AdSenseV

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Análise - A Felicidade não se compra

Certa vez vi um comentário que Spielberg fez numa entrevista. Ele disse que toda vez que saía para fazer um novo filme assistia antes esses 4 filmes para buscar inspiração:
Baseado nisso, decidi que iria assistir esses filmes pra ver o que eles tinham de tão especial. Só falta 2, que são muito longos por sinal, característico da maioria dos filmes antigos. "A Felicidade não se compra" eu vi faz 2 anos, no TeleCine Cult. É um filme que passa bastante na época do natal e foi exatamente na véspera que eu assisti. Eis a sinopse:
"A Felicidade Não se Compra é um filme agradável ao máximo, estrelado pelo inesquecível James Stewart, como George Bailey, o homem que recebe o maior de todos os presentes de Natal. Com um fantástico elenco, incluindo Donna Reed e Lionel Barrymore, este conto natalino de altíssimo astral é dirigido pelo imortal Frank Capra e é considerado o favorito de todos os tempos por fãs e críticos"


É um filme que conta uma história tão simples, mas com uma profundidade tão grande, passando a sua mensagem de uma forma fácil de entender para qualquer pessoa, até quem não goste muito de ver filmes. E acho que é essa simplicidade que faz o filme ser tão especial. Pois, em resumo, apesar de poder ser considerado uma fábula, ele trata da vida de uma pessoa normal, mostrando suas decisões, os seus problemas, assim como todos nós temos. Mas mesmo com o filme começando de uma forma dramática, o mais legal é perceber a mensagem que o filme passa de como a vida pode ser tão simples de ser vivida, que nós é que muitas vezes complicamos.

Num mundo tão conturbado como o que temos hoje faz muito bem ver um filme que reforça a importancia da família, dos amigos, dos princípios, do caráter, da honestidade, entre tantas outras coisas que muitas vezes acabam ficando tão esquecidas. É o tipo do filme que faz você se sentir bem após assistir, te dá aquela alegria, esperança e otimismo em relação ao mundo, em relação às pessoas. Mostra de forma genial como as atitudes de uma pessoa, por mais simples que sejam, podem influir enormemente na vida de tantas outras pessoas, sem que elas sequer se conheçam. Eu ainda acho que boa parte dessas histórias de natal que vemos em vários outros filmes pegaram esse filme como base. Me parece ser um dos pioneiros nesse sentido.
É um filme totalmente o contrario daqueles filmes do Clint Eastwood, que são filmes muito bons, é claro. Mas parece que você leva é um soco no estômago ao ver o filme causando uma depressão imediata logo após assistir e você começa a achar que o mundo não tem mais jeito mesmo (Ex: Menina de Ouro, Entre Meninos e Lobos, Gran Torino, entre outros).


Não sou muito de comprar filmes, conto nos dedos os poucos que tenho e só compro quando um filme é muito bom e me marca muito mesmo. Esse foi um deles, que faço questão de ter em casa e emprestar aos amigos e familiares para que conheçam, até porque é um filme bem antigo e não muito conhecido (1946), e o fato de ser preto e branco acaba afastando algumas pessoas. Mas, como diz o meu colega de trabalho, o mestre Cadufe, é muito importante dar atenção aos clássicos :).


Sem economizar elogios, eu diria ainda que se um dia me perguntassem qual filme eu escolheria se tivesse que escolher apenas um filme pra assistir em toda minha vida, esse seria o filme com certeza. É um filme perfeito para se assistir no natal, com a família, e é o que pretendo fazer neste natal (deve ser a quarta vez que assisto). Recomendo e aproveito para desejar a todos os "milhões" de leitores do meu blog :D um Feliz Natal!
Nota: 10 (DEZ!)
IMDb

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Análise - "Trilogia" Predadores

Filmes de terror são os filmes que menos gosto. Cheguei a ver algumas classificações de Predador como sendo um filme de terror, mas discordo. Nunca gostei de filmes de monstros, zumbis e etc. mas tem algo nos filmes do predador que me prende a atenção.
"Você é um desgraçado muito feio"
Após assistir a Predadores há uns meses atrás, resolvi fazer uma sessão flashback e assistir de novo os dois primeiros filmes, pois faz muito tempo que tinha assistido a ambos, já tinha muita coisa que nem lembrava mais. Além disso é sempre bom rever os filmes dele e do Stallone. Foram filmes como os desses caras que ajudaram a moldar meu caráter pra ser o "profissional" que sou hoje hehehe :D
PREDADOR I (1987)
Pra começar o primeiro filme, protagonizado por um dos grandes mestres da brutalidade, Arnold Schwarzenegger. Nunca ninguem fará um exterminador, Conan ou matador de predador como esse cara.
Nas selvas tropicais da América Central, um grupo de comandos é convocado para uma missão de resgate, liderada pelo major Dutch (Arnold). De repente começa a acontecer coisas muito estranhas, o que leva a praticamente todo o pelotão ser dizimado pela fera.
Foto mais característica do filme
O clima de tensão é elevadíssimo durante o filme até a aparição do Predador, e a tensão vai aumentando à medida que vamos conhecendo os poderes de invisibilidade, detecção de calor e as várias armas de que ele dispõe, o que torna dificílimo alguém conseguir derrotá-lo. A única forma descoberta de enfrentar o Predador e a batalha final dele contra o major Dutch encerram o filme com chave de outro. Destaque para a presença do bom e velho "Apollo" (Carl Weathers) no filme


