AdSenseV

sábado, 1 de outubro de 2022

Política - Desabafos e lições aprendidas III - Mensagem Final - Os perigos do fanatismo e o que realmente importa

Finalmente após a parte 1 e parte 2 termino essa série. Bom acabar logo mesmo e voltar pro foco principal do blog, pois esse assunto já deu... rs

Depois desse último desabafo, é nessa paz que vou viver

Sim, há muitas pessoas que se desenganaram com a política e eu sou uma delas. Sim, também sei que isso não resolve nada. Mas não podemos fugir de quem somos.

Minha maior dificuldade de falar sobre política hoje é ver como muitos acham que tudo isso é uma guerra do bem contra o mal, ao escolher um lado demoniza o outro.

Entristece ver o quanto de gente tem se desentendido ou deixado de falar com pai, mãe, amigo, parente, etc. só porque essa pessoa vota no político que ele tanto odeia. E esses políticos estão lá em cima se lixando pra gente.

É muito difícil entender como tantas pessoas celebram a vitória de um político como se tivessem ganhado na loteria (mesmo sem nenhum benefício direto) ou chegam a entrar em desespero (mesmo sem ter perdido nada).

Beira a insanidade depositar toda a fé, sonhos e esperança numa pessoa quando o que efetivamente muda a vida, caso se tenha o mínimo para sobreviver e batalhar, são as suas atitudes.

NÃO ARRANJE TRETA POR CAUSA DE POLÍTICA

Não é porque seu parente ou amigo vai votar diferente que você não deve mais gostar dele. O caráter de alguém não depende disso. Não é por isso que ele agora é uma má pessoa. Não o julgue por isso, ou pelo menos tente.

Muitos que me conhecem devem estranhar eu dizer isso pois saí de vários grupos de whatsapp (quase que um crime hoje em dia para muitos!) e evito algumas pessoas, mas digo de coração que não foi por pensarem diferente de mim. Foi simplesmente porque penso, como já falei no post anterior, que o problema pra mim não é você ser de esquerda ou direita, o problema é você ser chato. 

Há muitas pessoas cheias de convicção que parecem ter uma grande necessidade de fazer os outros pensarem igual a elas e de mostrar que estão sempre com a razão. Seja o político que vai tornar "o país e o mundo melhor"; o seu time que é o melhor; a sua religião que é a única a te levar ao céu. 

Já eu posso até discordar de você, mas nunca vou te perturbar ou questionar suas crenças por serem diferentes das minhas.

Há também aquela turma que não tem outro assunto, ainda mais em tempos de eleição. Gosto muito de conversar sobre futebol, mas se vejo que alguém não gosta de futebol eu não fico insistindo pra ela falar disso comigo. 

Aí nesses casos realmente não vale a conversa, filho, como diria um mestre da região onde moro. Eu passo longe.

O problema é que hoje, qualquer mínimo elogio a um candidato já faz muitas pessoas te julgarem achando que você é partidário dele. Ou também: qualquer crítica feita a um faz as pessoas te julgarem como apoiador do adversário. É como se houvesse uma linha obrigatória separando a vida e te obrigando a escolher um deles. 

A verdade é que ninguém é tão ruim que nunca tenha feito pelo menos algo de bom na vida, nem é tão perfeito que nunca tenha errado. Isso vale para pessoas e óbvio, para políticos também.

Acho que a pessoa pode sim defender seu candidato, mas quando não é capaz de encontrar nenhum ponto negativo, dizer que tudo contra ele é perseguição, aí a gente entra no perigoso terreno do fanatismo, e pra mim aí realmente NUNCA vale a conversa.

Que tal uma reflexão pra encerrar esse tópico: Será que todos esses milhões de pessoas que votam no candidato que você abomina são tão horríveis assim apenas por você discordar nesse ponto delas?

O QUE REALMENTE IMPORTA, NO QUE ACREDITO 

Não querendo ser melhor que ninguém, mas acho que o fato de eu não ter muito dessa sensação de pertencimento me ajuda ver as coisas de forma mais clara, ao passar longe de quem só escuta o que um lado tem a falar.

Não é que eu seja descrente de tudo, mas só consigo sentir mais essa coisa de pertencer e se engajar em algo quando se trata de grupos menores: a equipe em que trabalho, o time que estou jogando no meu futebol, etc.

Pois aí entra o conceito da contribuição realmente efetiva de 1 jogador num time de 5 no futsal, de 1 colaborador numa equipe de 10 no meu trabalho. Aí eu certamente vou procurar dar o meu melhor para atingir o objetivo.

Também acredito muito em colaborações diretas a quem precisa: doações para moradores de rua, gente faminta, entre outros. Ali você está atuando diretamente no problema sem passar por tantos atravessadores.

ACREDITO MUITO NA PERSEVERANÇA 

O Batalha Pai não teve muita oportunidade de instrução: só completou o ensino fundamental. Com isso, resolveu empreender: uma borracharia. A Batalha Mãe completou seus estudos mas não trabalhou mais fora depois que nasci pra cuidar de mim e ser dona-de-casa.

Nunca foram ricos (nem faziam questão de ser). Criaram o Zé Batalha, que estudou em escola pública. Só a faculdade foi particular e meus pais puderam pagar. Hoje sou concursado, trabalho numa empresa pública e graças a Deus, além da Sra Batalha e da Batalhinha filha, consigo dar uma ajuda financeira a meus pais.

Tanto meus pais como boa parte das pessoas dessa geração que conheço, passaram por dificuldades imensamente maiores do que eu e a grande maioria das pessoas da minha idade que está lendo isso aqui. E eles venceram.

Pegaram situações políticas e econômicas muito mais complicadas do que a gente. Pergunta pra eles se ficaram chorando, revoltados ou quiseram fechar a borracharia e desistir de tudo porque o candidato que eles votaram (quando puderam votar é claro) não venceu.

Não. Eles seguiram em frente.

Daqui pro fim da nossa vida teremos governos de direta, esquerda, de tudo que é "lado". A maioria vai decidir e vamos ter que aceitar, gostando ou não. Simples assim.

CONCLUSÃO: NÃO LEVE A POLÍTICA TÃO A SÉRIO

Como ouvi certa vez: "A política é um fenômeno de cima pra baixo. Não existe essa de 'vem pra rua', 'vamos nos unir', etc. ELES que têm a caneta na mão"

A perpetuação no poder é o único objetivo. Pode haver uma decisão tomada por eles que nos beneficie, mas não fizeram isso porque se preocupam com o povo, mas sim porque são incrivelmente hábeis para entender as regras do jogo e saber o que estrategicamente é vantajoso pra eles.

Os incentivos são inúmeros no Brasil para continuar nos cargos: dinheiro e poder, fora a roubalheira. E por isso muitas vezes são os piores que costumam chegar mais longe.

Mais uma vez: é tudo sobre escolhas. Sou muito feliz pelo nosso direito de votar, mas penso que não deveria ser um dever, ainda mais quando vejo as péssimas opções que costumamos ter na urna. Não prego que você deva se desiludir com a política como eu. Apenas que entenda que suas atitudes farão muito mais diferença no longo prazo.

E por fim, essa foi a minha escolha: acreditar naquilo que me propicie um maior alcance de efetivamente mudar algo.

Desabafo feito. E com isso concluo minhas reflexões e não pretendo nunca mais falar de política aqui. 

