AdSenseV

sábado, 26 de dezembro de 2020

The Battle of 2020 - A Batalha de 2020

Reflexões sobre 2020

No post de fechamento do ano passado falei que as batalhas seriam grandes em 2020, mas nem no meu dia mais pessimista eu poderia imaginar o que a gente passou neste ano. 

Eu inclusive cheguei até a subestimar e desdenhar da ameaça Covid em fevereiro. Mais uma da série "The quieter you become the more you can hear".

Foi duro para todos. Isolamento, distanciamento, perdas de entes queridos, empresas fechadas e empregos perdidos.

Um dia normal desde o começo da pandemia em 2020 para os batalhadores

ANÁLISE DO 2020 DO ZÉ BATALHA

Analisando o que planejei consegui manter uma vida bem mais tranquila nas redes sociais tentando focar mais no que vale a conversa. Por sinal pretendo ainda dobrar essa meta.

Já a atividade física que já era fraca ficou preocupante pois nem meu futebol eu estou jogando por conta da pandemia, uma das coisas que mais gosto de fazer na vida. Preciso tomar vergonha e fazer exercícios físicos.

Nada contra quem ainda ainda joga bola. Não tenho medo de pegar Covid, mas sim de passar pros meus coroas ou pra minha sogra, pessoas de maior risco com quem convivo.

Foi um ano pra repensar muita coisa. Sigo com minhas ideias, mas refleti bastante sobre alguns pontos de vista, tais como a participação do estado na economia, em posts como esse.


"TANTO NO PROFISSIONAL..."

Foi um ano de muita perseverança no trabalho, muito estudo e cursos, tendo em vista um forte incentivo da empresa. Trabalhei/estudei do mainframe ao blockchain, do ASP Classic ao React.

Mas já fiz muito curso. O negócio é tentar colocar em prática agora. Tenho procurado arranjar algo para aplicar o que aprendi. Se não for possível no trabalho, em projetos pessoais.

Quando falo com colegas próximos vejo que foi um ano que trabalhamos muito para a digitalização de serviços do país. Com a pandemia, empresas como CEF, Serpro e Dataprev tiveram que se desdobrar para fazer em poucos meses algo que seria feito em vários anos.

Em outubro fiz um investimento para melhorar o parque tecnológico Batalha. Como tratei nesse post o meu desktop antigo era sofrido. 

Agora estou com uma ótima máquina, um AMD Ryzen 5 3400g com 16Gb de RAM e um SSD de 240Gb. Tem me servido muito tanto para o trabalho em home office quanto para meus projetos pessoais.

Por sinal, gostei muito de trabalhar de home office, mas aponto uma grande desvantagem: se perde muito tempo com configuração de ambiente e máquinas. 

Por vezes perdi tempo tentando resolver um problema e quando vi era a VPN que estava fora, ou era algo que podia ser acessado por uma VPN mas não pela outra. O cara acaba tendo que aprender mais sobre redes também. Por um outro lado, foi um grande aprendizado.

Outro desafio em alguns momentos, para quem tem filhos, é se concentrar na tarefa e conciliar o tempo com as tarefas domésticas e etc.
 
 
"...COMO NO PESSOAL"

Sobre o blog e redes sociais

Sobre as reflexões de ainda ter esse blog, que faço por que gosto, não tenho retorno financeiro. Percebi que escrever aqui me ajuda a organizar as ideias, registrar entendimentos que podem ser consultados no futuro, 

Rever como o que penso pode mudar com o tempo (e isso faz parte da vida, acredite) e até debater com pessoas que tenham o mesmo interesse no assunto concordando ou discordando de mim, mais de uma forma muito mais construtiva e educada do que pude vivenciar nas redes sociais.

Ainda assim este ano vi que há um lado muito bom nas redes sociais que tanto questiono. Esse lado bom ocorre quando alguém tenta ajudar o próximo sobre algo que ele tenha mais experiência. 

Hoje tento me focar mais nisso: ensinar e aprender.

Outra coisa que tenho refletido é que no mundo de hoje você precisa se expor de alguma forma para se desenvolver. A participação que vi nas comunidades e redes sociais nas imersões da Alura, onde as pessoas se ajudavam bastante, e artigos como esse me fizeram chegar a essa conclusão. 

"When we expose ourselves on the Internet, we are subject to all kinds of responses, good or bad, and it is important to know how to deal with both
Or, if you are like me, your motivation for writing articles may come simply from the desire to share knowledge with others and to want to observe and analyse points of view and opinions different from yours.
You do not need to write with the aim of becoming famous, but to register your knowledge for yourself, creating an archive of useful information that you can search for when you need it."


Algo que me também me ajudou nessa conclusão foi o fato de ter conhecido excelentes profissionais na área de TI que não tiveram o reconhecimento merecido muitas vezes porque quase ninguém sabia o que eles estavam fazendo.

O "novo normal" da pandemia

Essa vida que a gente tem levado pode deixar muita gente louca ou mais louca do que já era.

Creio que fui pouco afetado pelo isolamento. Se isso me deixa feliz por um lado ao mesmo tempo me deixa um pouco preocupado. Pois eu sinceramente não senti muita falta do trabalho presencial...

Claro que há parentes e amigos que gosto muito e sempre é ótimo estar com eles, mas sinceramente não sinto muita falta de reuniões (tirando o meu futebol rs...) com muitas pessoas. E acho que ultimamente gosto muito mais de escrever do que falar, o que claro, pode não ser tão bom assim também...

Longe de ser psicólogo, mas às vezes acho que vivo o tal do dilema do ouriço... rs

E isso vale para outros meios também. As pessoas querem conversar no WhatsApp. Eu só quero as figurinhas. Não quero saber da vida dos outros, se fulano casou, comprou carro, ou terminou relacionamento. Disso estou bem convicto.

Por fim, sei que o fato de estar com minha mulher e filha todos os dias me faz muito privilegiado de poder superar esse período. Para quem mora sozinho ou tem problemas psicológicos foram e ainda são dias terríveis.

Que seja um feliz 2021 para todos vocês, batalhadores!



domingo, 15 de novembro de 2020

A revolução do PIX e a novela Cielo-Whatsapp x BACEN

Esses próximos dias serão muito importantes para o país. Mas se você me conhece sabe que não estou falando de eleição, mas sim aguardando a chegada do PIX, que promete ser uma revolução e iniciará oficialmente suas operações amanhã, dia 16/11.

O QUE É O PIX?

O PIX é uma nova plataforma onde bancos e fintechs poderão prover serviços de pagamento e transferência de valores de forma gratuita (para pessoa física), funcionando 24 x 7.
Para usar basta associar uma chave aos seus dados bancários, que pode ser: CPF, email ou telefone, por exemplo. Isso vai poupar a gente do trabalho que dá pra pegar banco, conta, agência e CPF toda vez que for transferir dinheiro pra alguém. É um saco. Além disso não vamos mais pagar as tarifas que ainda são cobradas pelos bancos tanto no caso de TED como de DOC (que não faz mais sentido agora).

Pra quem é de TI fica mais fácil entender o PIX vendo ele como um DNS da sua conta bancária real. Se você mudar de conta ou banco a pessoa que te transfere dinheiro não vai precisar saber.

Há um limite de 5 chaves e isso explica a concorrência dos bancos querendo você nessas últimas semanas pois eles não querem perder clientes para as fintechs. Ressuscitaram até a Ana Paula Arósio...

Você pode associar essas chaves a uma conta corrente, poupança ou carteira eletrônica, tais como Picpay e Mercado Pago. Por exemplo, você pode associar CPF pra o Santander, telefone pra Caixa e e-mail pra o Bradesco, etc. 

Segundo especialistas, a chave mais segura é o CPF, pois você nunca vai mudar até o fim da sua vida. Linha telefônica e conta de email a pessoa pode perder se for hackeada.

OS MAIORES IMPACTOS 

A transação é diretamente processada pelo nosso sistema de pagamentos, o que deve tornar tudo mais rápido. A segurança deve ficar por conta de cada instituição bancária.