Nota: 8 (8,5)
PREDADOR II (1990)
Criticado por muitos e apontado como o pior da série. Mas após assistir mais uma vez, eu acabei foi melhorando o conceito que eu tinha dele. O filme muda um pouco a vertente para um filme com mais ação e menos suspense. Apesar de não ter o suspense do primeiro filme, em contra-partida vemos o Predador mais vezes durante o filme, com mais armas e ficamos conhecendo mais sobre a personalidade deles. É legal saber que até mesmo os predadores têm um código de ética, quando ele poupa uma mulher ao perceber que ela está grávida. Vemos também como eles respeitam até a vitória do inimigo e não são covardes, exigindo um duelo justo (se é que podemos chamar de justo um humano contra um predador) quando ocorre a batalha final contra o protagonista, tenente Mike Harrigan.

Danny Glover nem de longe tem a "catigoria" do Arnold. Lembro mais dele do lado cômico dele nos filmes policiais e de muita ação com Mel Gibson em Máquina Mortífera, mas gostei do papel de um policial corajoso que é capaz de encarar até uma besta-fera como o Predador. Interessante ver a realidade que foi criada para a cidade de Los Angeles em 1997, totalmente entregue ao tráfico de drogas (para um filme feito apenas 7 anos antes).
Nota: 7
PREDADORES (2010)
Teoricamente, esse seria o Predadores III, mas não sei porque resolveram mudar de nome. Retomar a série depois de 20 anos já foi inesperado, colocar como protagonista de um filme do Predador o Adrien Brody então nem se fala. Não assisti tantos filmes dele assim, mas a imagem que tenho dele é a daquele cara que só faz filmes cult, como O Pianista, que por sinal lhe rendeu o Oscar de melhor ator em 2002 (um ótimo filme, mas bem pesado...).
Mas até que o resultado ficou bem legal. Muitas cenas de ação interessantes e uma batalha final mais parecida com a do primeiro filme. O legal desse tipo de filme é que não se precisa de muita dificuldade pra entender o enredo: No caso desse, largaram de um avião vários guerreiros/mercenários dos mais variados estilos em um planeta distante para os Predadores se "divertirem" e, é claro, quase todos são dizimados. Destaque também para a participação da brasileirinha Alice Braga.

Nota: 7
PS: Não assisti ainda nenhum Alien vs Predadores, quem sabe em breve...

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Barça x Santos - O jogo que todos estavam esperando

