qualquer coisa que questione seu candidato X ou elogie nem que seja um pouco o adversário Y irá considerar isso como tendencioso. Para ele, é tudo uma maligna conspiração para derrubar o cara que vai "salvar a nação".

A história mostra que pesquisas de voto não são 100% confiáveis mas ainda assim tem mais credibilidade do que a opinião de uma pessoa que só conversa com aqueles que concordam com ele. 

É ÓBVIO que se você está cercado de pessoas que só valorizam quem elogia o político X, essa situação te passará uma ideia que praticamente ninguém mais está pensando em votar em Y. Em resumo, a boa e velha análise de umbigo. Na rua do Cabo Daciolo eu tenho certeza que ele venceria no primeiro turno!

Ao mesmo tempo é ÓBVIO que o resultado da pesquisa eleitoral pessoal desta pessoa será bem diferente, como forma de demonstrar sua convicção e achando que isso conta em algo, ele até aposta em uma vitória no primeiro turno e vai jurar que houve fraude se seu candidato for derrotado.

É certo que na imprensa temos muitos veículos que até se auto declaram defensores de um lado, mas vejo muitos jornalistas que hoje são citados como eternos apoiadores de X que há poucos anos atrás estavam sendo massacrados pelos mesmos eleitores deste, sendo acusados de perseguição, da mesma forma como hoje os do adversário Y se revoltam.

Taleb em seus livros fala algo que chama de "empirismo ingênuo": "temos uma tendência natural a procurar por instâncias que confirmam nossa história e ideias". E hoje podemos encontrar na internet confirmação para praticamente qualquer coisa no mundo.

Zé Batalha recomenda: leia Taleb

4) O VOTO DE UMA PESSOA NÃO TORNA ELA INTELIGENTE SE FOR IGUAL AO SEU NEM MAIS BURRA SE FOR DIFERENTE

Pessoas pensam de forma diferente em relação a política, futebol, música, religião e tantas outras coisas. Assim é o mundo.

Mas o que me irrita mais é quando escuto coisas do tipo: "Poxa, você é tão inteligente mas vota em X". "Agora sei que você não tem 'inteligência política'". E o mais louco e contraditório é que no minuto seguinte essas mesmas pessoas estão defendendo a liberdade de expressão, mas se você não concordar com elas pode ser até desrespeitado ou ofendido.

5) A ADMIRAÇÃO POR ALGUÉM NÃO OBRIGA VOCÊ A VOTAR E PENSAR TOTALMENTE IGUAL A ELE

Normal a pessoa ter alguém que admire, seja no seu círculo pessoal ou alguém da mídia. Mas há quem diga simplesmente "Meu amigo Fulano (alguém legal e bem sucedido) é uma pessoa espetacular. Se ele vota em X, não pode estar errado. Como alguém poderia votar diferente?". Estou falando sério: já escutei isso. Essa é daquelas que não vale mais nem o resto da conversa.

Isso é terceirização de decisões, ou talvez chegue a ser até uma idolatria. Que tal ter sua própria opinião, pensar com seu cérebro e tecer sua própria ideia? Tudo bem que possa ser embasada em alguém que respeite ou admire, mas ninguém precisa concordar TOTALMENTE com essa pessoa, na verdade com ninguém. Tudo bem acreditar nas ideias de um partido/político mas não é por isso que você precisa defender TUDO que ele preconiza.

idolatria sucks

6) A IDEIA DO "TUDO OU NADA" - A EUFORIA OU O DESESPERO NO RESULTADO DE UMA ELEIÇÃO. 

Já falei em outros posts que a convicção absoluta em algo pode ser muito perigoso e daí vem a reflexão desse tópico.

Se me pedissem, eu daria apenas um conselho sobre tudo que já escrevi: Nunca tome decisões DRÁSTICAS baseada no cenário que um político eleito planeja, seja um cenário que sirva para o seu bem, quanto para o seu mal.

Já vi gente celebrando vitória de presidente e pouco tempo depois ser demitido por conta de uma crise econômica causada principalmente por decisões tomadas pelo dito cujo.

Já vi gente desesperada com vitória de presidente e em pouco tempo ser muito beneficiado por decisões tomadas pelo dito cujo.

Já vi gente preferir contrair juros maiores em financiamento imobiliário (e olha o quanto isso aumenta o endividamento) por questões de ideologia. Ela era tão crítica dos bancos privados que queria fazer "a sua parte" financiando num banco público mesmo com taxas maiores...

Decisões de vida e de investimentos totalmente pautadas em questões ideológicas ou políticas não costumam dar muito certo. Me impressiona o que já escutei e reforço, até de pessoas inteligentes.

O que sempre ocorre em toda eleição para presidente: o eleitor de X afirmar: "Se ele vencer tudo nesse país vai melhorar. Caso ele perca, nós vamos perder tudo que conquistamos", aí o país vai se acabar, inclusive sendo motivo para se mudar para outro país, continente, planeta ou galáxia.