Hoje um pagamento por cartão é feito assim: você passa o cartão -> credenciadora (maquininha) -> bandeira do cartão (VISA/MASTER etc) -> emissor (banco). A transação é aprovada e aí o caminho reverso é percorrido. O estabelecimento é cobrado por meio de uma taxa.

Com o PIX não há mais necessidade de percorrer todo esse caminho. Pode ficar ruim para as empresas de maquininhas (adquirentes), bandeiras de cartões e processadoras que ganham muito com essas transações.

Por outro lado o custo zero do PIX para pessoa física deve democratizar mais a utilização desses serviços pela população.

As fintechs passarão a contar com uma rede de aceitação muito maior, sejam bancos digitais (Nubank, Inter, Original) ou carteiras digitais (PagSeguro, PayPal, Mercado Pago, Apple Pay e PicPay), 

O PIX pode provocar o surgimento de outras empresas de tecnologia e serviços financeiros e a criação de novos modelos de negócio. Não há mais necessidade de criar uma plataforma própria para soluções financeiras, bastando somente uma API chamando o PIX.

O MAIOR VENCEDOR: O CONSUMIDOR

Abertura de mercado costuma quase sempre ser bom para o consumidor. O BACEN tem trabalhado pra isso com o intuito de gerar competitividade. E isso não vem de hoje. Tudo começou com a quebra do monopólio das maquininhas em 2009.

O estimulo de concorrência tende a diminuir os custos de transação. A adoção do PIX deve reduzir a informalidade, evasão de divisas e aumenta a rastreabilidade com a menor utilização do dinheiro em espécie.

Os pagamentos digitais serão muito mais práticos. O lojista pode gerar o QR Code para o cliente pagar na hora. Seria o fim do boleto (pra mim uma ótima notícia) e do cartão de débito? 

O crédito será pouco afetado pelo menos no momento. A população usa muito o parcelamento.

Mas já está nos planos do BC uma versão de pagamento pré-datado do PIX, permitindo parcelamento, prevista para julho de 2021, o que afetaria consideravelmente o mercado de cartões de crédito.

Nessa live do Serpro pude obter ainda mais detalhes com a turma que desenvolve o sistema. Eu só fui saber agora mas o BC até tem conta no Github

As possibilidades que se abrem com o PIX são inúmeras. Já se fala de usar a plataforma para o FGTS digital, pagamento de energia pré-paga com a ANEEL, liberação imediata da energia via IOT pelo relógio do registro, e há ideias até de pagamento QR Code sem conexão internet para 2021. 

Em 2024 se projeta a compra de imóveis via PIX, que dependeria de um blockchain de registro das transações. Creio que seria quase impossível de implementar pois tem muita gente grande que faria oposição a isso mas seria o primeiro passo no grande sonho da população de acabar com os cartórios.

IMPACTO NO E-COMMERCE

Cheguei a ver em outra live com um dos cabeças do projeto algo incrível: metade dos boletos emitidos no país não são pagos!

Com isso o E-Commerce também deve se beneficiar. No Brasil fala-se que há casos de empresas que em momentos de promoção, tipo uma Black Friday, covardemente compram todo o estoque do concorrente no boleto (e claro que não pagam) só para inviabilizar as vendas dele.

Agora a loja pode fazer um desconto de 12% no PIX por exemplo.

O QUE EU ACHAVA ALGUNS MESES ANTES

Aí você deve pensar depois de tudo isso: esse cara é fã de carteirinha do PIX desde o início do ano.

Mas a motivação de toda essa pesquisa foi o dia que vi o BACEN suspendendo a plataforma de pagamentos via whatsapp da Cielo, o que achei na época um grande absurdo. 

Fiquei até postando coisa em rede social "revoltadinho" (talvez por ter ações da Cielo, o que torna minha atitude ainda mais idiota... rs) achando que ia mudar o mundo...

A impressão que tive é que o Brasil continuava punindo quem tenta ser competente e inovador, apesar de que eu até acho que isso ainda ocorre com frequência.

Pensei no esforço que foi feito pela empresa para lançar esse produto, que o BACEN suspendeu por não ser capaz de lançar o PIX antes.

99% da população que tem smartphone tem o whatsapp instalado. Seriam mais de 100 milhões de beneficiados num momento crítico, em plena pandemia. Imagina pedir o seu lanche pelo whatsapp e já pagar direto pelo aplicativo com segurança.

Mas depois de tudo que pesquisei desde então para ter uma opinião mais embasada me veio uma lembrança das maiores reflexões da filosofia Zé Batalha



Hoje em dia muitos tem o costume de opinar, e não há nada de errado nisso. Eu mesmo sou um exemplo disso com esse blog. 

A questão é a convicção com que você fala algo precisa ser calculada pois em boa parte das vezes não temos todos as informações necessárias referentes a aquilo que a gente critica

O QUE ME FEZ MUDAR DE IDEIA

O whatsapp precisa de alguém conectado ao SPB, no caso a Cielo. Diante de tudo que expliquei, o PIX vai ser muito importante pois o próprio whatsapp deve se conectar à plataforma posteriormente. Inclusive o próprio Roberto Campos Neto, presidente do BACEN, já afirma que o Whatsapp Pay será aprovado em breve.

A ideia do PIX é transferir de um celular pra outro sem depender de banco ou aplicativo. Ninguém deve ser obrigado a ter o whatsapp instalado e isso é ótimo.

Na China o Ali Pay e WeChat Pay tem mais de 1 bi de usuários, quase que um monopólio do mercado. A intenção do BACEN foi exatamente evitar isso. O Whatsapp Pay começaria com dezenas de milhões de usuários no Brasil e poderia inviabilizar a futura adoção do PIX.

REAL DIGITAL NO FUTURO?

O PIX é um grande passo para a adoção futura do Real digital. É algo que o BACEN já vem se preparando desde agora.

Há uma demanda que precisa ser atendida e as nações já se deram conta. Na Europa a Christine Lagarde já fala de estudos para um Euro digital.



O Brasil continua sendo um das maiores em tecnologia bancária no mundo. Creio que o PIX vai ser muito bom para o país.

sexta-feira, 6 de novembro de 2020

Problema no node-gyp ao preparar ambiente Angular no Linux Mint - "gyp err stack error make failed with exit code 2"

Uma das desvantagens de trabalhar em home office são essas situações que surgem ao configurar ambientes que fazem a gente perder um bom tempo.

Principalmente se você trabalha com desenvolvimento de sistemas, feito eu. Enquanto eu estava usando o Linux Mint, as máquinas do trabalho todas são Ubuntu 18.

O PROBLEMA

Um problema bem chato que levou um bom tempo para descobrir a solução, similar a esse que foi relatado no stackoverflow.

Ao preparar a máquina para trabalhar com um sistema desenvolvido em Angular me deparei com um erro pois sempre o node-gyp era chamado para compilar alguns módulos tais como o node-sass.

Verifiquei que na máquina de todos os colegas não ocorria, somente na minha. Tanto no meu desktop antigo (Mint 19.3), quanto no notebook (Mint 19.1). Versão node 12.18.3 e npm 6.14.6. A máquina de todos eles era Ubuntu. Por que não mudei pra ele então? Porque não queria ter que preparar ooooutro ambiente!

Ao final do npm install dá esse erro:

gyp ERR! build error 

gyp ERR! stack Error: `make` failed with exit code: 2

(...)

gyp ERR! System Linux 4.15.0-20-generic

gyp ERR! command "/home/windson-serpro/.nvm/versions/node/v12.18.3/bin/node" "/home/windson-serpro/git/serpro/editais/editais-suiterfb-frontend/node_modules/node-gyp/bin/node-gyp.js" "rebuild" "--verbose" "--libsass_ext=" "--libsass_cflags=" "--libsass_ldflags=" "--libsass_library="

gyp ERR! cwd /home/windson-serpro/git/serpro/editais/editais-suiterfb-frontend/node_modules/node-sass

gyp ERR! node -v v12.18.3

gyp ERR! node-gyp -v v3.8.0

gyp ERR! not ok 

Build failed with error code: 1

De tudo que pesquisei, se falava que eu tinha que instalar o build-essential para a compilação via make rodar. Sugeriam várias outras bibliotecas mas vi que não resolvia também.