Bem, pelo menos eu estava esperando por esse jogo desde o 1° semestre. Assim como quis muito assistir Brasil x Espanha na final da última Copa das Confederações, mas os EUA estragaram essa chance na semi-final. Neste domingo teremos um dos jogos mais esperados do ano: o melhor Américas contra o melhor da Europa, não só por terem sido campeões de seus respectivos torneios continentais, mas também pelo time que possuem hoje.
Será que o Barcelona é mesmo tão imbatível assim?
Você pode até dizer que eu pago pau demais pra esse time, mas a minha resposta a essa pergunta é bem simples: Desde que me entendo por gente, eu nunca vi um time jogar como joga o Barcelona, com tamanha superioridade e eficiência, seja contra times fracos ou contra times fortes. Às vezes, parece ser tão fácil o que eles estão fazendo em campo que dá pra imaginar se o que eles estão jogando já não é um novo esporte. Vejo comparações com o Santos da época de Pelé, e a seleção brasileira de 1982, pelo belo futebol que jogavam, mas como não pude assistir estes, não tenho como dar minha opinião quanto a isso. Me faz lembrar também da hegemonia do chamado "Dream Team", a seleção norte-americana de basquete, de vários anos atrás.Desde da época de ouro de Ronaldinho Gaúcho tenho acompanhado os jogos do Barça com mais atenção, e venho percebendo a evolução dessa equipe com o tempo. Um time que preza pelo toque de bola desde a saída da defesa, sem dar chutão; que muitas vezes não cruza bola na área (como fazem boa parte dos times) só pra garantir os seus usuais 60% de posse e criar mais chances com a bola no pé; que consegue jogar praticamente no mesmo nível sem ter os seus principais titulares. Pra chegar nesse nível somente com uma geração fantástica de jogadores, como a que possui atualmente, e um técnico como Pep Guardiola, que elabora um esquema capaz de aproveitar o máximo dessa equipe.
Em 2009, o Barça ganhou as 6 competições que disputou. E o time de 2009 pra mim ainda era mais fraco do que esse que vemos de 2010 pra cá. Lembro como se fosse hoje do gol de Iniesta, na semi-final da Champions League, nos acréscimos. É difícil ver o Barça passar por esse tipo de sufoco atualmente...
Um jogo que eu achava que seria uma pedreira grande, mas que acabou se tornando mais um dos jogos fáceis foi a última final da Champions League conta o Manchester United. 3 x1 com direito a 66% de posse de bola e inúmeras chances de gol. Vale lembrar que era um Manchester muito forte, com atacantes que na minha opinião estavam até em melhor fase que os do Barça (Chicharito e Rooney x Pedro e Villa). No início desse ano, após ver alguns tropeços no início da Liga Espanhola e com a crescente evolução do Real Madrid  achei que o clássico do sábado passado seria um empate suado daqueles. Engano meu, mais um chocolate na casa do adversário: 3x1. Agora percebo a insistência de 2 anos pra conseguir acertar a contratação de Cesc Fabregas, além de mais outra ótima contratação, Alexis Sánchez. Enfim, o Barcelona atual é tão forte quanto o da temporada passada.
Ritmo de jogo x time mais descansado?
Como tudo na vida, onde há vantagens, também podemos encontrar desvantagens. O Barcelona voa em campo, o rítmo de jogo está pleno. Depois de vencer o Real no sábado, pegaram o avião e já chegaram fazendo um treino de ataque contra defesa naquele 4x0 da semi-final. Mas, por vir de uma maratona de jogos mais forte, deve sentir mais cansaço, algo que já foi atenuado por Guardiola, descansando alguns titulares na última partida, mas mesmo assim, teve a perda de Villa e Alexis Sánchez é dúvida.
Já o Santos, vem descansado, reduziu o rítmo no final do Brasileirão pra jogar somente as partidas que achasse conveniente. O fato de estar mais descansado pode ajudar, mas é claro, pelo que foi visto na semi-final, que o time sente falta desse rítmo de jogo. O Santos proporcionou várias chances à equipe do Kashiwa, que poderia ter complicado a partida. Tais falhas cometidas poderão ser fatais se repetidas na final.
Apesar de todos as atenções estarem voltadas para Neymar, o cara que pode e deve mostrar serviço pra mim é o Ganso. Teve um ano complicado, com várias contusões, sem poder jogar muitas partidas, por isso acredito que essa é a hora de mostrar para o mundo o futebol dele e tentar fazer a diferença num jogo tão importante.
Ah, mas alguém pode dizer: "Não é tão forte assim pois o Internacional ganhou do Barcelona na final do mundial de 2006". Haha... 1) Aquele Barcelona não jogava metade do que esse joga atualmente (não desmerecendo o título do Inter) 2) O melhor jogador da partida com toda certeza era pra ser o Iarley e não aquele prêmio de consolação que deram para o Deco.
Messi x Neymar
As comparações são inevitáveis. Messi: 24 anos, 26 títulos só com o time catalão. Melhor jogador do mundo por 2 vezes, e quem sabe uma terceira vez em poucos dias. Tudo que ele conquistou, ajuda muito o fato de jogar nessa geração de ouro atual do Barcelona. Neymar: 19 anos, 4 títulos pelo Santos.
Messi é tão veloz quanto Neymar, tão craque quanto. Só que é bem mais objetivo, eficiente e útil para a equipe, não só com os seus gols como também com suas assistências. Joga com a bola colada no pé e seus dribles não são para dar show, não são firulas destinadas a entreter a torcida ou "brincar" com seus marcadores adversários. Falando como um operário da bola, ele usa seu talento de uma forma que obtém muito mais produtividade do que Neymar. Dribla e avança pra frente tendo como objetivo o gol adversário seja por meio de chutes ou assistências, contribuindo ao máximo para a equipe com o futebol que tem.
Só que Neymar é bem mais jovem. Amadureceu muito nesse ano, no sentido de jogar mais para a equipe e já não faz mais com tanta frequência aquelas firulas sem noção, que serviam mais para aparecer e para irritar o adversário, provocando confusões e cartões, até pra ele próprio inclusive. Melhorou bastante na questão de cavar faltas, que beirava ao ridículo. Seu repertório e improvisação quando se trata de dribles é nitidamente superior a Messi, o que se bem utilizados, como vem sendo atualmente, pode tornar em poucos anos ele um jogador superior ao que Messi é hoje.
Mas atualmente, acho que não tem como dizer que Neymar é melhor que Messi. Sem contar que a comparação ainda se torna injusta por conta de um já ter 5 anos a mais de bagagem que o outro.
Como vencer o Barça?
Vai perguntar pra mim? Se até o Muricy deve estar arrancando os cabelos que resta pra encontrar uma forma, quanto mais eu. Mas, o fato é que o Santos tem que entrar em campo já sabendo que, com sorte, terá apenas 40% de bola nos pés. E terá que aproveitar ao máximo esse tempo. Como o próprio Muricy falou: "A posse do Barcelona é a maior em qualquer lugar do mundo. Ninguém vai conseguir mudar isso, nem eu.". Mas tenho certeza que ele já tem uma estratégia montada, pelo ótimo técnico que é. Pra mim, o melhor do Brasil.
O maior problema de se jogar contra o Barcelona é que você pensa sempre em marcar o jogador mais forte pra tentar enfraquecê-lo. Aí se você foca numa marcação em Messi, ainda tem Xavi e Iniesta, que mesmo não sendo tão espetaculares do que ele, são bem mais regulares, dificilmente jogam mal uma partida. Com um meio-campo desse nível, fica difícil quem jogar contra ter sossego.
É difícil ver o Barcelona jogar e não se espantar com tanta qualidade e não se pegar torcendo por ele. Será muito difícil pro Santos vencer, mas domingo pode ser o dia do Santos. E por mais que admire o Barça, estarei torcendo pelo Brasil, pelo Santos.