Agora sim, Zé Batalha volta a sorrir... rs



sábado, 3 de setembro de 2022

Política - Desabafos e lições aprendidas II - 7 dicas para passar tranquilo e evitar tretas nessas eleições

Está e a segunda parte das reflexões que registrei durante esses anos tentando entender a política, conforme tratado no post anterior. Acabei aprendendo mais sobre o comportamento das pessoas que tende a se repetir, só mudando o time.

O que ainda me impressiona no que falo a seguir é o quão óbvio muitos desses itens são, mas como tantas pessoas não se dão conta disso.

1) NÃO LEVEM PRO PESSOAL QUANDO FALAREM MAL DO SEU CANDIDATO

Certas pessoas abraçam de tal forma seus candidatos que até mesmo uma pequena crítica a ele chega a ser encarada como uma ofensa pessoal! Aí o cara vai querer te provar, te contestar e justificar as ações dele com todas suas forças.

Para começar, seu candidato não sabe nem que você existe. E pior: há grandes chances que daqui há alguns anos ele esteja apertando a mão do adversário atual que você (e ele supostamente) tanto despreza. Os exemplos são inúmeros.

2) CONVENCER ALGUÉM A VOTAR IGUAL A TI NÃO VAI MUDAR O RESULTADO

Vamos dizer que você acabe sendo convencido pelo colega que diz que seu candidato X é o que o país precisa. O resultado da eleição não muda por ele ter conquistado apenas seu voto. Mas aparentemente para essa pessoa deve surgir uma satisfação incrível por ter ajudado o colega a "votar certo"...

Reflita sobre o quão pouco convencer alguém a votar no seu candidato muda matematicamente o resultado de uma eleição. A não ser que você seja um influencer que consiga mudar a mente de milhares de pessoas, o que não deve ser o seu caso, nem muito menos o meu com o alcance mínimo que tenho nas publicações. A sua postagem com um punhado de curtidas igual a minha não muda o país em nada, campeão. Talvez sirva só pra se sentir melhor mesmo.

Quando você vir pessoas tão ávidas de te convencer a votar em alguém, acredite: menos de 5% terão um beneficio imediato e os outros 95% (pasmem) acham que terão.

Penso que somos extremamente mais úteis para nós mesmos e para o nosso país ao tentar ser uma pessoa melhor, um profissional melhor, trabalhando e se capacitando (#PERSEVERANÇA), do que usando esse tempo para convencer alguém de algo sobre política.

3) OS "TENDENCIOSOS" E A LAMENTAÇÃO PELO QUE FAZEM COM O SEU CANDIDATO, UM "HERÓI PERSEGUIDO" 

O fanático sempre que vê qualquer coisa que questione seu candidato X ou elogie nem que seja um pouco o adversário Y irá considerar isso como tendencioso. Para ele, é tudo uma maligna conspiração para derrubar o cara que vai "salvar a nação".

A história mostra que pesquisas de voto não são 100% confiáveis mas ainda assim tem mais credibilidade do que a opinião de uma pessoa que só conversa com aqueles que concordam com ele. 

É ÓBVIO que se você está cercado de pessoas que só valorizam quem elogia o político X, essa situação te passará uma ideia que praticamente ninguém mais está pensando em votar em Y. Em resumo, a boa e velha análise de umbigo. Na rua do Cabo Daciolo eu tenho certeza que ele venceria no primeiro turno!

Ao mesmo tempo é ÓBVIO que o resultado da pesquisa eleitoral pessoal desta pessoa será bem diferente, como forma de demonstrar sua convicção e achando que isso conta em algo, ele até aposta em uma vitória no primeiro turno e vai jurar que houve fraude se seu candidato for derrotado.

É certo que na imprensa temos muitos veículos que até se auto declaram defensores de um lado, mas vejo muitos jornalistas que hoje são citados como eternos apoiadores de X que há poucos anos atrás estavam sendo massacrados pelos mesmos eleitores deste, sendo acusados de perseguição, da mesma forma como hoje os do adversário Y se revoltam.

Taleb em seus livros fala algo que chama de "empirismo ingênuo": "temos uma tendência natural a procurar por instâncias que confirmam nossa história e ideias". E hoje podemos encontrar na internet confirmação para praticamente qualquer coisa no mundo.

Zé Batalha recomenda: leia Taleb

4) O VOTO DE UMA PESSOA NÃO TORNA ELA INTELIGENTE SE FOR IGUAL AO SEU NEM MAIS BURRA SE FOR DIFERENTE

Pessoas pensam de forma diferente em relação a política, futebol, música, religião e tantas outras coisas. Assim é o mundo.

Mas o que me irrita mais é quando escuto coisas do tipo: "Poxa, você é tão inteligente mas vota em X". "Agora sei que você não tem 'inteligência política'". E o mais louco e contraditório é que no minuto seguinte essas mesmas pessoas estão defendendo a liberdade de expressão, mas se você não concordar com elas pode ser até desrespeitado ou ofendido.

5) A ADMIRAÇÃO POR ALGUÉM NÃO OBRIGA VOCÊ A VOTAR E PENSAR TOTALMENTE IGUAL A ELE

Normal a pessoa ter alguém que admire, seja no seu círculo pessoal ou alguém da mídia. Mas há quem diga simplesmente "Meu amigo Fulano (alguém legal e bem sucedido) é uma pessoa espetacular. Se ele vota em X, não pode estar errado. Como alguém poderia votar diferente?". Estou falando sério: já escutei isso. Essa é daquelas que não vale mais nem o resto da conversa.

Isso é terceirização de decisões, ou talvez chegue a ser até uma idolatria. Que tal ter sua própria opinião, pensar com seu cérebro e tecer sua própria ideia? Tudo bem que possa ser embasada em alguém que respeite ou admire, mas ninguém precisa concordar TOTALMENTE com essa pessoa, na verdade com ninguém. Tudo bem acreditar nas ideias de um partido/político mas não é por isso que você precisa defender TUDO que ele preconiza.

idolatria sucks

6) A IDEIA DO "TUDO OU NADA" - A EUFORIA OU O DESESPERO NO RESULTADO DE UMA ELEIÇÃO. 

Já falei em outros posts que a convicção absoluta em algo pode ser muito perigoso e daí vem a reflexão desse tópico.

Se me pedissem, eu daria apenas um conselho sobre tudo que já escrevi: Nunca tome decisões DRÁSTICAS baseada no cenário que um político eleito planeja, seja um cenário que sirva para o seu bem, quanto para o seu mal.

Já vi gente celebrando vitória de presidente e pouco tempo depois ser demitido por conta de uma crise econômica causada principalmente por decisões tomadas pelo dito cujo.

Já vi gente desesperada com vitória de presidente e em pouco tempo ser muito beneficiado por decisões tomadas pelo dito cujo.

Já vi gente preferir contrair juros maiores em financiamento imobiliário (e olha o quanto isso aumenta o endividamento) por questões de ideologia. Ela era tão crítica dos bancos privados que queria fazer "a sua parte" financiando num banco público mesmo com taxas maiores...

Decisões de vida e de investimentos totalmente pautadas em questões ideológicas ou políticas não costumam dar muito certo. Me impressiona o que já escutei e reforço, até de pessoas inteligentes.

O que sempre ocorre em toda eleição para presidente: o eleitor de X afirmar: "Se ele vencer tudo nesse país vai melhorar. Caso ele perca, nós vamos perder tudo que conquistamos", aí o país vai se acabar, inclusive sendo motivo para se mudar para outro país, continente, planeta ou galáxia.

O óbvio: de 80% a 90% do que fez essas pessoas estarem onde estão hoje se devem a uma combinação diversa de fatores, sendo que principalmente as suas atitudes na vida, e não aos 20%-10% decorrentes do político que venceu a eleição. A não ser é claro que a pessoa dependa diretamente de empregos ou dinheiro desses caras.