Segui outra referência que apontava que eu deveria remover o package-lock.json, a pasta node_modules (se você realmente trabalha com node já fez isso milhares de vezes...) mas além disso a pasta oculta .node-gyp e então instalar de novo o node-gyp. Também não resolveu...



A SOLUÇÃO

Analisei o problema mais a fundo com um colega. Vimos que tinha um passo que ocorria na minha máquina mas nunca na dele: essa compilação do node-gyp

O node-gyp serve para compilar módulos nativos, mas isso não deveria ser necessário nesse caso, e ele parecia tentar compilar o node-sass e com isso sempre dava erro no meu ambiente.

Portanto toda vez que eu rodasse o npm install e surgisse uma pasta oculta .node-gyp na minha home, era sinal de problema.

Fomos tentando outras versões do node até que eu fui bater na versão de sistema do Mint 19.1: a 8.10.0, bem antiga.

E então pela primeira vez o npm install rodou sem os erros do node-gyp

Ou seja, quando está tudo OK ele encontra o binário da biblioteca, no meu caso o node-sass, e não precisa chamar o node-gyp.

Ao rodar o npm start, depois ainda deu um erro de dependência pois não achava a dependência quill.

Então foi só dar um npm install quill e depois o npm start que a aplicação rodou normalmente



quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Carteira Zé Batalha de FIIs - Impacto da Pandemia de Covid-19

Conforme prometido, ao final do post sobre a CZB de FIIs, venho relatar os impactos do Corona Crash nesta carteira.

COMPLEMENTANDO - RISCOS DOS FIIs

Completando o que falei no post anterior, ao investir em renda variável, sempre é bom lembrar dos riscos, por isso recomendo bastante as seguintes referências:

1) Nesse post no fórum do Bastter, há uma longa discussão sobre riscos dos FIIs, com gente muito capacitada opinando

2) Um ótimo vídeo com o professor Andre Bacci sobre a possibilidade de chamada de capital:

Resumindo: não temos nenhum caso reportado de chamada de capital, ou seja: o pior caso, quando você além de perder tudo que investiu, fica obrigado a ajudar no pagamento dos prejuízos porventura ocasionados. Poucos sabem disso, mas isso pode ocorrer em fundos de investimento multimercado...

Mas, estamos no Brasil. Vai que alguma decisão judicial louca determine algo assim para os FIIs. Ainda assim há a chance de você ver o problema antes e vender suas cotas.

Baseado em tudo que pesquisei e principalmente no parecer dos especialistas das fontes que citei, eu acho muito improvável. O fato de investir em FIIs muito sólidos mesmo que não paguem um DY tão alto me deixa mais confortável.

QUEDA DOS RENDIMENTOS NA PANDEMIA

Vimos no auge da pandemia que muitos FIIs tiveram que reduzir ou até suspender o pagamento dos dividendos mensais.

Colocando por base o mês de janeiro, a queda chegou a 48% em maio. Os shoppings foram terrivelmente afetados. Logística foi o que menos sofreu.

O que mostra mais uma vez a importância de uma carteira diversificada com bons ativos.

O gráfico abaixo mostra como ficou a situação do pagamento de dividendos mensais da CZB de FIIs. Estou considerando a soma dos rendimentos por cota de cada um dos 10 FIIs presentes na carteira que mostrei no post anterior.


Começamos o gráfico da CZB-FIIs em fevereiro com um valor de R$7,29. Vemos que chegou a cair 43,07% em maio quando bateu R$4,15. Chegou no nível mais baixo em agosto (queda de 44,58%) pois esse foi o mês que FIGS não pagou nada e XPML pagou somente R$0,03 por cota. Ambos de shoppings.

LIÇÕES APRENDIDAS 

Dizem que os inteligentes aprendem com os próprios erros e os sábios com os erros dos outros. Vamos tentar ser sábios.

Antes da pandemia eu vi formador de opinião que vendeu tudo que tinha para ficar 100% alocado em FIIs para viver somente dos rendimentos deles, sendo que tinha mais de 70% alocado em shoppings...

Imagino como estava a cabeça dessa galera no auge da pandemia com uma redução tão drástica dos rendimentos mensais dos shoppings ainda mais quando não havia nem estimativa de um retorno das atividades destes. 

Tinha até gente usando FII como reserva de emergência!

Tem muita gente que investe em FIIs confiando apenas no VP (Valor Patrimonial) sendo que este é calculado somente no final do ano e não é lá muito preciso ainda mais num momento como o que vivemos agora.

PERSPECTIVAS

FIIs de logística devem crescer junto com o e-commerce. Parece algo inevitável. Talvez este seja o único segmento resiliente nessa pandemia.

Shoppings devem sofrer por mais tempo. Mas um dia essa pandemia acaba. 

Muitos afirmam que FIIs de escritórios e lajes corporativas devem ser bem afetados por um bom tempo também. Até entendo mas não dá pra imaginar que todos irão passar a vida toda trabalhando de home office.

terça-feira, 13 de outubro de 2020

Carteira e Análises - Zé Batalha - 3º Trimestre de 2020 - As incertezas de sempre...

CENÁRIO ATUAL

Foi um trimestre no qual descobrimos até que dá pra perder dinheiro em Tesouro Selic, por conta da dificuldade de rolagem da dívida que não ocorria desde 2002. Eu particularmente não sabia que ele podia render negativo em alguns momentos.

Apple, Amazon, Facebook e Google chegaram a valer mais de 5 tri, o PIB do Japão, terceira maior economia do mundo. Tesla chegou a gerar 25 bi de market cap num dia (20/8)...

Quando a gente vê coisas desse tipo é pra ficar com as barbas de molho mesmo. Tudo continua muito estranho.

O maior risco que vejo hoje para o Brasil é o elevado aumento de gastos do governo fazer a situação fiscal descontrolar de vez, causando grandes problemas no futuro. Não faz muito tempo, 2015/2016, tivemos a maior recessão da história no país por motivos similares.

No gráfico abaixo dos profissionais da Verde Asset vemos que o Brasil tem uma das maiores dívidas e também foi um dos que mais gastou na pandemia. 
 

Nossa dívida bruta pode passar de 100% do PIB em breve. Desde 1999, estamos resolvendo nossos problemas fiscais aumentando a carga tributária, mas ninguém aguenta mais aumento de imposto. 

Se a produtividade do país fosse das melhores as coisas poderiam até ser diferentes, mas na prática estamos longe disso.

A DÚVIDA DE SEMPRE: JUROS

A pergunta que não quer calar: como vai ficar a situação dos juros pelo mundo.

Quando a inflação aumenta, juros são elevados para tentar segurar ela. Estamos com taxas baixíssimas, algo nunca antes visto. 

A inflação bateu 0,64% em setembro, a tendência é de alta, mas creio que em um futuro próximo as coisas tendem a se ajustar. A elevada injeção de dinheiro na economia causou muitas anomalias.

Já o FED diz que leva essa situação de juro praticamente zero até 2023 aceitando inflação levemente acima de 2% em prol da queda do desemprego, pois eles têm mandato duplo, algo que não temos aqui.

Mas e no Brasil como fica? Estamos com apenas 2% agora mas juros longos cada vez mais altos.

Juros de 50%
Por incrível que pareça já foi assim


CZB - 3T20 - ONDE INVESTIR NESSE CENÁRIO?

A CZB acumula perdas de 4,02% no ano, sendo que a carteira de ações (-16%) está um pouco menos ruim que o IBOV (-18,20%) e a carteira de FIIs bem menos ruim (-2,73%) que o IFIX (-12,59%). Setembro manteve o padrão do trimestre de não ser um mês muito bom pra quase todos investimentos. 