domingo, 13 de novembro de 2011

Sobre Torcedores

Quando criança, e até boa parte da minha adolescência, fui daqueles torcedores fanáticos. Lembro bem do dia em que o São Paulo perdeu a final do brasileiro de
19901989 para o Vasco. Chorei pra caramba. Lembro muito também das finais do mundial interclubes de 1992 e 1993, quando assistia o jogo muito nervoso naquelas madrugadas. Teve um ano que o São Paulo foi desclassificado na semi-final da Libertadores para o Once Caldas. Nesse dia nem dormir eu consegui direito por conta da raiva que tive...
Acho que minhas últimas grandes emoções ao assistir um jogo de futebol foram a conquista do tricampeonato do São Paulo em 2005 (tanto da Libertadores, como do Mundial) e o pentacampeonato da seleção brasileira em 2002. Depois desses, não me lembro mais de grandes alterações do meu estado de nervos ao assistir um jogo. Assitir jogo de futebol é um dos meus hobbies favorito, assisto muito mais hoje em dia do que antigamente (estou ficando cada vez mais parecido com meu pai), seja série A, B, ligas européias, mas dependendo do nível da partida eu dou a atenção devida, ainda mais atualmente pois estão transmitindo até jogo do campeonato russo (e eu cheguei a assistir um jogo...). Jogos que não sejam tão importantes eu fico fazendo outra coisa e acompanhando só de relance.
Apesar de gostar muito de futebol, já faz um tempo que me decidi a não mais me chatear com isso. Quero ter o futebol pra mim somente como uma fonte de diversão. Se meu time ganha, eu comemoro; se perde, eu simplesmente mudo de canal, vou assistir um filme ou fazer qualquer outra coisa, sem crises.


Nunca fui muito de ir pra estádio mas acho interessante e respeito os chamados "ratos de estádio". São pessoas que tem muita dedicação ao seu clube de coração: não perdem uma partida, muitos participam dos programas de sócio-torcedor, às vezes sem nem ter tantas condições financeiras para tanto. Sei da emoção que é torcer para o seu time ao lado de tanta gente que se une naquele momento em prol de um mesmo propósito, mas acho que por nunca ter tido esse costume de ir a estádios, de nunca me envolver até tal ponto, consigo ver o futebol de uma forma, digamos, um pouco mais "fria", atualmente.
Cada um tem o seu jeito de torcer. Uns ficam mais felizes em sacanear com o time do adversário quando perde do que quando o seu time ganha. Outros fazem vistas grossas a qualquer crítica feita ao seu time. Tem torcedor de tudo quando é jeito.
Meu pai é um tipo interessante de torcedor, bem engraçado, um dos mais críticos que já vi. A coisa mais difícil do mundo é ele elogiar os times dele. Aliás, o futebol brasileiro em geral. Pouca coisa presta pra ele no futebol hoje em dia :) Mesmo quando os times que ele torce (Santos, Flamengo, Ceará, Vitória) são campeões de alguma competição ele reclama, dizendo que "não entende como um time tão fraco pode ser campeão".