Daí mando de graça aqui uma ideia de negócio incrível para ano de eleição presidencial: venda especializada de passagens só de ida para fora do país no domingo de resultado final da eleição, dedicado a aqueles que se desesperam quando o seu candidato perde.

7) SEU CANDIDATO VAI TE DECEPCIONAR UM DIA, NÃO SE ENVERGONHE DE QUEM VOTOU

Não querendo defender essa galera, mas é muito difícil conseguir seus objetivos na política sem sujar as mãos por conta da própria natureza do sistema.

Por melhor que seu candidato seja, ele vai te decepcionar em algum momento, é claro. Nem nossos entes mais queridos estão livres disso, quanto mais os políticos.

Taí o único voto que certamente não vai te decepcionar...

Ainda tem quem goste de apontar o dedo na sua cara perguntando se não tem vergonha de votar errado.  Eu nunca senti isso na vida por tudo que já expliquei aqui. 

Outros tem uma sensação boa de mesmo que seu candidato perca, ter feito a "coisa certa" na urna, como se isso fosse valer algo depois, usando a tradicional camisa: "Não olhe pra mim, eu votei em X" 

CONCLUSÃO

Bom, é isso. Mais uma reflexão/desabafo. Relembro que muito do que questiono aqui foram erros que eu também já cometi, não só o que percebo nos outros.

E por fim, eu sei que é muito lindo a democracia. Sou muito grato por viver num país em que todos os votos tem o mesmo valor, seja do rico ou do pobre.

Contudo eu ainda acho que tinha que ser apenas um direito e não um dever. Quem quer vai lá e vota. Concordo que isso também não é o fim do mundo, claro que irei votar mas principalmente pra não criar problemas pra mim. Se essa é a regra do jogo, vou seguindo.

E para encerrar, pra não dizer que só falo de tristeza e chatice na política, um dos raros momentos de grande alegria na politica brasileira, o mano Suplicy :D

sábado, 6 de agosto de 2022

CARTEIRA ZÉ BATALHA - Estava ruim antes mas agora bom demais pra ser verdade: +4,83% em julho e -5,19% no ano

Esse post seria pra falar das realocações da CZB e resultado no primeiro semestre, mas me atrasei e então percebi que o mês de julho foi muito melhor do que eu esperava. Como diria o poeta: "é melhor ser feliz do que ser triste", então vou me aproveitar disso pra divulgar meu resultado.

E enquanto escrevo isso e vejo a valorização já ocorrida na primeira semana de agosto, penso que está bom até demais pra ser verdade... 

Como todo bom peão, Zé Batalha fica logo desconfiado quando vê as coisa melhorando...

Em tempos como esse, realmente é de se animar ver um mês de julho onde a grande maioria dos ativos da CZB-Ações e CZB-USA valorizaram.

Chega a ser até engraçado todo o pessimismo que escrevi no post anterior. Adoro ler esses meus posts onde escrevo o que acho que vai ocorrer... risos... mas o certo é que a história ainda está sendo escrita.

DESEMPENHO DA CZB

Como diria meu amigo gestor da Carteira Damaia: sola muita sola muita em junho, mas quem não levou? CZB rendeu -3,46% no mês de junho e -9,56% no ano de 2022 até então.

Percebi navegando pelos blogs dos outros batalhadores da finansfera que em junho a CZB caiu mais do que a maioria por conta da exposição em USA e criptos que muitos deles não tinham.

Aí chegou julho e tudo ficou mais bonito: +4,83% no mês e -5,19% no ano. Destaque do mês para a CZB-Ações com +7,09%, quase zerando as perdas dela no ano e batendo os +4,69% do IBOV. E aí a exposição em USA e cripto ajudou bastante, pois esta última valorizou 41%!

Me impressiona ver a CZB rendendo -5,19% no ano, menos ruim que muitos desses aí... risos 

BOLETIM MACROECONOMICO BATALHA - ATUALIZAÇÃO

Começando pelo Brasil, tudo indica que chegamos ao fim do ciclo de aperto monetário com o mais recente aumento da Selic para 13,75%. Tudo indica que teremos no máximo mais um aumento de 0,25%. Mas penso que ainda deve demorar bastante pra começar a baixar os juros.

BC britânico adota maior alta dos juros desde 1995, a inflação americana passou de 9% no ano em junho e no último anúncio, o vetera Powell aumentou em 0,75% a taxa de juros e sinalizou que a inflação parece estar chegando num teto... mas será mesmo?

O certo é que o FED (e creio que todos os bancos centrais) sempre tenta passar um tom mais otimista e confiante para não apavorar os mercados. Quando analisamos os índices de inflação americana vemos que ela parece ainda longe de ser controlada.

Uma coisa que ficou clara nos últimos anos é que esses modelos baseados na curva de Philips não conseguem prever nem de perto o que vem a acontecer. 34 de 35 analistas previram inflação de 4% ao ano nos USA ao contrário dos 9% que temos hoje. O modelo é falho pois não consideram o choque de oferta, a impressão desenfeada de dinheiro, etc. 

Não é tão diferente do meu modelo mental falcão que aposta que a Selic vai chegar a 15% ou do meu bet que o São Paulo vai vencer por 3x2 o América-MG. 

O que eu posso dizer é que eu não confio nessa estimativas e não perco meu tempo me aprofundando sobre isso e muito menos me baseando nelas para uma tomada de decisão.

Como tratei no último post sobre economia, quanto mais analiso o cenário macro mas eu acho que a bolsa americana deve cair ainda mais e daí vem a desconfiança do ZB quando vejo tantas altas. 

Boto mais fé no que o vetera Larry Summers falou aí. Não sou tão pessimista quanto ele, mas certamente não estou otimista como o FED. Ainda mais quando vejo o relatório de emprego que acabou de sair bem acima do esperado, o que indica uma chance de maior aumento dos juros na próxima reunião do FED.

E por sinal, recomendo esse excelente post sobre a inflação que vivenciamos hoje, um problema mundial, fato.

DECISÕES TOMADAS EM RELAÇÃO A CZB

A decisão que já havia tomado de aportar mais em RF acaba por ser uma forma de fazer mais caixa, mesmo não sendo a minha intenção principal. Caso role essas quedas que imagino, poderia me aproveitar dele. Caso não role, ele rende cerca de 1% ao mês. Pra mim tá bom.

Há sim um risco de insolvência no Brasil com os gastos atuais na tentativa de reeleição e os possíveis gastos em 2023 dependendo de quem vença as eleições, mas ainda acho bem pequeno, até porque a arrecadação tem aumentado, muito bom pras contas públicas.

O momento mais propício para entrar forte em USA seria quando o FED indicar mudança de postura no aperto monetário, mas como é difícil acertar o timing penso que seria melhor ir aportando com frequência nas quedas que vierem a surgir.

Mesmo que seja assim... risos...

E o que eu deveria aproveitar em RV? Aquelas empresas TOP que caíram demais tanto lá fora como aqui. No próximo post devo detalhar mais a ideia.

Tenho me animado a aumentar alocação em FIIs. Quem já entende um pouco disso sabe que não se deve ter muita expectativa no aumento da cotação deles (normalmente o contrário do que se espera das ações), não precisa se preocupar tanto se tiver escolhido um FII minimamente sólido, mas sim em aportar o máximo que puder para aumentar o recebimento de proventos.

O momento de aumentar a meta de RF para 40% (hoje em 35%) está próximo. E isso não vem muito do cenário mundial, mas sim da minha vida, da realidade. Com o avanço da família, minha idade e dos Batalha pais, torna importante se ter reservas líquidas maiores.