Acho que é hora de pisar um pouco no freio em renda variável pois já não temos mais tanta margem de segurança nesse momento. As boas empresas da bolsa não estão mais baratas como na época do corona crash.

Sei da minha incapacidade de afirmar com certeza se um ativo está caro ou barato. Mas é óbvio que quanto mais barato você compra a ação de uma empresa, maior a sua margem de segurança. E sempre que possível é o que tento.

Beleza então, vamos pra renda fixa pós-fixada, só 2% de Selic ao ano?

Ou alguém topa levar ao vencimento IPCA para 2026 pagando apenas 2,97% + inflação? Mesmo sabendo que se tiver que vender antes do vencimento vai perder uma boa grana tendo em vista que nossos juros não tem mais outro caminho senão o de alta?

Acho que nessas horas em que tudo é tão incerto, muitas vezes a melhor coisa é não fazer nada, ou melhor, deixar na Selic ou até na poupança mesmo. É muito pouco, mas dado a situação...

OS PRÓXIMOS CAPÍTULOS...

Eleições americanas devem definir o caminho dos ativos. Independente de quem ganhe eu acho que as ações de tecnologia mesmo bem valorizadas ainda tem muito espaço pra subir.

Será que o mercado vai se assustar quando ver o rombo fiscal do governo americano? Um aumento de impostos para cobrir esse rombo vai fazer os lucros das empresas e por consequência as ações caírem junto.

E gostando ou não: um dia ruim na bolsa americana é um dia ruim nas bolsas do mundo todo.

CHEGOU A HORA DOS IMÓVEIS?

Chance de fuga para ativos reais diante de juros baixos que podem se beneficiar de um cenário de inflação.

Por isso creio que seja um bom momento para comprar imóveis. Nós nunca tivemos e não sei se teremos num futuro recente uma oportunidade de juros tão baixos para financiamento imobiliário. 

Os grandes bancos estão oferecendo taxas da ordem de 6 a 7,5% ao ano se você receber seu salário por ele. Há cerca de 3 anos com muita luta contratei meu financiamento com uma taxa de quase 10%.

A Caixa teve R$ 11 bilhões contratados para financiamento habitacional somente no mês de junho. Conversei com um corretor que teve no mês de maio o recorde de vendas na sua profissão em 10 anos.

E se você parar pra pensar, com juros tão baixos, percentualmente são poucos no país que se sentem confortáveis de investir em renda variável. Faz muito sentido que essa parcela da população invista em imóveis, algo bem tradicional aqui.



"Hoping for the best, prepared for the worst"

sábado, 12 de setembro de 2020

Carteira Batalha de FIIs - Fundos de Investimento Imobiliários

Esse post estava planejado já faz muito tempo, mas com a devastação ocorrida por conta da pandemia os assuntos foram mudando... Finalmente hoje vou mostrar como cheguei na Carteira Batalha de FIIs e o que aprendi até então. 

Como falei na última postagem do ano passado, 2019 certamente foi o ano dos FIIs. O IFIX teve um rendimento de 36% no ano e o número de investidores chegou na faixa de 600 mil naquela época. Já devemos estar perto ou passando de 1 milhão hoje.
O primeiro passo

Como sempre: estudo. Comecei por esse livro do mestre André Bacci. Comprei o digital por R$25, mas se fosse hoje seria gratuito por ser assinante do Amazon Prime (R$9,90/mês), algo que também recomendo.

Mas o que são FIIs - Fundos de Investimento Imobiliários?

São imóveis ou conjuntos de imóveis divididos em cotas as quais podem ser adquiridas por meio da bolsa de valores de forma similar ao que fazemos quando compramos ações.


Sendo detentor de um cota de FII, você se torna proprietário de parte daquele imóvel e então recebe mensalmente rendimentos proporcionais à quantidade de cotas, o que acaba se configurando como uma ótima forma de recebimento de renda passiva. E até o presente dia é isento de impostos, ao contrário do aluguel de um imóvel físico.

Exemplo simplificado: suponha que 4 pessoas se juntem para comprar um imóvel de R$100.000. Cada um paga uma "cota" de R$25.000. Eles conseguem alugar o imóvel por R$800 mensais. Logo cada um receberá R$200 referente a sua "cota" adquirida.

Você também pode ter um ganho de capital ao vender suas cotas de FIIs num valor acima do que comprou, tal qual as ações. Nesse caso você paga 20% de imposto sobre o ganho obtido. Claro que o valor da cota também pode cair e então caso venda, você terá prejuízo.

Considero os FIIs uma das melhores formas de se entrar no mercado de renda variável, ainda mais nesse momento de taxa de juros tão baixa.

Quando a Selic voltar a subir o valor das cotas de FIIs deve cair, mas os contratos de aluguel tendem a ser reajustados pela inflação, o que vai fazer os rendimentos mensais aumentarem.

É a forma de acesso mais democrática ao mercado imobiliário, pois é bem mais barato comprar a cota de um FII do que obter grana para comprar um imóvel para alugar, como citei acima.

Comprar um imóvel para aluguel envolve despesas de taxas, impostos, escrituras, cartórios, reformas, além da necessidade de ter um capital disponível muito maior. Após comprar você ainda vai ter que se preocupar com pagamento de IPTU, sorte de ter um bom inquilino, possível inadimplência e no pior caso a dificuldade de colocar alguém que não pague pra fora se for um imóvel residencial. Ou contratar uma empresa pra não ter essas dores de cabeça e pagar um percentual do aluguel em troca.

Conheço várias pessoas que se deram muito bem com essa estratégia, algo bem comum no Brasil, mas eu não tenho esse conhecimento nem assessoria, o que seria um risco muito maior. Penso que para nós, investidores pobretas, é muito mais fácil e seguro comprar aos poucos cotas de FIIs do que desembolsar um bolada maior para comprar um imóvel. Mas claro que isso vai do perfil de cada um.


Vantagens dos FIIs:

Uma das maiores vantagens que vejo é que é de mais fácil entendimento do que a compra de uma ação. Todo mundo sabe que que dá pra colocar um imóvel pra alugar e botar um dinheiro no bolso mensalmente. E é bem legal ver aquele dinheirinho entrando todo mês. Além disso:
  • Baixa volatilidade. Em média o valor das cotas oscilam 50% menos do que as ações;
  • Liquidez. Ao vender suas cotas no home broker de sua corretora você recebe o dinheiro em 3 dias. Impossível vender uma fração de um imóvel com a mesma facilidade. Ou você não vende ou vende 100% e ainda assim demora mais tempo pra receber o dinheiro.
  • A lei obriga que 95% do lucro líquido de um FII seja distribuído como rendimento;
  • Você pode estar posicionado em vários pedaços de imóvel alugados pra vários setores da economia, aumentando sua diversificação;
  • Mesmo que o valor da cota venha a cair, todo mês você vai receber os aluguéis;
  • No caso de subscrição (*), caso não queira entrar você pode vender seus direitos que pode dar alguns trocados
(*) Subscrição é um direito de comprar novas cotas da empresa por um preço pré-determinado, geralmente abaixo do preço de mercado para atrair compradores, algo que ocorre de vez em quando. A quantidade a ser adquirida dos novos ativos pode ser uma proporção da quantidade que você possuía do ativo na data de corte (ex)."


Riscos dos FIIs:
  • Vacância: quando imóveis ficam desocupados os rendimentos de aluguéis ficam comprometidos;
  • Encerramento de contrato de inquilino afetando a renda de aluguel;
  • Desvalorização de cotas: não esqueça que é renda variável
Daí a importância de diversificar e dar preferência a FIIs multi-imóveis e multi-inquilinos. Temos casos de FIIs com apenas um imóvel em que de uma hora pra outra o único inquilino encerra o contrato. Ou seja, a receita de aluguel ZERA e com isso seus rendimentos também.