Regionalismos

Uma das questões mais polêmicas que costumo conversar com amigos é o fato de ser "certo" ou "errado" torcer para um time de outro estado, em especial aqueles que moram no Nordeste que é o nosso caso (com muito orgulho, por sinal).
Desde que me entendo por gente, na faixa dos 5/6 anos de idade que eu optei torcer para o São Paulo. Lembro como se fosse hoje: ganhei um jogo de botão de presente e, acho que como não tinha ninguém que eu conhecesse que torcia São Paulo, acredito que fui o primeiro da turma. E tive sorte, no ano seguinte (1986) o São Paulo, de Careca, foi campeão brasileiro em cima do Guarani, de Evair.
Careca erguendo a taça de campeão brasileiro de 1986
 Mesmo sendo baiano (com muito orgulho também), e ainda hoje morando em Fortaleza há mais de 14 anos, não vejo problema algum em se torcer para um time de fora do meu estado, da minha região, afinal antes de tudo eu sou brasileiro.
O grande problema é que com o tempo, a gente descobre como as coisas vão funcionando e vê outras coisas que realmente são difíceis de aceitar. Muitas vezes o tratamento que é dado por muitos veículos da mídia (e de outras organizações envolvidas com o futebol em geral) às equipes do eixo sul/sudeste é diferente do que é dado aos nordestinos. Se for começar a falar da grande diferença de cotas de TV, aí é que a conversa vai longe mesmo. Entendo que as torcidas dos times dessas regiões são maiores, a estrutura em geral também não tem como comparar, mas acredito que deveria haver mais igualdade na hora de tratar os clubes da mesma forma. Poderia se adotar aqui um esquema parecido com o norte-americano, que privilegia a competitividade entre as equipes, e não o abismo entre as mesmas. "Qual a lógica de privilegiar quem já é privilegiado?"
Acho que o dia que eu cheguei no meu limite foi quando, ao assistir o "Bem Amigos", o Arnaldo César Coelho estava comentando um lance polêmico de um jogo entre Bahia e Vitória, pelo campeonato baiano. Ao explicar a situação de possível impedimento que ocorria no lance, ele falou mais ou menos assim: "O camisa 9 fez o passe mas esse 'moreninho aqui' está na mesma linha desse outro jogador aqui." Pô, o cara não se deu ao mínimo trabalho de saber apenas 3 nomes dos jogadores envolvidos no lance. Se fosse o Flamengo, tenho certeza que ele saberia o apelido, nome completo, filiação e RG do cara e se errasse ainda levaria uma bronca. Na hora parecia mais um cara comentando um racha do que um jogo de futebol de um campeonato profissional. No tele-jornal, muitas vezes mesmo os gols do Ceará, um time que joga na série A do futebol brasileiro, são mostrados em poucos segundos. Agora tem time aí que não precisa fazer muita coisa pra ter uma matéria de 15 minutos de telejornal.
Para as cotas de TV!!

Foi por causa de coisas desse tipo que eu mudei um pouco. Só percebi de uns tempos pra cá a importância de se valorizar o esporte local. Não deixei de torcer São Paulo, nem nunca vou deixar, mas são por esses motivos que hoje em dia também torço muito para os times do Nordeste, em especial os da Bahia e do Ceará. Se quem mora aqui no estado não der apoio, com quem podemos contar então? Pode parecer estranho mas fiquei até feliz quando vi o Bahia ganhando do São Paulo um dia desses, pois é Nordeste, jogou com raça e ganhou merecidamente.
Dentre os times daqui do estado, escolhi torcer mais pelo Ceará, mas por que? Em primeiro lugar, meu pai torce pro vozão -> Se o vozão ganha, ele fica feliz -> Se ele fica feliz, eu também fico feliz. Simples assim :) Alem disso, a maior parte da minha família também torce para o alvinegro. Influência familiar é algo que ajuda bastante no momento de se escolher qual time quer torcer.
Aí você me pergunta: E se o Ceará joga com o São Paulo? Confesso que não tenho uma resposta. Seria incapaz de torcer contra o São Paulo, mas também hoje não consigo torcer contra o Ceará. Por mais estranho que pareça, acredito que vou torcer para o time dependendo da situação em que cada um se encontrar, quem mais estiver precisando naquele exato momento, que tiver merecendo a vitória, sei lá... vai depender das circunstâncias.
A minha maior torcida hoje em dia é pra ver Bahia e Ceará se mantendo na Série A, Icasa se mantendo na Série B, e é sério, torci pro Fortaleza se manter na série C. Algo impensável pra quem se diz torcer pro Ceará, mas o prejuízo para o futebol cearense seria muito grande ter um time como o Fortaleza caindo para Série D.
Como sou um apreciador do bom futebol, de uns anos pra cá, costumo acompanhar os
jogosespetáculos do Barcelona. Em um mundo cheio de times retrancados, como não torcer para um time que oferece um show de futebol ofensivo como é o que vemos atualmente? Acredito que pelo fato de eu ter conhecido a cidade de Barcelona e assistido lá num telão a final da Copa do Rei em 2009, isso tenha contado pontos também.
Barcelona 2009 - 6 títulos somente nesse ano
Ou seja, mais uma forma de torcer, cada um tem seu jeito. Por mais louco e estranho que pareça esse é o meu.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Bizu do Escorpião - Episodio I - Troca de Óleo

Inicio aqui uma sessão de posts chamada "Escorpião no Bolso". Aquelas dicas que muitos de nós precisamos pra controlar e reduzir custos, é claro, tudo com muita parcimônia...