O óbvio: de 80% a 90% do que fez essas pessoas estarem onde estão hoje se devem a uma combinação diversa de fatores, sendo que principalmente as suas atitudes na vida, e não aos 20%-10% decorrentes do político que venceu a eleição. A não ser é claro que a pessoa dependa diretamente de empregos ou dinheiro desses caras.

Daí mando de graça aqui uma ideia de negócio incrível para ano de eleição presidencial: venda especializada de passagens só de ida para fora do país no domingo de resultado final da eleição, dedicado a aqueles que se desesperam quando o seu candidato perde.

7) SEU CANDIDATO VAI TE DECEPCIONAR UM DIA, NÃO SE ENVERGONHE DE QUEM VOTOU

Não querendo defender essa galera, mas é muito difícil conseguir seus objetivos na política sem sujar as mãos por conta da própria natureza do sistema.

Por melhor que seu candidato seja, ele vai te decepcionar em algum momento, é claro. Nem nossos entes mais queridos estão livres disso, quanto mais os políticos.

Taí o único voto que certamente não vai te decepcionar...

Ainda tem quem goste de apontar o dedo na sua cara perguntando se não tem vergonha de votar errado.  Eu nunca senti isso na vida por tudo que já expliquei aqui. 

Outros tem uma sensação boa de mesmo que seu candidato perca, ter feito a "coisa certa" na urna, como se isso fosse valer algo depois, usando a tradicional camisa: "Não olhe pra mim, eu votei em X" 

CONCLUSÃO

Bom, é isso. Mais uma reflexão/desabafo. Relembro que muito do que questiono aqui foram erros que eu também já cometi, não só o que percebo nos outros.

E por fim, eu sei que é muito lindo a democracia. Sou muito grato por viver num país em que todos os votos tem o mesmo valor, seja do rico ou do pobre.

Contudo eu ainda acho que tinha que ser apenas um direito e não um dever. Quem quer vai lá e vota. Concordo que isso também não é o fim do mundo, claro que irei votar mas principalmente pra não criar problemas pra mim. Se essa é a regra do jogo, vou seguindo.

E para encerrar, pra não dizer que só falo de tristeza e chatice na política, um dos raros momentos de grande alegria na politica brasileira, o mano Suplicy :D

sábado, 6 de agosto de 2022

CARTEIRA ZÉ BATALHA - Estava ruim antes mas agora bom demais pra ser verdade: +4,83% em julho e -5,19% no ano

Esse post seria pra falar das realocações da CZB e resultado no primeiro semestre, mas me atrasei e então percebi que o mês de julho foi muito melhor do que eu esperava. Como diria o poeta: "é melhor ser feliz do que ser triste", então vou me aproveitar disso pra divulgar meu resultado.

E enquanto escrevo isso e vejo a valorização já ocorrida na primeira semana de agosto, penso que está bom até demais pra ser verdade... 

Como todo bom peão, Zé Batalha fica logo desconfiado quando vê as coisa melhorando...

Em tempos como esse, realmente é de se animar ver um mês de julho onde a grande maioria dos ativos da CZB-Ações e CZB-USA valorizaram.

Chega a ser até engraçado todo o pessimismo que escrevi no post anterior. Adoro ler esses meus posts onde escrevo o que acho que vai ocorrer... risos... mas o certo é que a história ainda está sendo escrita.

DESEMPENHO DA CZB

Como diria meu amigo gestor da Carteira Damaia: sola muita sola muita em junho, mas quem não levou? CZB rendeu -3,46% no mês de junho e -9,56% no ano de 2022 até então.

Percebi navegando pelos blogs dos outros batalhadores da finansfera que em junho a CZB caiu mais do que a maioria por conta da exposição em USA e criptos que muitos deles não tinham.

Aí chegou julho e tudo ficou mais bonito: +4,83% no mês e -5,19% no ano. Destaque do mês para a CZB-Ações com +7,09%, quase zerando as perdas dela no ano e batendo os +4,69% do IBOV. E aí a exposição em USA e cripto ajudou bastante, pois esta última valorizou 41%!

Me impressiona ver a CZB rendendo -5,19% no ano, menos ruim que muitos desses aí... risos 

BOLETIM MACROECONOMICO BATALHA - ATUALIZAÇÃO

Começando pelo Brasil, tudo indica que chegamos ao fim do ciclo de aperto monetário com o mais recente aumento da Selic para 13,75%. Tudo indica que teremos no máximo mais um aumento de 0,25%. Mas penso que ainda deve demorar bastante pra começar a baixar os juros.

BC britânico adota maior alta dos juros desde 1995, a inflação americana passou de 9% no ano em junho e no último anúncio, o vetera Powell aumentou em 0,75% a taxa de juros e sinalizou que a inflação parece estar chegando num teto... mas será mesmo?