A Estratégia Batalha de investimento em FIIs

Como já falei em minhas postagens o meu maior foco é a solidez dos ativos para o longo prazo. Baseado nisso tento me concentrar na qualidade dos ativos antes de pensar no retorno.

Não costumo escolher um FII focando apenas nos DY (rendimentos mensais). 

Mas a título de informação, no ano passado, quando comecei a escrever esta postagem o DY da Carteira Batalha de FIIs estava em 0,45% a.m. Com a queda no valor das cotas no corona crash o DY chegou 0,74% a.m. e hoje está em 0,32% a.m.


E como ficou a Carteira Batalha de FIIs?

Uma boa regra que aprendi sobre formação de carteiras é saber que é mais fácil tirar os ruins do que tentar adivinhar o melhor...

Ao final escolhi 10 FIIs pertencentes a 4 setores: 4 de shoppings, 3 de logística, 1 de lajes corporativas/escritórios, 2 de papel/FOF. Pensei em ter 2 de escritórios mas não encontrei um outro ativo com a solidez que eu gostaria.

Diferente da carteira de ações em que tenho alocações diferentes para cada ativo, aqui não quis quebrar a cabeça e facilitei as coisas deixando 10% pra cada mesmo.

Esse print eu tirei do clubefii.com.br (site obrigatório e gratuito!)


  • Shoppings: VISC11, HGBS11, FIGS11, XPML11
  • Logística: GGRC11, XPLG11, HGLG11
  • Lajes corporativas/escritórios: HGRE11
  • Papel/FOF (Fundo de fundos): HGCR11, BCFF11

Dentre os 10 FIIs o único que destoa em termos dos meus critérios de solidez é o FIGS11, que tem somente 2 imóveis. Mas ele acaba entrando na carteira como uma "aposta" de ganhos pelo seu potencial futuro de redução de vacância.

Fundos de papel bem geridos e diversificados podem proteger o investidor em momentos de crise quando os de tijolo não irão performar muito bem. É tipo um “ETF de RF lastreados em imóveis”. Tem DYs bons por conta da venda das cotas de alguns FIIs da carteira mas não devem ter tanto crescimento como os de tijolo.

É sempre bom atentar que pode haver conflito de interesse no caso de emissão da administradora que um dos papeis pertença ao FOF, mas claro que esse tipo de risco não existe somente para FIIs.


Sites recomendados

Como introdução para entender melhor, destaco:
https://www.rico.com.vc/fundos-imobiliarios

Para informações sobre os FIIs temos ótimas opções, que dão informações  que recomendo:
https://www.clubefii.com.br/ -> ótimo pra montar sua carteira
https://mundofii.com/

E como fica depois do Covid?

Como a postagem já ficou muito longa vou deixar isso para uma próxima, em breve.

sábado, 5 de setembro de 2020

Home office com o Linux Mint - A melhor distribuição que já usei

Já são quase 6 meses trabalhando de home office e com isso o parque tecnológico residencial da Batalha Corp foi exigido como nunca antes na história desse país. 

Atualmente temos um desktop e um notebook. O notebook é um Samsung que tem a seguinte configuração: i5-5200, 8GB de RAM, HD de 1 TB. É suficiente para trabalhar com as ferramentas que uso para desenvolvimento de sistemas.

Acho que me sinto mais confortável trabalhando no desktop mas ele tem uma configuração beeem mais fraca. Um Dual Core Intel Pentium G3260 (não é nem um i3...), 4GB de RAM e um HD de 500 GB.


Me julguem!

Aí você diz: "Zé Batalha, deixe der canguinha | miseráve | muquirana | mão-fechada | pão-duro" (coloque o adjetivo de sua preferência) rs... você pode comprar uma máquina melhor!

Sim eu posso, graças a Deus. A questão é que pode parecer incrível mas esse desktop vem me atendendo em muita coisa com essa configuração. 

Em termos de custo-benefício creio que estava aceitável. Mas isso porque eu corri atrás de fazer um hardware tão fraco funcionar melhor e aí que entra a motivação dessa postagem.


Windows x Linux

Tenho um dual-boot nas 2 máquinas:
  • Desktop: Linux Mint 19.3 e Windows 7
  • Notebook: Linux Mint 19.1, Windows 10 e até um Kali Linux (foi um tempo que eu queria pagar de hacker igual o Mr. Robot... rs)
Cheguei ao ponto de fazer um downgrade do Windows 10 para o 7 no desktop pra ver se a máquina funcionava melhor e ainda assim o negócio está sofrível...

E pra ser sincero, até no meu notebook, que tem uma configuração muito melhor, o desempenho do Windows 10 está muito fraco e tem vários problemas que só ocorrem nele:
  • Demora acima do normal para inicializar o sistema e para abrir a maioria dos programas
  • Quando logo na VPN da empresa a internet cái com frequência, aí tenho que ficar alterando as configurações de DNS, sem contar os constantes pedidos de reinicialização para atualizar o aplicativo de VPN
  • Por vezes ocorre um bug estranho que deixa as teclas de função sempre acionadas
  • O vídeo também buga às vezes, como se a placa de vídeo estivesse com uma resolução de cores bem mais baixa
Você pode dizer que alguns desses problemas são relacionados ao hardware, mas nada disso ocorre no Linux Mint...


A experiencia Linux Mint

Linux Mint


Instalei o Linux Mint 19.3 Tricia nesse meu desktop falcão sem muitas expectativas. Até por isso escolhi um window manager mais leve, o XFCE. E não fiz mais nenhum ajuste.

Nessa máquina eu consigo hoje: deixar 2 navegadores abertos: Chrome e Brave com 5 abas cada; Audacious tocando mp3; VS Code aberto. Tudo isso com cerca de 80% de memória em uso, funcionando de boa sem engasgos. Não consigo fazer metade disso quando entro pelo Windows 7.

Com essa configuração por várias vezes tudo roda mais fluido que no Windows 10 no notebook que tem um hardware muito melhor.

Nesse desktop, fiz cursos de React, Node, Docker, MongoDb, Go, Solidity sem problemas de performance.

Para não dizer que não ocorrem problemas, quando preciso alternar usuário, a máquina às vezes trava, com mais frequência no notebook, aí tenho que reiniciar.

Sei que existem formas muito mais profissionais de otimizar um Linux, mas aí tem que ser ninja. Não tenho esse profissionalismo todo... rs


A magia do SSD

Muitos dizem que se eu botar um SSD no notebook tudo vai ficar mais rápido e eu boto fé nisso. Sei do quanto um SSD melhora o desempenho de um SO.


Mas aí me diz porque o Linux Mint em uma mesma configuração consegue ter uma performance tão superior? E o olha que eu uso Windows desde que comecei a trabalhar na área de TI (faz 20 anos) e não instalo qualquer coisa nele.

Já fiz de tudo pra melhorar a performance desse Windows 10: desabilitei a Cortana, tento deixar somente os serviços mais essenciais ativados entre outras coisas mas até agora nada disso surtiu efeito. Creio que só o bom e velho formata e instala de novo deve resolver...

Eu sinceramente acho que esse Windows 10 é meio baleado. Houve versões melhores. O 7 e o XP foram as mais estáveis a meu ver.


Atualização do parque tecnológico da Batalha Corp...

A título de informação, o Zé Batalha deve tirar o escorpião do bolso e já tem orçamento aprovado para atualizar o parque tecnológico. 


Pretendo comprar um SSD para o notebook, instalar tudo do zero e assim melhorar a sua performance.

Também penso em comprar um desktop novo mais parrudo pois tenho projetos pessoais que demandam uma máquina melhor e assim também terei mais agilidade.

As ferramentas da Microsoft são muito fáceis de usar e foram meu ganha pão por um bom tempo da minha vida profissional. Pra se ter uma ideia meu apelido é "Windows" desde a faculdade... Tenho postagens de 5 anos atrás sobre o Windows 10.

Mas o Mint foi certamente a melhor experiência que já tive com um Linux, até porque a versão XFCE fez praticamente um milagre no meu desktop.