Comprar TD IPCA 2026 em breve fica cada dia mais interessante. 6% + IPCA ao ano garantidos até agosto de 2026 e caso precise vender antes pode ganhar ainda mais quando chegar a virada na curva de juros.

Como citado nesse artigo concordo que o TD-IPCA pode ser uma ótima opção, desde que não seja dos mais longos. Interessante notar que por mais que a taxa de juros esteja aumentando para controlar a inflação, o consumo pode aumentar por conta dos cortes de impostos e pacotes de auxílios, que devem estimular a demanda e com isso puxar a inflação pra cima. 

Ou seja, o BC puxa a corda para um lado tentando controlar a inflação e o governo puxa para o outro lado, injetando dinheiro e estimulando o consumo. Nada impressionante aqui, políticos fazem de tudo para se reeleger. Cada um defende o seu. Segue o jogo.

E AS CRIPTO?

Nos últimos bear markets de bitcoin (2013, 2015 e 2018), ele caiu 80%, parecido com o que vemos agora. Não acho que ele vai se acabar, mas podem sofrer ainda mais com o que vier a ocorrer nos USA. Assim como os BCs, as criptos que foram heroínas antes, são as vilãs do momento.

Esse artigo que o greenBerkie compartilhou mostra muito bem como foram esses bear markets que citei. Recomendo a leitura.

POR FIM, O FAMOSO LONGO PRAZO

São momentos como esse que não podemos esquecer dele. Não vender desesperadamente, não interromper o processo. O maior erro, a meu ver, é não estar exposto aos benefícios do longo prazo. 

domingo, 24 de julho de 2022

Política - Desabafos e lições aprendidas - O direito à neutralidade e o respeito à opinião alheia

Essa postagem deve fazer parte de uma série que devo começar nesse período de eleições, que tem tudo pra ser tenso e louco no meio de tanta polarização política. 

É um período de empolgação e emoção para muitos e indiferença para outros (como eu). Eu sinceramente não perco mais um minuto da minha vida pensando no que vai ser das eleições 

Sobre as eleições 2022... Zé Batalha way

Faz anos que venho rascunhando sobre isso. Penso que é uma hora boa de postar pois deve servir também como um desabafo, uma reflexão dos últimos 10 anos de minha vida tentando entender como as coisas funcionam na política, o que só fez a minha fúria aumentar. Ao mesmo tempo reflito sobre erros que cometi nesse período.

Não sou de me arrepender tanto das coisas que fiz na vida. Mas tem essa que me arrependo: o tempo que perdi discutindo política em redes sociais e arranjando tretas. Até assistir corrida de sapo deve valer mais a pena. Acho que aprendi a lição pois tomo muito cuidado pra não mais entrar nessa atualmente.

Sou péssimo para conversar sobre política pois apanho dos dois lados e geralmente quem conversa sobre isso quer defender sempre um. Talvez seja um defeito meu e eu não tenha paciência nem maturidade para conversar sobre isso.

Tento me manter informado do noticiário pois sei sim que há influência no nosso dia a dia, mas aprendi a não me aprofundar tanto pelos motivos que já citei.

Hoje em dia, decidi nunca postar nada sobre política no meu Instagram. Quero que seja um lugar de alegria onde eu possa focar em curtir publicações de gatos.

Nas outras redes, eu ainda posto com bem menos frequência do que antes, nada que se leve muito a sério. Da política quero só os memes. Não quero estar em conversas que queiram decidir quem é o candidato melhor ou pior. 

Por sinal, enquanto escrevia aqui que esse ano deve rolar até morte por conta das eleições, vi no jornal que começou mais cedo do que eu pensava. Quero passar longe desses loucos. Torço por menos conflitos. 

O DIREITO À NEUTRALIDADE

Muitas pessoas acham absurdo que alguém não se posicione politicamente, dizem que há uma "obrigação de escolher um lado".

Uma menina de 13 anos ganhou uma medalha olímpica ano passado e tinha gente se preocupando se ela é ou será Lula ou Bolsonaro, pois acham que só assim valeria a pena lhe dar algum mérito... Nessas horas você se dá conta do ponto que as coisas chegaram. 

A vontade que dá nessas horas... mas não posso deixar que nada quebre minha harmonia, muito menos política

O direito de respeitar o voto a X ou Y deveria ser o mesmo de quem não quer votar ou fazer propaganda para nenhum deles.

Aí tem aqueles papos de "Quem não vota não pode reclamar", que discordo totalmente. Por que tenho que ser obrigado a escolher dentro de opções tão horríveis sendo que o próprio sistema me dá a opção de anular ou votar em branco ou de nem comparecer? Posso reclamar sim, pago meus impostos, tento fazer a minha parte como trabalhador e cidadão. 

Sei que muita gente deve me chamar de: "isentão", "isentinho", "em cima do muro", etc mas estou me lixando pra isso sinceramente.

Quem quiser entrar com tudo nessa, nada contra, seja você que luta contra uma "ditadura" comunista ou militar, mas eu quero estar bem longe desse debate e te desejo muito boa sorte na sua missão.

O problema não é a pessoa ser de direita ou esquerda. o problema é a pessoa ser chata. É esse tipo de gente que eu evito: gente chata. A vida é muito curta pra se perder tempo com pessoas desagradáveis.


THE BATALHA NO-POLITICS WAY

A contribuição do meu voto para o resultado das eleições do país é tão ínfima (sou 1 em 150 milhões) que eu não esquento com isso. Eu considero uma questão de matemática apenas. O resultado de todas as eleições seria o mesmo independente do meu voto.

Um dia eu faço um quadro desse gráfico pra colocar em casa!

Contudo, ninguém precisa e nem deveria ser como eu. Se você bota fé em algum candidato, quer fazer campanha pra ele, acredita que ele vai fazer seu país e seu mundo melhor vá em frente. Respeito sua escolha mas não conte comigo nessa missão, não tente me convencer de nada, pois já estou de saco cheio disso faz tempo.

E sabe por que estou de saco cheio? Como disse certa vez o finado Boechat, porque "há um grupo considerável de pessoas hoje que não querem uma opinião, mas sim uma adesão". Há quem consiga conversar sobre isso mesmo respeitando a opinião contrária mas são raros os casos.

Que tal só respeitar mais a opinião do colega? 


THE BATALHA WAY OF THINKING

Eu diria que há 2 tipos de pessoas nesse aspecto: as que tentam entender como o mundo funciona (esse sou eu) e as que acreditam que podem mudar ele com alguma luta.

Eu prefiro entender e jogar as regras do jogo, com o regulamento debaixo do braço. 

No que acredito: Há maiorias desorganizadas controladas por minorias desorganizadas. Adivinha de que lado eu e você que lê esse post estamos?

"Nunca subestime a sua capacidade de mudar a SUA realidade, mas sempre superestime a sua capacidade de mudar o país ou o mundo" [Zé Batalha] 

CONCLUSÃO

Quem sou eu pra julgar o voto, opção ou a crença de alguém. Quem são vocês para julgar meu voto, opção ou crença. Quem sou eu para julgar a escolha de alguém e quem é você para julgar minha escolha ou a minha indisposição em escolher alguém. 

Faça campanha pro seu candidato, comemore se ele vencer, chore se ele perder, faça o que quiser mas não encha o saco de quem não quer conversar muito sobre isso, não aponte o dedo na cara de quem não pensa igual a você, não seja essa pessoa.