Assim como a morte e impostos, uma das coisas mais certas da vida é que pra seu carro durar você precisa ter cuidado com a manutenção do mesmo, isso é muito importante. E uma das coisas que mais requer cuidado é a troca de óleo periódica. Tudo depende do tipo de óleo, do motor, da forma de utilização do veículo. Apesar de muitos afirmarem que a troca deve ser feita a cada 10 mil km, isso é muito arriscado, melhor garantir e fazer a cada 5 mil km.
As primeiras trocas eu tinha feito na concessionária até manter o primeiro (e único) ano de garantia. Ainda cheguei a fazer mais uma ou duas após sair da garantia, mas só depois me toquei que havia uma oportunidade interessante de reduzir custos aqui. Sempre ouvi falar de como o oléo de motor era barato no Extra, então fui lá pra dar uma averiguada, mas precisamente no Extra do Iguatemi.
Ao chegar lá, fiquei realmente impressionado com o preço: 1 galão de 4 litros do óleo 15W50 exigido pelo meu carro custando R$55, um Helix da Shell, marca muito boa. Pra completar, ao compra o óleo, percebi que havia um adesivo que dava direito a uma troca gratuita no Trok Service, que fica na Aguanambi. Logo, bastava comprar o filtro de óleo na MontSerrat por R$32.
Dessa forma um serviço que sairia por R$150 (4 litros de óleo Total Quartz + filtro + anel de vedação + serviço) na concessionária ficaria por R$87 com a estratégia do escorpião. Economia de 42%!
O plano elaborado só não deu certo porque os funcionários da Trok Service pareciam não ter as ferramentas (ou a competência) necessária pra retirar o filtro. Passaram 10 minutos tentando e por medo de quebrar, tive que fazer a troca em outro local, onde tive que pagar R$15 pela troca.
No final das contas ficou: Filtro (R$32) + Galão de 4 litros  de óleo Helix (R$55) + Serviço de Troca (R$15) = R$102 -> Economia de 32%!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Brasileirão Série A - Nivelado, competitivo ou fraco?

Converso bastante com meu pai sobre a situação atual do futebol brasileiro. Ele tem uma posição que time nenhum mais presta :). Segundo ele, como pode um time ser bom que ganha do lider da competição num dia e no outro perde para um outro que está lutando pra não ser rebaixado?
Eu particularmente já defendo uma outra opinião. Não é que os times sejam tão ruins assim. Acredito que o futebol está um pouco mais nivelado mesmo, não arrisco dizer se para um nível melhor ou pior. Faz um tempo que a gente não vê um saco de pancadas eterno no Brasileirão Série A, um time que fique sempre ocupando a última posição da tabela. No começo da competição, pensei que esse time seria o Atletico-PR, mas o time conseguiu uma boa recuperação apesar de neste momento ainda estar brigando para não cair.
Agora é realmente muito estranho ver que toda semana tem uma equipe que é a "sensação do momento", "o time que está numa crescente e está com pinta de campeão" e na outra semana esse time leva uma derrota expressiva ou até uma goleada como já vimos vários caso em rodadas recentes: Vasco (que levou de 4 do Botafogo), do Botafogo (que levou de 5 do Coritiba), do Fluminense (um pouco mais recente, que ganhou várias seguidas e levou de 3 do Bahia no final de semana passado).
Quando estava prestes a terminar o segundo turno eu apostava no Flamengo, por ser uma equipe mais regular, que apesar de não ganhar sempre, dificilmente perdia, além da boa fase de Ronaldinho Gaúcho, que também ajudava muito. Agora vemos um Flamengo caindo cada vez mais, já em sexto.
Como ninguém dispara lá na parte de cima, ficaria mais fácil para um time de qualidade que venha das posições mais abaixo e tenha dois jogos a menos se aproximar: esse time é o Santos. Os 6 pontos que poderiam ser obtidos colocaria ele na sexta colocação. O único problema que vejo que impede ele de chegar mais longe seria a falta de motivação levando em conta que lá pro final do brasileirão ele deve priorizar o mundial e por consequência deverá colocar um time B nas últimas rodadas.
E por fim, a maior decepção desse campeonato nesse momento é o Cruzeiro. É o saco de pancadas no momento, o interessante é que o time apesar de não ser espetacular, não tem um elenco tão fraco assim pra estar vivendo essa péssima fase, que aliás, parece ser geral no futebol mineiro atual.
Acredito que esse ano a última rodada vai ser ainda mais disputada do que em edições anteriores, com umas 5 equipes brigando pelo título. Não vejo ninguém com condição de disparar na liderança no momento. Por conta disso, acredito que também vai ser a edição onde o campeão terá o pior aproveitamento da história (desde que se adotou esse formato de pontos corridos).
Mas de certa forma esse "nivelamento" é bom para o Brasileirão. Os jogos se tornam mais imprevisíveis, a competição fica mais disputada a cada rodada. Diferente do campeonato espanhol, que apesar do espetáculo demonstrado por equipes como Barcelona e Real Madrid, torna a competição algo muito chato de se acompanhar, pelo menos se levarmos em conta o que aconteceu em 2010. Qual a graça de ter uma liga onde só tem duas equipes que disputam o título?