Como li recentemente: "O Mint definitivamente tem uma grande vantagem quando se trata de velocidade e desempenho. Em uma máquina mais nova, a diferença pode ser quase imperceptível, mas em um hardware mais antigo, ela definitivamente será muito sentida."

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Revendo conceitos - A importância da atuação do estado na economia

Às vezes me pergunto por que ainda mantenho esse blog.

Acho que gosto de deixar registrado o que tenho aprendido para uma consulta futura. Acho interessante como nossa visão de mundo pode se alterar com o tempo. Parece um hobby, quase uma terapia.

Esse post é bem o caso. Não que eu tenha mudado por completo mas repensei muita coisa nessa crise que vivemos.


A Filosofia Zé Batalha

Quem já leu meus posts anteriores tais como esses sabe que eu simplesmente tento entender como o mundo funciona, mas principalmente as contas. Por conta disso sempre fui contra intervenções excessivas do Estado.

Não tenho pretensão de mudar o mundo. Tento me adequar as regras do jogo. 

Mudar a minha vida para melhor e tentar ajudar meus parentes mais próximos já foi uma missão dura o suficiente pra mim. Envolveu muita perseverança não só de mim mas principalmente dos meus pais.

Existem pessoas mais focadas em mudar o mundo e a sociedade. Deixo isso pra elas e desejo boa sorte.


O que me fez refletir nessa crise...

Já escrevi que governos mais atrapalham que ajudam. Que hoje até considero bem exagerado da minha parte.

Pois com a crise eu entendi que essa é a hora que o Estado tem que atuar com tudo que puder.

O auxílio emergencial deve representar um acréscimo de cerca de R$250 bilhões a mais de despesa no ano.

Com isso é a relação Dívida/PIB deve disparar, deve chegar a 100% até o ano que vem, pois a dívida vai aumentar com esses novos gastos e o PIB vai diminuir com a retração da economia. Ou seja, pra cada 1 real que o país produz, 1 real de dívida.

Está tudo muito disfuncional no momento, mas assim que a economia se estabilizar devemos ter uma taxa de juros mais condizente coma nossa realidade: voltando a crescer. 

Quem leu os posts que citei no começo do post sabe que eu sou Austeridade Fiscal Futebol Clube. 

Mas que se dane. Milhões de vida estavam e ainda estão em jogo. Vamos pagar um preço alto no futuro mas não havia outra saída.

Pois esse é o Brasil de verdade...


Quer dizer então que o Zé Batalha virou um keynesiano? E a Escola Austríaca?

Não sou keynesiano! :D Só revi meus conceitos. 

Como mencionei no post Hayek x Keynes há situações que vou de Keynes e essa é exatamente uma delas, pois o que vivemos não é muito diferente de uma guerra. 

Digamos que a minha proporção Hayek/Keynes foi de 80% / 20% para 70% / 30%...

Para tentar entender como as coisas funcionam eu consumo conteúdo das mais variadas escolas de economia mas até um certo limite. 

Marxismo não entra, pois não gostam de fazer muitas contas, algo essencial nessa área, e falam de um mundo imaginário que até hoje não se deram conta que é impossível.

Costumo ler desde o pessimismo da escola austríaca até o otimismo dos analistas das casas de research. A partir daí tomo decisões baseado na minha percepção.

Mas hoje vejo que muitas coisas da escola austríaca são tão utópicas quanto o marxismo que eu sempre critiquei.

Como li no auge dessa pandemia: "Mises se reviraria no tumulo com o que alguns caras da Escola Austríaca tem falado..."

Muitos dizem que a Escola Austríaca vive de prever crises que ainda não aconteceram. Claro que uma hora eles podem acertar, assim como um relógio parado acerta a hora 2 vezes em um dia, mas ela não é só isso. 

Tem coisas bacanas, mas se você seguir tudo que eles pregam ali na essência é como se o mundo fosse a Suíça ou a própria Áustria. E o nosso país e a maior parte do planeta está muito longe disso.

É como se o país não precisasse de assistência social, como se fosse possível viver somente por meio da "mão invisível do mercado". Não deixa de ser um outro mundo imaginário...


A importância da atuação do Estado 

Imagina se o nosso país não tivesse o SUS, mesmo com todos seus defeitos. Onde a população pobre seria atendida nessa pandemia?

A injeção de dinheiro do BC, empréstimos para as empresas (para pequenas e médias empresas houve muitas falhas, mas pra explicar isso aqui precisaria de outro post) e principalmente o auxílio emergencial foram vitais para o país não entrar numa situação ainda pior do que está.


Mas...

Ainda acho que o melhor para um país é encontrar um meio termo entre as escolas de Keynes e Hayek. Entre os desenvolvimentistas e os liberais.

O bom funcionamento dos serviços públicos é vital para um país mas o que faz um país crescer é de verdade é o incentivo a livre iniciativa, empreendedorismo e uma boa dose de liberdade econômica.

Esse ranking mostra bem quem vai mais longe:

Sim, todos nós sonhamos com um país que funcione tão bem como a Alemanha. Os caras deram aula com seus milhares de testes de Covid e sendo a primeira liga de futebol a voltar com toda a segurança. 

Mas ninguém vê que se eles conseguem fazer isso por conta da sua ótima situação fiscal, dos seus 6 anos de superávits seguidos. 

Que tal entender como eles conseguiram isso? Ah e o sistema de aposentadorias da Alemanha, assim como praticamente todos nesse planeta, que precisou ou precisa passar por reformas? 


Conclusão

Não faz mal rever conceitos. Não cai as bolas mudar de opinião ao contrário do que muitos pensam...

O Estado sempre terá uma importância enorme na economia, mas muitas vezes você pode ajudar mais interferindo menos.

sábado, 4 de julho de 2020

Carteira e Análises do Zé Batalha - 2º Trimestre de 2020

CENÁRIO ATUAL


Foi um segundo trimestre de recuperação rápida nas bolsas enquanto o mundo se encontra bem distante do fim da pandemia e das crises.

Apostar no curto prazo contra as bolsas hoje é apostar contra um metralhadora de dinheiro dos bancos centrais mundo a fora que tem um pente de balas infinito



O desemprego vai aumentando de forma impressionante. Temos indicativos de queda de PIB da ordem de 6 a 10% no Brasil. 

Já eu creio que a expansão monetária ocorrida junto com as novas rodadas de auxílio emergencial podem dar um alívio para o PIB, mas certamente será um número muito feio.

O certo é que teremos a pior temporada de resultados da história. Os balanços do 2T20 vão ser terríveis mas muito disso parece já estar precificado nas bolsas.

O que temos de bom é muita esperança que a vacina deve estar pronta bem antes do previsto.


VALE APOSTAR NO BRASIL AINDA?

Eu ainda acho que sim.

No longo prazo mesmo com toda essas confusões do país temos trilhões investidos em renda fixa ou em fundos ligados a rentabilidade da Selic.

Tudo isso num cenário de juros baixos que devem continuar assim por um bom tempo pois a inflação vem caindo muito. Com juros tão baixos não há alternativa pra quem quer melhores rendimentos a não ser a renda variável o que deve puxar pra cima a valorização desses ativos.

E por mais que a situação ainda possa piorar (e claro que isso é bem possível), acho bem difícil dado o que expliquei a bolsa voltar aos 60 e poucos mil. 

O Brasil quebrou na década perdida de 80 e várias empresas continuaram funcionando. Várias delas vão continuar agora também. As mais preparadas vão crescer ainda mais absorvendo as que não suportarem. Goste a gente ou não, é assim que funciona.

Ainda há muito a ser feito no Brasil. Temos muito atraso em infraestrutura principalmente, o que também significa que tem muito mais espaço para crescer que países já bem estabelecidos.


CRISES...

As outras crises acabavam (veja como foi em 2008) e o mundo continuava do mesmo jeito. O maior desafio desta é que a gente não sabe quando as coisas voltam ao normal.