Me julguem. Eu não estou tentando convencer ninguém aqui. Esse espaço serve apenas para escrever o que penso. Que bom que tem pessoas que pensam bem diferente de mim. Que sejam elas que decidam o futuro do país nas eleições.

Eu já vacilei muito nesses últimos anos cometendo muito dos erros que apontei aqui e devo continuar citando nos próximos posts. Esse desabafo deve servir como a consolidação dessa lição que aprendi, espero.

Só espero que acabe o quanto antes essa eleição e que a gente tenha um mínimo de paz nesse período.

domingo, 26 de junho de 2022

Inflação e aumentos nas taxas de juros mundiais - Bolha prestes a estourar? - Até onde tudo vai cair?

Depois de um bom tempo sem postagens, Zé Batalha está de volta.

THE BATTLE OF INFLATION

Um assunto constante e que deve continuar por um bom tempo aqui, mas trazendo para a nossa realidade: a única forma do peão lutar contra essa inflação é tentar compensar do lado da receita (claro se ele tiver essa oportunidade) e é isso o que venho tentando fazer.

Minha cara assim que chego no supermercado. Inflação medonha é essa.

THE BATTLE OF RECLASSIFICATION

Foram 2 meses de muita perseverança para mim e vários colegas de trabalho na luta para passar em um processo de reclassificação aberto pela empresa. Por isso estive mais ausente no blog.

Obtive 8 certificações e fiz um exame de proficiência de inglês nesse período. O que eu podia fazer eu já fiz, resta só aguardar se vai dar certo. 

Zé Batalha x Inflação

AUMENTO DA TAXA DE JUROS AMERICANA - O TAMANHO DO PROBLEMA

Depois de uma certa animação no último post em abril, a dura realidade parece que veio à tona.

Tenho estudado cada vez mais o cenário macroeconômico para entender a situação atual. E quanto mais analiso mas penso que as coisas devem piorar mais. Tentei até ser otimista no início do ano, mas não deu... rs

Podemos estar vendo o desmonte de algo que não começou na pandemia, mas sim em 2008, com essa política de estímulo dos mercados patrocinada pelo FED, massivas quantidades de dinheiro injetadas na economia americana até 2021. 

Agora parece muito óbvio e talvez não houvesse outra escolha, mas lá atrás é de estranhar que no meio de tantos "excelentes" economistas defendendo impressão desenfreada de dinheiro ninguém foi capaz de prever que teríamos uma inflação fora de controle a seguir. 

O coroa Jerome Powell focado na missão de imprimir dinheiro

Tanto o FED como o BCE imprimiram moeda equivalente a 2 gerações e parece que não sabiam que isso traria consequências inflacionárias. No caso do FED, foi um estímulo fiscal da ordem de 40% do PIB!

Agregado monetário USA (2008-2021). Repare no que ocorreu na pandemia.

Todos os banqueiros centrais parecem ter subestimado esse choque inflacionário. É a maior inflação das últimas 4 décadas nos USA e em boa parte dos países europeus. O Walmart teve a pior queda em um dia desde 1987: 17%. Não estão conseguindo repassar essa inflação.

Isso já parecia um problema em 2021 mas os BCs estão começando a agir só agora. ATÉ O JAPÃO tem hoje sua "tão sonhada" inflação.

Há uma pressão política muito forte para combater a inflação e com isso o jeito é aumentar a taxa de juros. O impacto deve ser grande, empresas vão quebrar, bolsas devem seguir em queda, tanto que o S&P já entrou em bear market oficial (tecnicamente, quedas maiores que 20% em relação ao pico do período). 

USA estão em pleno emprego. algo muito bom. mas para combater a inflação o preço a ser pago será o aumento do desemprego (#curvadephilips). A maioria dos modelos diz que ele tem que aumentar MUITO os juros para conter essa inflação.

Talvez só uma recessão é o que venha a trazer a inflação de volta aos eixos. Há quem acredite no "soft landing" (controlar o problema sem recessão) mas acho difícil.

E então esse mundo maluco de juros negativos parece chegar ao fim. Nunca tivemos taxas de juros tão baixas por tanto tempo e trilhões de dólares investidos nelas. 

E agora vemos um FED “hawkish”, que parece reconhecer ter demorado a subir os juros, menos otimista com crescimento e disposto a agir com uma política monetária mais restritiva, combatendo a inflação com tudo que pode, conforme vimos em sua recente alta de 0,75 pontos, a maior desde 1994.

É um duplo aperto monetário: aumento da taxa de juros e venda de títulos, reduzindo a quantidade de dinheiro no sistema.

Uma hora a conta chega, uma hora a festa tinha que acabar. Normal. Assim funcionam os ciclos econômicos, que podem ser bem agressivos, tanto pra cima como pra baixo...

E DAQUI PRA FRENTE - ATÉ ONDE PODE PIORAR?

Quando as coisas complicam, o dólar costuma subir, mais precisamente o dollar index. Mas não necessariamente o real vai desvalorizar na mesma proporção, vai depender do dinheiro que entra aqui.

Uma valorização do dólar causa problemas não só no USA mas no mundo todo, pois praticamente todo o mundo depende dele. Quando o FED aumenta seus juros, acabam levando outros países a fazerem o mesmo.

Com essa alta de juros o custo da dívida das empresas aumenta junto, o que pode ser o estopim para um crash. A guerra/tensões no Leste Europeu e a alta do petróleo pode agravar mais o problema. Sempre que o petróleo subiu demais uma recessão se instaurou. Se você juntar com a inversão da curva de juros fica ainda pior.

O quanto isso vai durar vai depender muito de até onde o FED vai seguir com essa política, o que vai ser ditado pelo crescimento da inflação.

Recomendo essa live que assisti com esse fera, que tem ganhado com a aposta na alta de juros USA. Assim como eu, ele acredita que os juros deverão subir mais do que o mercado precifica, que a inflação parece bem longe de ser controlada. Ele acha que o juro chega a 6%!

O que a Escola Zé Batalha pensa: que o FED deve aumentar juros até quebrar o mercado, e quando quebrar eles voltam a baixar os juros de novo; ou que o limite vai ser quando a taxa de 10 anos chegar a 5%-6%, o que talvez seria o ponto de virada nos ativos em RV. Não podem exagerar tanto no aumento da taxa de juros pois senão vai ficar muito difícil refinanciar a dívida deles, já a 120% do PIB. 

Se esticar demais quebra não só uma parte dos USA como do mundo. Acho que a bolsa cai até o FED mudar o discurso, sinalizar a reversão desse movimento, o que penso que deve demorar ainda. 

Antes o mercado chorava e o FED parava de subir juros, mas agora a inflação está tensa, e ele deixou claro que vai agir, mesmo atrasado.

BCs foram heróis por um tempo, agora serão vilões. A arma que foi usada por tantos anos agora é inútil, tendo em vista que juros baixos e injeção de dinheiro são exatamente a causa do problema atual.

Mas qual será o tamanho da porrada?

ESTIMATIVA DA ESCOLA ZB TENDO POR BASE O ESTOURO DA BOLHA DAS ".COM" 

Penso que não vai ser uma paulada seca, como foi o início da pandemia, com vários circuit breakers. Deve ser gradativo, com altas e baixas, derrubando tudo pouco a pouco...

Para tentar adivinhar o que pode acontecer precisamos entender o que ocorreu em um período similar e por isso trago o estouro da bolha no início dos anos 2000. Mas dê um desconto pra Escola Zé Batalha, pois como toda previsão é puro achismo, só coloco aqui pois o blog é meu e falo o que quiser... rs


Ou seja, uma queda de 75% em relação ao topo. A bolha das ".com" foi também o bear market mais longo da história, mais de 30 meses, superando até o da grande crise de 1929.