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Análise - O homem que desafiou o diabo - A fúria de Ojuara!

Meu primeiro filme ser analisado é um filme bem "fulerage" hehe. Na verdade, eu não dava nada por esse filme, achei que seria mais um daqueles filmes nota 5. Perdido aqui no meu HD entre as dezenas de outros filmes que ainda não vi, resolvi botar ele pra rodar no notebook enquanto fazia as coisas no PC.
O que aconteceu é que eu comecei a dar risada com o filme, larguei tudo pra prestar mais atenção ainda e a diversão foi só aumentando com o decorrer da trama. Não sei se a temática do filme é tão engraçada quanto para outros que o assistiram, mas pra mim acabou por ser um filme muito engraçado, muito mais do que eu esperava. Não tenho know-how pra falar dos aspectos técnicos de um filme, nem pra saber o nível dos atores, me atenho mais a história e à diversão proporcionada. Tem vários atores globais, como Marcos Palmeira, Fernanda Paes Leme e Flávia Alessandra.


Basicamente, é a história de um cara que teve que se casar contra sua própria vontade e após sofrer muita humilhação por parte do sogro e da mulher, tem em um determinando momento, o seu Dia de Fúria e resolve mudar a sua vida de forma tão drástica que até de nome muda, passando a se chamar Ojuara, e então vive uma vida totalmente dedicada à luta pela justiça, à cachaça e aos cabarés, bem característico da galera do sertão. A fúria do cara é tão grande que desafia até o "Coisa Ruim". Enfim, o cara vira o grande super-herói do Sertão.
O filme tem muitas cenas bem bestas mesmo, muito palavrão e esculhambação, mas tudo de uma maneira tipicamente nordestina, mas especificamente, com os mesmos "palavriados" dessa região de Ceará/Rio Grande do Norte e acho que é isso que torna o filme bem legal. A cena mais memorável pra mim, que não canso de ver de novo, é o momento da fúria, onde ele sofre a última humilhação, aí nasce o herói, ele vai mudar de nome e no final ele recita a célebre frase:
" Bando de corno!! Cambada de frescos!! Os ano de humilhação se acabaram!! Agora eu vou engolir o mundo com cachaça!! Meu nome é Ojuara!! "


Como boa parte da minha família nasceu interior, no sertão, tive a oportunidade de conhecer o modo de vida de várias pessoas que moram nessas regiões. Muito dos trabalhadores da roça tem uma vida que se resume a passar o dia na luta, e juntar o dinheiro que tem pra se divertir. E qual é a forma de diversão principal pra boa parte deles? Beber cachaça, gastar dinheiro em cabarés e nos forró. Somado isso ao fato de se valorizar muito as pessoas que têm coragem, que não tem medo de se meter em confusão, tudo isso torna o protagonista do filme um verdadeiro herói do sertão. Algumas das análises que vi não falam tão bem desse filme, mas acredito que pessoas que moram em outras regiões e não saibam como é a vida das pessoas que moram em cidades do interior do Nordeste talvez não consigam achar o filme tão engraçado.
Concluindo, recomendo o filme.
Nota: 7,5 8,0 (Realmente Merece Oito!!)

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Passado e presente: Ronaldinho, Ganso, Neymar e a Seleção

É impressionante como as coisas podem mudar em tão pouco tempo no futebol. Opiniões que você tem em um dia mudam completamente em poucos meses. Lembro que quando pensei em criar esse blog há mais de 1 ano atrás eu pensava que um dos primeiros posts seria tentar "prever o futuro" desses 3 jogadores: Ronaldinho, Ganso e Neymar.
À epoca, eu considerava o seguinte:
  • Ronaldinho: um jogador que nunca voltaria a ser o que era antes. Por conta da idade e do aumento de peso teria que repensar todo o seu estilo de jogo e não conseguiria ter a mesma explosão e, por consequência, a mesma qualidade. Na época da sua chegada no Flamengo, pensei: "Que bomba que o Flamengo está recebendo. Será uma contratação somente pelo marketing, porque futebol mesmo daí não vai sair nada"
  • Neymar: uma jovem promessa, um jogador extremamente habilidoso, mas que vai pra Europa cedo, pegar massa muscular rapidamente, com isso vai perder a velocidade necessária ao seu estilo de jogo e trilhar o mesmo caminho que Robinho, ou seja, virar um jogador consideravelmente mediano, como o é atualmente.
  • Ganso: o único craque, com os pés no chão e categoria suficiente pra ser o que a seleção precisa e em pouco tempo ser o melhor do mundo.