O certo é que o FED (e creio que todos os bancos centrais) sempre tenta passar um tom mais otimista e confiante para não apavorar os mercados. Quando analisamos os índices de inflação americana vemos que ela parece ainda longe de ser controlada.

Uma coisa que ficou clara nos últimos anos é que esses modelos baseados na curva de Philips não conseguem prever nem de perto o que vem a acontecer. 34 de 35 analistas previram inflação de 4% ao ano nos USA ao contrário dos 9% que temos hoje. O modelo é falho pois não consideram o choque de oferta, a impressão desenfeada de dinheiro, etc. 

Não é tão diferente do meu modelo mental falcão que aposta que a Selic vai chegar a 15% ou do meu bet que o São Paulo vai vencer por 3x2 o América-MG. 

O que eu posso dizer é que eu não confio nessa estimativas e não perco meu tempo me aprofundando sobre isso e muito menos me baseando nelas para uma tomada de decisão.

Como tratei no último post sobre economia, quanto mais analiso o cenário macro mas eu acho que a bolsa americana deve cair ainda mais e daí vem a desconfiança do ZB quando vejo tantas altas. 

Boto mais fé no que o vetera Larry Summers falou aí. Não sou tão pessimista quanto ele, mas certamente não estou otimista como o FED. Ainda mais quando vejo o relatório de emprego que acabou de sair bem acima do esperado, o que indica uma chance de maior aumento dos juros na próxima reunião do FED.

E por sinal, recomendo esse excelente post sobre a inflação que vivenciamos hoje, um problema mundial, fato.

DECISÕES TOMADAS EM RELAÇÃO A CZB

A decisão que já havia tomado de aportar mais em RF acaba por ser uma forma de fazer mais caixa, mesmo não sendo a minha intenção principal. Caso role essas quedas que imagino, poderia me aproveitar dele. Caso não role, ele rende cerca de 1% ao mês. Pra mim tá bom.

Há sim um risco de insolvência no Brasil com os gastos atuais na tentativa de reeleição e os possíveis gastos em 2023 dependendo de quem vença as eleições, mas ainda acho bem pequeno, até porque a arrecadação tem aumentado, muito bom pras contas públicas.

O momento mais propício para entrar forte em USA seria quando o FED indicar mudança de postura no aperto monetário, mas como é difícil acertar o timing penso que seria melhor ir aportando com frequência nas quedas que vierem a surgir.

Mesmo que seja assim... risos...

E o que eu deveria aproveitar em RV? Aquelas empresas TOP que caíram demais tanto lá fora como aqui. No próximo post devo detalhar mais a ideia.

Tenho me animado a aumentar alocação em FIIs. Quem já entende um pouco disso sabe que não se deve ter muita expectativa no aumento da cotação deles (normalmente o contrário do que se espera das ações), não precisa se preocupar tanto se tiver escolhido um FII minimamente sólido, mas sim em aportar o máximo que puder para aumentar o recebimento de proventos.

O momento de aumentar a meta de RF para 40% (hoje em 35%) está próximo. E isso não vem muito do cenário mundial, mas sim da minha vida, da realidade. Com o avanço da família, minha idade e dos Batalha pais, torna importante se ter reservas líquidas maiores.

Comprar TD IPCA 2026 em breve fica cada dia mais interessante. 6% + IPCA ao ano garantidos até agosto de 2026 e caso precise vender antes pode ganhar ainda mais quando chegar a virada na curva de juros.

Como citado nesse artigo concordo que o TD-IPCA pode ser uma ótima opção, desde que não seja dos mais longos. Interessante notar que por mais que a taxa de juros esteja aumentando para controlar a inflação, o consumo pode aumentar por conta dos cortes de impostos e pacotes de auxílios, que devem estimular a demanda e com isso puxar a inflação pra cima. 

Ou seja, o BC puxa a corda para um lado tentando controlar a inflação e o governo puxa para o outro lado, injetando dinheiro e estimulando o consumo. Nada impressionante aqui, políticos fazem de tudo para se reeleger. Cada um defende o seu. Segue o jogo.

E AS CRIPTO?

Nos últimos bear markets de bitcoin (2013, 2015 e 2018), ele caiu 80%, parecido com o que vemos agora. Não acho que ele vai se acabar, mas podem sofrer ainda mais com o que vier a ocorrer nos USA. Assim como os BCs, as criptos que foram heroínas antes, são as vilãs do momento.

Esse artigo que o greenBerkie compartilhou mostra muito bem como foram esses bear markets que citei. Recomendo a leitura.

POR FIM, O FAMOSO LONGO PRAZO

São momentos como esse que não podemos esquecer dele. Não vender desesperadamente, não interromper o processo. O maior erro, a meu ver, é não estar exposto aos benefícios do longo prazo.