A tecnologia vai ser ainda mais exigida. Em momentos como esse gostaria muito de estar posicionado em boas ações desse segmento na bolsa americana. Deve ser um segmento pouco afetado se comparado a outros da economia.


CARTEIRA ZÉ BATALHA - 2T20 (+7,85 % no mês de junho e -5,32% no ano)

Certamente devo rever essa alocação 40% - 60% [RF-RV] da CZB com juros tão baixos.

Agora em relação aos ativos...

Antes mesmos do Corona Crash eu reduzi minha participação em CVC. Logo depois vi o bom velhinho Buffet fugindo das aéreas e quem sou eu pra questionar. Difícil saber quando as pessoas terão a mesma coragem de viajar como antes e quem pode trabalhar de home office dando conta do recado por videoconferência. 

Ainda assim, veja que dia...
Ainda assim, veja que dia...

M Dias Branco virou minha terceira maior posição em ações. Ótima empresa num setor muito resiliente. 

Em junho, a CZB-Ações venceu o IBOV: 11% x 8,76%. No semestre também: -14,01% x -17,80%.

Quanto aos FIIs só reduzi FIGS11 pois este tem apenas 2 shoppings e igualei a alocação dos outros 9 FIIs pois são mais seguros.

Em junho, a CZB-FIIs venceu o IFIX: 7,62% x 5,59%. No semestre também: -3,59% x -12,24%.

A renda fixa deve ficar por um bom tempo somente em Tesouro Selic e um pouco em poupança.

Zerei minhas NTNB sem pensar em fazer mais aportes nela este ano pois vejo que a chance de eu ganhar pouco é menor do que eu perder muito dado o cenário atual.


VIDA PESSOAL - REDES SOCIAIS

Resolvi jogar melhor o jogo das redes sociais.

Comentar, curtir e repostar ainda menos sobre política e mais sobre coisas mais bacanas: tecnologia, desenvolvimento, viagens, games. Com isso minha vida nas redes sociais tem sido bem mais feliz. 

Ainda posto muito sobre economia e finanças é claro, pois realmente é algo que me interesso muito.

sábado, 20 de junho de 2020

Empresas com grandes problemas e cotações subindo - Coisas estranhas que vemos nestes tempos

Você investiria seu dinheiro numa empresa que:
  1. Tem grandes chances de falir?
  2. Só vai começar a operar com lucro em 2024?
  3. Que é a mais inovadora do mercado mas ainda não chega nem perto de dar resultado como as tradicionais?
A inspiração da postagem de hoje foi um ótimo vídeo do Fernando Ulrich que assisti esses dias. Resolvi ir mais a fundo e fiquei impressionado com as disfuncionalidades que vemos no mercado nos dias atuais.


1) Qual o valor de uma empresa que entrou com pedido de RJ?

Parece que muitas pessoas gostam de comprar ações empresas de renome quando vêem a cotação na faixa dos centavos. Foi o caso da locadora Hertz.

No dia 22 de maio, a empresa solicitou recuperação judicial, também conhecido nos USA como o chapter 11.

Pela lei de falências americana, os acionistas são os últimos da fila a receber algum pagamento, atrás até dos advogados.

Pois as ações da Hertz saíram de 53 cents no dia do pedido de RJ para $5,50 no dia 8 de junho, fechando na última sexta dia 19 em $1,73.


E para completar ainda deve ser aprovada em breve uma nova oferta de ações com o objetivo de captar 1 bilhão de dólares...

Entre outras empresas insolventes, temos também a Whiting Petroleum, que chegou a subir 835% em pouco mais de 2 meses desde a falência declarada dia 1º de abril.

E há vários outros casos que você pode conferir aqui.


2) Caminhões elétricos da Nikola

Tem a Tesla, que todos já conhecem. Mas tem a Nikola que eu fui conhecer agora...

Segundo as estimativas da própria empresa, ela começa a operar no lucro somente em 2024 com $215 mi de EBITDA e expectativa de $3,2 bi de receita.



Receita agora em 2020, ZERO. Em 2021, estimativa de $150 mi...

Mas veja só. O valor de mercado atual da Nikola é de cerca de 29 bilhões de dólares, praticamente o mesmo da Ford...


3) Só mais uma: Tesla é maior do que GM + Ford + Daimler + Ferrari?

Essa aqui eu concordo que não dá nem pra comparar tanto com as outras pois a Tesla está longe de ser problemática e claramente tem o seu valor...

Eu sei. A Tesla é massa. Empresa super inovadora. Quem não queria um carro elétrico? É o futuro!


Valor de mercado: 
  • Tesla: $176 bi
  • GM + Ford + Daimler + Ferrari: $166 bi
Receitas em 2019: 
  • Tesla: $26 bi
  • GM: $138 bi
  • Ford: $144 bi
A Tesla teve um prejuízo em 2019, mas claro tem um potencial enorme para crescer e lucrar no futuro.

Mas com uma receita de vendas 5x menor que a GM e Ford, ter um valor de mercado tão maior que todas elas faz a gente ficar com a pulga atrás da orelha. 

É como se de uma hora pra outra as pessoas parassem de andar em carros movido a combustão para somente comprar carros elétricos. Um tanto exagerado eu diria.


Conclusão

Esse excesso de dinheiro injetado pelos bancos centrais faz surgir esse tipo de situação. Nem todos investimentos são avaliados de forma racional.

O que me faz pensar que ao invés de Hipótese dos Mercados Eficientes talvez tenhamos uma nova tese atualmente que seria a Hipótese dos Mercados Oniscientes... rs

sábado, 30 de maio de 2020

O que fiz no corona crash de março 2020


Esse é um gráfico que atualizo mensalmente para acompanhar o desempenho da Carteira Batalha. O trecho acima capta o período de 2013 até o março de 2020. A linha azul é a evolução da minha carteira e a linha vermelha a correção dos meus aportes pelo IPCA.

O objetivo é ver se estou ganhando pelo menos da inflação. Perceba como a linha estava bem descolada e depois do corona crash ocorre o encontro das curvas.


Mais uma vez o clichê "crise e oportunidades"

Em momentos como o que vivemos em março, sentimos na pele os comportamentos que um investidor pode ter:
1) Medo - vender achando que pode perder tudo
2) Ganância - comprar pra aproveitar que está barato e aumentar a posição

Devemos controlar tanto o medo como a ganância. Investir tem muito do fator psicológico. 

Mas é certo que em toda crise as pessoas acham que o mundo vai se acabar e sempre há sim várias oportunidades


O que eu vi naqueles dias loucos em março de 2020:
1) Títulos do Tesouro pré-fixados com chances de perda maior que de ganhos
2) Na renda variável, quedas enormes nos preços dos ativos, em uma dimensão que há 12 anos não ocorria

As taxas de juro ficaram tão baixas que tornaram a chance de ganho nos títulos pré-fixados bem menor frente ao espaço para perdas se vendido antes do seu vencimento. Minhas NTNBs não eram tão longas mas sofreram por um risco maior por conta da situação fiscal de longo prazo.

Essa foi a decisão mais fácil: vendi esses títulos.

Mas aí entra a grande questão...


O que fazer em um momento de tamanha tensão nos mercados?

Em momentos de incerteza, a primeira coisa que fiz foi reforçar meu caixa em renda fixa, ou seja TD Selic/poupança, pois isso sim é reserva de emergência. 

Muita gente investe em títulos pré-fixados sem saber que a marcação a mercado pode causar muitas perdas se ele precisar sacar antes do vencimento eu um momento de alta de juros.


Mas seria hora de apostar em renda variável? The Batalha way:

Um dos sites mais bacanas para quem está começando é aquele do cachorrinho branco, o bastter. E recomendo demais para quem está começando a investir.

E devo a base da minha estratégia ao que aprendi lá: construção de patrimônio gradual. O ideal para nós, investidores pobretas. Como naquela música: "de tijolinho em tijolinho..."