Como as coisas mudam em pouco menos de um ano. O que vejo hoje:
  • Ronaldinho: calou minha boca legal, ainda bem. Atualmente briga pela artilharia do brasileirão, faz gol olímpico e tudo mais e o Flamengo passa mal quando ele não joga. E no jogo da seleção de hoje, pelo que vi nos melhores momentos e comentários, fez uma ótima partida, coisa que por sinal a gente cansou de esperar dele na época em que foi o melhor do mundo pelo Barcelona, situação bem parecida com a que vemos hoje na Argentina em relação a Messi, mas que na minha opinião tem razões completamente diferentes, o que mereceria outro tópico.
  • Neymar: depois de fazer muitas besteiras, percebo uma certa evolução e amadurecimento, o que dá uma certa esperança de que no futuro ele seja tudo isso que todos esperam, quem sabe um dia o melhor do mundo... espero que sim e que consiga fazer muito pela seleção.
  • Ganso: No momento, a minha aposta mais errada. As contusões vem atrapalhando bastante, mas mesmo nos momentos que jogou esse ano, está muito abaixo do futebol que todos esperam dele. Ainda tem muito tempo pra mostrar seu futebol, mas existe um grande temor que ele seja um jogador que vai ter a carreira seriamente atrapalhada por contusões.

Sobre a seleção brasileira, tivemos um início muito bom com o Mano Menezes, depois uma fase bem complicada sem vencer nenhum jogo contra seleções de tradição e o grande desastre dos penâltis na Copa América. Ainda acho que há tempo para colocar o time nos eixos, e acho que hoje um passo importande foi dado: a volta de Marcelo para a lateral-esquerda, posição carente de talentos desde a época da boa fase de Roberto Carlos.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Ressarcimento ao torcedor - Será que a moda pega?

Nunca tinha visto algo desse tipo antes, mas demonstra um total respeito e consideração para com o "cliente", torcedor de um time de futebol. Coisa de equipes bem estruturadas, bem o caso do Arsenal, apesar de ter perdido alguns dos seus maiores jogadores recentemente, como Fábregas e Nasri.
http://noticias.bol.uol.com.br/esporte/2011/08/29/arsenal-vai-ressarcir-torcedor-que-viu-derrota-por-8-a-2-em-manchester.jhtm
"Depois da humilhante derrota sofrida diante do Manchester United no domingo por 8 a 2, a diretoria do Arsenal resolveu compensar os torcedores que presenciaram o revés no estádio Old Trafford, casa do rival." 29/08/2011 - 14h33
Se a moda pegar, vai ter muita equipe preparando ingresso extra para torcedor pelo mundo afora.

Finalmente, o meu blog

Já faz muito tempo que pretendia criar um blog, mas só depois de muito tempo tomei a iniciativa de começar. Nesse espaço, vou falar das minhas opiniões e pensamentos sobre algumas das coisas que mais curto na vida, principalmente: futebol, esportes em geral, viagens (agora no Pegadas pelo Mundo), músicas, filmes, games, carros, entre outras.
Falarei de esportes em geral, talvez muito de futebol, pois é uma das minhas grandes paixões, motivado por um pai que todos afirmam que deveria ter sido um jogador profissional, e uma família também apaixonada por esse esporte. Pode ser que fale da Copa Maria, competição criada em 2006 por mim e pelo meu amigo Felipe, que atualmente conta também com a participação do amigo Marcos Paulo.


Pretendo falar de viagens (agora no Pegadas pelo Mundo). Apesar de não ser um especialista, fiz algumas viagens muito legais, onde realizei alguns dos sonhos da minha vida. Viajar é sempre uma experiência agradável, pelo fato de poder experimentar e conhecer coisas novas. Tentarei falar o máximo que puder dessas experiências e dos locais que ainda pretendo conhecer.


Falarei de músicas, filmes e games. Tenho um gosto musical muito eclético, gosto dos mais variados gêneros. Quantos aos filmes costumo assistir com frequência, sempre priorizando aqueles mais cotados no IMDB (só de 6,8 pra cima né, Wagner rs) e com a consultoria do mestre "Cadufe" (grande amigo e colega de trabalho). Quanto aos games, desde criança eu curto pra caramba, mas hoje em dia é complicado conseguir o tempo que eu dispunha quando era mais jovem, mas sempre que dá procuro jogar umas partidas, principalmente de jogos de futebol, como FIFA e Pro Evolution Soccer.


Carros... ahh, sou louco por carros. Deve aparecer alguma coisa pra falar aqui em algum momento :) Gosto dos modelos mais variados, mas principalmente dos esportivos, tendo uma queda especial pelo Mitsubishi Lancer Evolution.


E por fim, por que "profissional"? Bem, vários dos meus amigos me chamavam assim, e com o tempo, acabou que por eu falar com muita frequência essa palavra, outros também começaram a me chamar por esse nome, e acabou virando um dos meus vários apelidos. Acredito que tem a ver também com o fato de que quando me dedico a fazer algo que tenha muito interesse, eu tente fazê-lo da melhor forma que eu conseguir, ou seja, tentar fazer da forma mais "profissional" possível... :) É claro que nem sempre consigo fazer isso, como vai ser o caso aqui desse blog, vai depender da minha disposição, tempo, entre outras coisas. Mas vamos tentar...