Apesar de hoje várias techs terem um negócio bem mais sólido, lucrativo e gerador de caixa (vide Microsoft, Apple e Google), ao contrário daquela época onde se vendia muita ilusão sem nada concreto, há uma questão macroeconômica complexa a resolver.

Então, trazendo para os nossos dias, o índice Nasdaq chegou ao topo de 16050 em 19/11/2021. Se ele perder os mesmos 75% vai para 4000, ou seja, de 11500 de hoje ainda tem muito pra cair. E se considerarmos o mesmo horizonte temporal essas quedas devem perdurar até 2023.

SERÁ???

CLARO que pode ser menos ruim que isso, mas também pode ser pior...

CLARO que estou falando aí só do Nasdaq (setor de TI), que tende a ser o mais afetado, mas ele vai puxar boa parte do S&P junto. 

E NO "BRAZIL"?

Situação fiscal aqui cada vez mais complicada com aumento de gastos característico em ano de eleição presidencial, pois todo governo faz de tudo pra se reeleger. Com isso expectativa de juros e inflação só aumenta.

No momento que escrevo Selic está em 13,25%, já com expectativas de novos aumentos. Seguro meu bet que ela chega a 15%.

Bom lembrar que a alta de juros daqui ainda nem refletiu a dos USA, o que nos obrigaria a aumentar ainda mais a nossa Selic pra acompanhar os constantes aumentos da taxa de juros. Acho também que a inflação, tida como controlada por muitos, pode demorar mais um pouco para ser contida.

Por outro lado, o Brasil já está bem avançado em seu ciclo de aperto monetário, então o real pode sofrer menos em relação a outras moedas de países emergentes nesse contexto, e talvez não precisasse subir tanto os juros como os outros.

Tem muita gente animada com a bolsa brasileira no menor P/L do século, ou seja, bem barata ao menos em teoria.


Mas as eleições estão pra chegar, e aí que o negócio pode ficar ainda mais louco. 

E COMO FICA A CARTEIRA ZÉ BATALHA?

Tema do próximo post, já engatilhado!

domingo, 3 de abril de 2022

IBOV e CZB decolando - Março de 2022: "Contra fluxo não há argumentos"

Nesse cenário de juros em alta a gente dava como certo que renda variável iria cair bastante. Mas todo dia é uma lição para o investidor perseverante. 

Então vem março e vejo IBOV fechando a +6,06% e a Carteira Zé Batalha de Ações a +12,59%! A CZB Geral fechou a +4,15%, quase que zerando as perdas do ano.
 
Parece que realmente contra fluxo não há argumentos pois houve uma entrada pesada de dinheiro estrangeiro pra cá. Esse artigo explica tudo: Em três meses, investimento estrangeiro na B3 tem saldo de R$ 67 bilhões | CNN Brasil

E esse fluxo não foi somente para pegar a Selic a 11,75% mas também pra comprar ações mais baratas que no resto do mundo, ainda mais quando uma das opções de emergentes (Rússia) meio que foi perdida com essa guerra.

Mas o mês de março não foi esse mar de rosas. Renda variável foi do inferno ao céu. Lembro que nos primeiros dias cheguei a ver uma perda de -2% na CZB.

Fechamento em 1º de abril. Os humilhados serão exaltados... rs


DÓLAR DEIXANDO A GENTE SONHAR?

Toda essa entrada de capital estrangeiro faz o real valorizar. O diferencial de juros (carry trade) só melhora com os aumentos da Selic, o Brasil é um dos poucos países com taxa real de juros positiva, balança comercial favorecida pela alta das commodities também ajuda. No momento que escrevo isso o dólar fechou a R$4,66, algo impensável há pouco tempo.



Em resumo, no meio dessa confusão o Brasil virou a melhor opção de investimento entre os emergentes.

Tensão política parece contida no momento, com tantos problemas piores no mundo. Acho que a eleição também não tem impactado tanto os investimentos quanto se pensava pois o centrão deve continuar forte (característico) e ele costuma não deixa passar projetos tão radicais, que assustam as vozes do mercado financeiro.

Além disso, é sabido que o mercado olha com desconfiança candidatos mais voltados à esquerda. Então quando Lula (que vem liderando as pesquisas) coloca um Alckmin (e não um Boulos) como vice, essa turma fica um pouco mais tranquila e com isso as cotações não caem tanto. Além disso, a maioria meio que já sabe o que esperar de Lula quando se considera como foi seu mandato.

MAS SEMPRE É BOM LEMBRAR

Qualquer discurso de não cumprimento do teto de gastos, de irresponsabilidade fiscal, ou seja, aquele populismo padrão em ano de eleição, em algum momento poderá fazer o dólar voltar a subir, então no segundo semestre quando a coisa se acirrar tudo pode ser diferente.

Bom lembrar que ao mesmo tempo que falei que as coisas poderiam melhorar a curva de juros indica que vem recessão por aí conforme falei aqui também.

domingo, 6 de março de 2022

A guerra Russia x Ucrânia e seus impactos na vida dos batalhadores

A gente começava a ter um pouco de esperança da pandemia acabar, de alguma coisa melhorar. Cheguei até a redigir um post sobre a tentativa de ser otimista em 2022.

Há quem tenha imaginado que depois dessa pandemia (que nem acabou ainda) a humanidade sairia melhor. Ledo engano. Aí vem uma guerra desgraçada dessas.

Que década é essa...

Putin se preparou faz muito tempo pra isso. Acumulou reservas em dólares, tem um representante do seu país chefiando o conselho de segurança da ONU e boa parte da Europa a seus pés dependendo do petróleo e gás russo (44% de suas importações vem da Rússia).

Mas a reação contra a Rússia impressiona cada dia mais. A quebradeira deve ser grande por lá pois eles vêm sofrendo um ataque "soviético" (perdoe a piada) de sanções de todo canto que se possa imaginar, até da neutra Suíça!


Bancos russos perderam acesso à centenas de bilhões de dólares dessas citadas reservas, que não poderão ser usados nem pra financiar a guerra, nem pra segurar a cotação do rublo. A exclusão da Rússia do Swift foi muito impactante também.

SITUAÇÃO ATUAL E POSSÍVEIS IMPACTOS

Fluxo (entrada de dólar) muito forte fez o real valorizar nas últimas semanas. O carrego (provocado pelos altos juros brasileiros) finalmente parecia fazer efeito pois o dólar chegou a bater R$5. Além disso, o investidor estrangeiro à procura de bolsas mais baratas acabou atraído pela brasileira.

Então com a guerra o dólar voltou a disparar. O Putin lascou com a Carteira Zé Batalha e todos os mercados mundiais. O conflito traz impactos MUITO fortes.

O agronegócio do Brasil deve ser bem afetado pois importa muitos fertilizantes e insumos agrícolas do Leste europeu, que devem ficar mais caros, assim como trigo, soja e milho (ferrando ainda mais a BRF...)

O petróleo é um caso à parte: o governo ainda está segurando os preços para a população (típico de ano de eleição), mas viajar de avião deve ficar mais caro. Minério de ferro também. E isso é só uma parte do problema.

Enfim, commodities em geral devem ter altas nos preços. O tal do super ciclo tão alardeado pode vir por conta de uma guerra. E o mais louco é que o Brasil pode até se beneficiar disso, por ser um país cuja economia é bem sustetada por esse segmento. Com mais entrada de dólar o real pode se valorizar mais.

Por fim, deve vir ainda mais inflação por aí. Com isso, juros podem subir ainda mais tornando a renda fixa pós fixada mais vantajosa. Segundo os estudos falcônicos da Escola Zé Batalha de Economia uma Selic de 15% é bem factível, o que vai ao encontro do que eu imaginava para esse ano: aportar ainda mais em RF. RV em sua maior parte deve ser penalizada.

inflação infelizmente deve continuar lascando os batalhadores... :(

Mas claro que tudo vai depender de quanto tempo vai durar o conflito. Putin contava com uma operação rápida e tudo está demorando muito mais do que ele esperava. O problema é que ele é do tipo que não quer demonstrar fraqueza, portanto não deve desistir fácil, 

E é isso que me preocupa: a Rússia deve pagar um alto preço na sua economia mas a destruição da Ucrânia deve ser grande. Isso pode acarretar coisas ainda piores no futuro. 

Muitas vidas se perderão de ambos os lados. Essa sim é a questão mais grave no momento. Que Deus ajude que isso acabe o quanto antes.

domingo, 6 de fevereiro de 2022

Meta-Facebook Down - A maior queda diária da história / A aposta no metaverso

No dia 3, a Meta/Facebook levou a maior derrubada diária da historia do mercado financeiro: $230 bilhões, uma queda de 26% das suas ações em apenas um dia. Mas o que isso pode significar?

"Pobre" Zuckeberg... perdeu $30 bi em apenas um dia... rs

REDES SOCIAIS E NEGÓCIOS

Ao comprar Instagram e Whatsapp, o Facebook fez uma jogada de mestre abocanhando alguns dos aplicativos mais utilizados pela população mundial.

Mas é difícil se manter no auge para sempre. O TikTok chegou ganhando uma boa parte desse mercado. Bateram 1 bi de usuários em 2021 com 5 anos de existencia.

THE BATALHA WAY

Tenho 42 anos. Pra minha geração é cada vez mais difícil acompanhar essas novidades pois temos coisas mais importantes pra fazer no mundo real. Então o uso das redes sociais cái bastante. Desligo quase todas as notificações e tento ficar no mínimo de grupos possível de whatsapp. Já falei até sobre minha relação com as redes sociais em um post antigo.

Mas não podemos fazer análise de umbigo e sim entender como a nova geração se comporta. Escutei certa vez de um especialista que há uma espécie de "etiqueta" de rede social que faz os mais jovens não suportarem entrar no facebook e ver os mais velhos postando coisas que "poluem" o feed. Pra eles é como ver alguém almoçando sem usar talheres. Então eles saem dali e vão pra outra rede, aí o Tiktok é a do momento.

Então refleti sobre isso. Quanto tempo será que o facebook se manterá no topo? Será que o whatsapp/insta/face de hoje morrerão como o orkut/msn messenger de ontem?

FACEBOOK NA CZB STOCKS

Essa queda serviu de alerta para repensar a alocação do papel na carteira mas antes disso já tinha essas coisas que citei acima que me deixavam com a pulga atrás da orelha.

Nunca consegui botar a empresa Facebook/Meta no mesmo patamar de Microsoft, Apple e Google. E até mesmo Amazon. 

Acredito que quem sustenta esse valor da empresa hoje é o Instagram (mas até quando?). Até então passaram por vários problemas mas ainda assim não deixou de crescer.

Evolução de usuários ativos

Contudo não dá pra negar a competência dos caras até então. Conseguiram sair de 250M de usuários ativos para 1,93B em 10 anos. Isso realmente é incrível. Mas pela primeira vez esse número apresentou uma redução. E foi aí que o mercado penalizou o papel. 

Some-se a isso o impacto da pressão da Apple que forçou o facebook a repensar toda a questão de privacidade dos seus aplicativos. A redução de informações de usuários disponibilizadas enfraquece o modelo de negócio da empresa.

A APOSTA NO METAVERSO

O facebook percebeu que o caldo ia entornar e então fez uma aposta de tudo ou nada no metaverso. Ao ponto até mesmo de mudar o nome da empresa para META.

Eu não consigo entender como isso pode dar certo, mas pode ser análise de umbigo mais uma vez. Acho que a maior parte da minha geração não tem a menor vontade de viver num avatar e usar um óculos de VR que dá dor de cabeça. MAS existe toda essa juventude que vive imersa nesse mundo e pode comprar essa ideia. Só o tempo vai dizer.

ENTÃO QUER DIZER QUE O FACEBOOK JÁ ERA?

Longe disso. A minha opinião é que eles continuam fortes, mas vai depender muito do investimento no metaverso, se isso der certo, para continuar crescendo como antes.

Não dá pra ignorar uma empresa com tais números. Billions and billions.

E o que vocês acham? É o começo do fim do Facebook ou ele ainda se manterá no auge?






sábado, 29 de janeiro de 2022

Tentando ser otimista em 2022

Estava revendo o meu post anterior, entre outros. Percebi que apesar de eu tentar ser realista ao escrever, falando só de inflação, crises, crashs e outras tretas, acho que dá pra tentar ser mais otimista, algo que na verdade sempre procuro ser.


O FUTURO DO BRASIL

Certa vez escutei algo que guardo até hoje: "A gente deveria olhar o brasil como um filme, não como uma fotografia". Houve muitos avanços nas últimas décadas, mas realmente há muito por fazer ainda. E exatamente por isso há mais espaço para crescer. Nos USA já está quase tudo feito por assim dizer...

Sobre o que vai ser do Brasil, independente de quem vença as eleições, me lembrei do que escutei em um podcast recentemente: "Nem Suíça nem Venezuela, continuaremos sendo Brasil". 

Já houve momentos recentes da nossa história em que o mercado precificou muito mal certos candidatos que depois de eleitos não causaram tanto mal como se esperava, pelo contrário, a maioria das coisas até melhorou, inclusive a bolsa.

Se ocorreu uma vez, PODE vir a ocorrer de novo.

BOLSA AMERICANA CAINDO SEMPRE ARRASTA A BRASILEIRA JUNTO?

Eu já afirmei isso com tanta certeza, por tantas vezes, inclusive no último post. Mas a verdade é que isso não é uma ciência exata.

Basta ver como o ano começou. 

Muitos falaram que o fluxo estrangeiro buscando ativos baratos poderia atrair capital para a nossa bolsa e com isso puxar pra cima ações locais. E isso está acontecendo nesse momento. Até convite da OCDE o Brasil recebeu.

O mercado americano parece sofrer uma correção, já que se valorizou muito mais que o brasileiro nesses últimos anos. Há um fluxo direcionado para mercados emergentes em geral, e com isso a bolsa brasileira vem subindo quase 8% no ano no momento em que escrevo.

Vejam só o mês de janeiro: S&P caindo e IBOV subindo. Para quem está comprado em ativos brasileiros isso pode ser um bom sinal.

Basta o IBOV subir um pouco que a gente fica assim...

Mas até quando dura essa alta? Penso que até o mercado começar a surtar por conta de notícias relacionadas a eleição. Claro que não sabemos como vai ser até o final do ano, mas essa alta já vem chamado a atenção de muita gente.

RENDA VARIÁVEL CONTINUA NA CZB É CLARO

No post passado fal algo que deve ter ficado mal interpretado. Eu não tento perder muito tempo para adivinhar o futuro. Tento sim seguir o meu plano.

O motivo de eu estar priorizando aportes em RF não é por ter desistido da RV. É pelo fato de eu querer bater minha meta de alocação 35% de RF / 65% de RV, pois esse é meu plano atual. Hoje está em 31%/69%. Se a RF subir mais que a RV talvez nem precise aportar tanto. 

O COMEÇO DO FIM DA PANDEMIA?

O avanço da vacinação somado a agressividade no contágio da Omicron no sentido de que pode apressar uma possível imunidade de rebanho PODE representar o começo do fim da pandemia, se não surgirem variantes mais perigosas. 

Isso é bom pra retomada completa da economia mas MUITO melhor para reduzir a mortalidade dessa terrível pandemia.

E independente de como vão ficar os investimentos é o que eu realmente mais desejo é que o fim da pandemia esteja cada dia mais próximo.

sábado, 8 de janeiro de 2022

Batalhanomics - Finanças e Economia - Resultados 2021 (CZB +3,5%) - Expectativa 2022

TRETAS MUNDIAIS

O FED passou um bom tempo declarando que a inflação seria temporária, mas finalmente admitiu que é menos transitória do que se esperava. Os preços continuaram subindo.

O que causou isso: escassez e atrasos de suprimentos relacionada à pandemia e escassez de mão de obra somados à demanda crescente do consumidor. O mundo parou e o processo de reabertura ainda se mostra difícil.

Situação parecida ocorreu na Segunda Guerra Mundial. Mas uma hora as cadeias de suprimentos e a vida voltou a algo mais próximo da normalidade, aí a inflação voltou a ceder a níveis mais “normais”. 

Voltando ao nosso tempo, a Evergrande suscitou incertezas de até quando dura esse modelo econômico chinês, ainda mais quando vemos que lá tem apartamentos vazios suficientes para a população da Alemanha. O setor de construção civil responde por cerca de 25% do PIB chinês. Impacto mundial é enorme pois a China tem puxado o crescimento do mundo. 

EXPECTATIVA 2022

Começando 2022 no Brasil e expectativas

Sobre previsões há um grande filósofo da região que fala exatamente o que penso. Quem quiser conhecer confira o vídeo apenas para ver o que ele diz em 2:48.

Quando seria essa volta da normalidade? Fica mais difícil ainda prever com a ameaça da Omicron. O problema pode se agravar se ocorrer mais uma quebra da cadeia produtiva. Os Bancos Centrais seguirão no desafio de aumentar juros para conter a inflação sem retrair o consumo.

Há quem ache que o câmbio pode estar já bem esticado, que o risco-retorno para o Brasil pode ser mais favorável por conta disso e que a bolsa já caiu demais, mas eu não compro essa ideia. Como já falei nesse post é ano de eleição, então o bicho vai pegar. Volatilidade vai ser braba. 

Penso que declarações populistas de candidatos loucos pra vencer (e serão muitas) farão o cenário fiscal se deteriorar ainda mais e com isso a renda variável deve ir junto. 

Gastos com auxílios subiram de R$36bi pra R$100bi por ano. O que o governo dá com uma mão a alta do dólar provocada pela incerteza fiscal deve tirar com a outra, pois isso faz a inflação subir ainda mais.

O que há de mais certo é o plano do FED. A ata do FOMC veio mais dura e convicta da alta de juros esse ano e o fim do tapering. A redução dos estímulos será bem mais forte e ainda com 3 altas de juros previstas, terminando em 1% no final do ano.

No pior caso as seguidas altas de juros nos USA podem fazer nosso cambio depreciar ainda mais forçando uma alta maior da Selic. 

A bolsa brasileira fechou o ano em queda forte enquanto lá fora o mercado rompia máximas. Avalie o que pode ocorrer aqui se a bolsa lá fora cair, o que pode muito bem ocorrer com essa alta de juros. Qualquer espirro lá fora tende a causar uma pneumonia aqui. 

E A NOSSA SITUAÇÃO COMO FICA

EUA exportam essa inflação para o mundo todo e por isso o Brasil também não escapa. Juros devem seguir aumentando para combater a inflação.

O que mais impressiona é que mesmo com um carrego atual de 9,25% de juros BR (e crescendo) contra 0,25% US o dólar nem assim está baixando. 

No momento juros curtos estão mais altos que os longos. Praticamente todas as escolas de economia que se prezem defendem a teoria que quando isso ocorre é sinal de início de retração da economia. O profissional Kobori explica bem pra caramba isso. Em resumo é uma quebra da hipótese da preferência da liquidez que diz que o normal é que quanto maior o prazo maior o risco.

Por tudo isso acho difícil o país crescer tanto como muitos pregam. Mas se tem uma coisa que essa pandemia mostrou foram as exceções mais loucas possíveis. Só resta aguardar.

E para lascar mais ainda o peão vemos cada vez mais comuns os casos de "reduflação".


CARTEIRA ZÉ BATALHA

Zé Batalha aguentando mais um ano de sola na carteira. Vem tranquilo.

CZB sofreu com um rendimento pífio de +3,5% obtido (não muito diferente de 2020) e isso graças a parte dolarizada da carteira e as cripto. Perdendo feio pra inflação que deve passar dos 10%. O que me consola é que não estou só nessa. Até muitos gestores profissionais levaram uma surra esse ano. 

CZB-Ações: -16,72% (IBOV -11,93%); CZB-FIIs -6,19% (IFIX -2,29%); CZB-Cripto +196,90% (BTC +74,38%); CZB-USA +36,01% (28,7% S&P); CZB-RF +4,5%.

Mas foi um incrível ano de proventos, o melhor da história da carteira.

Os FIIs da CZB tiveram um novembro terrível (-5,76%) mas um dos melhores dezembros da história (+11,07%).

No final do ano passado vendi 20% do que tinha em cripto, algo raro pra mim que não costumo realizar posições. Segui o plano que citei nesse post. Cada real que investi desde 2017 virou R$20. Então embolsei R$4 de forma que já garanto um lucro caso um dia eu perca essas cripto ou ocorra algum crash louco.

Vemos que hoje o bitcoin não tem mais aquela descorrelação antes imaginada com os ativos financeiros tradicionais porque ele já meio que faz parte desse mundo também, ainda mais com os fundos liberados pela SEC no ano passado.

Por fim, batendo papo com o gestor da CPM peguei ideias para otimizar a administração da carteira. Aderi ao StatusInvest e migrei as planilhas relevantes para as nuvens do Google e Microsoft. Perdia tempo demais com isso no fechamento de cada mês.

PLANOS PARA A CZB EM 2022

Aportar ainda mais forte em RF. Acho que pelo menos uns 70% da grana que sobrar pro aporte tem que ir pra ela. TD-IPCA está pagando cerca de 5% ao ano + inflação se levar até 2026, o que daria 15% agora. Em algum momento a inflação deve desacelerar e a expectativa de juros deve começar a cair. Se a situação piorar é só segurar até o vencimento.

O bom da RF é que dá menos trabalho. Em vários casos não precisa saber se está barato ou se preocupar em vender na alta como ocorre na RV. Não é preciso gastar tanto tempo caçando ativos.

Aportes em RV devem continuar na CZB mas serão inferiores aos da RF pelo fato de eu não encontrar opções boas o suficiente. Pretendo continuar aportando em FIIs aproveitando os proventos que vão caindo na conta. 


Numa live recente dos mestres Baroni e Bacci, eles trataram de algo que me fez pensar e reforçar ainda essa ideia. Há vários bons FIIs que no meio da pandemia não obtiveram nem a correção do IGPM nesse período de forma que se ele era R$100 há 3 anos atrás e agora continua R$100 ele deve estar uns 50% mais barato.


FELIZ 2022 A TODOS! MUITA SAÚDE PRINCIPALMENTE!