Mas tem uma coisa que sempre me chama atenção quando escuto: "Fulano disse que o CERTO é fazer assim..." Cara eu já sei a opinião de fulano. Você não tem ainda a SUA?

Claro que você sempre tem algo a aprender (principalmente no início) com profissionais tais como Buffet, Barsi, ou mesmo o Bastter. Mas não precisa fazer TUDO igual a eles até porque seu patrimônio é totalmente diferente. 

Depois de muito tempo de estudo tenho as minhas próprias convicções. E prefiro ganhar ou perder por elas. É o que eu mais aconselharia para qualquer um, seja em investimentos ou em qualquer área. Perder é ruim, mas perder baseado na convicção de outros é muito pior.

O Bastter prega que você não deve olhar cotação, que preço não importa, etc. Eu passei um tempo reverberando isso... O que fiz em março vai quase contra tudo o que ele fala, mas que se dane... rs 

Em resumo: Não siga as ideias de ninguém cegamente. E questione sempre até a sua própria carteira, que deve ser recalibrada com frequência.


As "barganhas" de março

Soa estranho um holder como eu falar em "barganhas" pois a minha estratégia tem uma base forte na Hipoótese dos Mercados Eficientes (HME) do Eugene Fama, que pretendo falar num post futuro. 

Em linhas gerais a HME preconiza que um ativo vale o preço que está sendo pedido, simples assim: não há como saber se um ativo está caro ou barato.

MAS aquele era um momento de pânico geral nos mercados. O IBOV chegou a 61 mil pontos no auge do desespero.

Eu invisto para um horizonte de longo prazo, e sei que nessas condições o preço que pago é diluído com o tempo. 

Mas tenho uma oportunidade de comprar bons ativos que valiam R$10 a menos de um mês por R$4. A empresa continua com os mesmos fundamentos. Por que não vou comprar se tiver chance e condições?

Ou seja, com R$1000 eu compraria 100 do ativo X antes e nesse momento eu poderia comprar 250! Como falei, há 12 anos isso não ocorria. Se eu deixasse pra comprar no fim do mês como costumo fazer não conseguiria comprar tantas cotas.

A verdade é que na minha análise a grande maioria das quedas não se justificava. Em uma empresa sólida não ter lucro por um 1 ou 1,5 ano não explica uma ação cair 50, 60, 70 por cento.

E é muito bom ter uma enorme margem de segurança em todos os ativos que você compra. Pois caso você erre o cenário, ou aconteça um cisne negro e no pior caso você tenha que vender, vai perder menos. Afinal o ativo já está bem descontado.

Na época dos juros a 14% ao ano, errar na bolsa custava bem caro, mas neste momento o custo de oportunidade é baixo e deve ficar ainda menor. 

Parte do que vendi do TD eu aportei sim em RV comprando ações e FIIs sem passar do limite de exposição que defini nesses dias de circuit breaker.

Rebalanceei as carteiras e consegui comprar bem mais barato. Em alguns ativos conseguir dobrar a minha posição, tais como os FIIs que eu tinha começado a investir a pouco tempo, melhor que qualquer subscrição que você possa imaginar... rs

E pra te ser sincero dobrar a minha participação em alguns desses papéis me deixou foi mais tranquilo. Já estou tendo retornos melhores em vários exatamente por ter feito essa movimentação.


O longo prazo é lindo, mas...

Sim, eu posso estar muito errado. Nessa crise se só começa pode ser que alguns dos meus ativos caiam ainda mais, até quebrem, claro que é possível, mas estou diversificado pra isso.

A verdade é que o longo prazo é lindo mas não há garantia que ele chegue para todos nós...

Se ele não chegar e eu precisar vender num futuro eu terei baixado meu preço médio... e se o futuro for lindo do jeito que eu sonho terei muito mais participação nos bons ativos que estou investindo.

E se chegar o momento que o aperto seja tão grande que a reserva de emergência não dê conta e seja preciso vender suas ações? Nessas horas é melhor que se tenha o menor preço médio possível para vender no lucro ou ao menos minimizar seu prejuízo.

E são movimentações como essa nos dias de circuit breaker que me proporcionou essa baixa no preço médio ou pensando positivamente um aumento na quantidade de ações de uma empresa de qualidade.

Observação importante: Isso serviu para mim. Talvez não sirva para você. Não há uma receita para todos em nada nesse mundo, inclusive investimentos. E tenho consciência que não dá pra ganhar sempre. 2020 não tenho a menor expectativa de bons retornos...

Chances de rentabilidade positiva
Minhas chances de terminar 2020 com a rentabilidade positiva


Conclusão

Quando tudo isso passar ninguém vai lembrar dos preços que eles estavam, mas eu vou lembrar que comprei alguns ativos pela metade do preço.

“The time to buy is when there’s blood in the streets, even if the blood is your own”
[Baron Rothschild]

domingo, 17 de maio de 2020

Quando as coisas voltam ao normal no país e no mundo? E o dólar? E a Selic?


Crise fora do normal

O que todos os profissionais dizem: "Essa crise é diferente de todas as outras mas como todas ela vai passar".

Beleza, isso a gente já sabe. Mas quando tudo volta ao normal?

Bom, acho que vai depender:

1) Quanto tempo vai durar as medidas de isolamento
2) Se (e eu espero muito que não) virá uma segunda ou terceira onda de Covid 
3) Qual o impacto de todo esse tempo de quarentena nas economias mundiais e suas consequências que nem sempre são vistas de imediato
4) No caso do Brasil, temos que avaliar ainda não só o problema de saúde e economia, mas também a demissão de um ministro por semana, a crise política e etc... Todo dia um 7x1...

Por isso que quando Buffet fala "Never bet against America" somos um prato cheio para os memes do "Always bet against Brazil"...

Sim, mas quando tudo volta ao normal então? São tantas, mas tantas incertezas que a resposta é bem simples: Só DEUS sabe.

E o que o Zé Batalha faz? Eu procuro ter mais cautela no curto prazo mas não deixo de ser otimista no longo prazo. 


Taxa de juros e dólar fora do normal

Se for seguir a politica de metas de inflação a taxa de juros deve cair ainda mais apesar do BC não indicar isso. Temos juros de 3% hoje e o BC diz que vai a 2,25% e não pretende passar daí.

Do mesmo jeito que alguns anos atrás erraram ao não aumentar a taxa quando a inflação subia isso pode ser um erro agora também que só iremos saber no futuro. 

Mas pra quem acha que deve baixar muito mais ainda recomendo ouvir o que o Mansueto está falando:
  • Não haverá comprador de títulos brasileiros a uma taxa tão baixa assim;
  • Uma dívida de 90% do (PIB), nível que devemos chegar ou até passar este ano, é muito alta para um país que cresce tão pouco e com os fundamentos que temos;
  • O déficit primário pode chegar a 700 bilhões de reais e superar o nível de 9% do PIB este ano.
A tendência é do dólar aumentar ainda mais. 

Somos um país emergente que teria que pagar um prêmio maior. Se o prêmio diminui o capital em dólar sai daqui e com isso aumenta a cotação do mesmo.

Fazer o que? Mas...

Não há pressão inflacionária do dólar com essa alta. Assim como o mundo, vivemos uma onda de deflação pela impossibilidade óbvia de se consumir mais no momento. 

Tivemos deflação de 0,31% no país na última medição. Um dólar a R$6 é claro que assusta mas não vai acarretar tantos problemas nesse cenário em que estamos. Temos problemas piores. 


O que se vê no cenário atual que está fora do normal

Ainda acho que muitos ativos tem um descolamento da realidade, da economia REAL.

São mais de 23 milhões de desempregados nos USA, um número que ainda está aumentando. E as bolsas já estão se recuperando por lá... Isso não faz sentido

desemprego x ações
desemprego x ações - vê algo estranho?


E se os balanços das empresas no 1T20 foram ruins pegando só uma parte do período de pandemia, não tenha dúvidas que o 2T20 vai ser muito pior...


Se eu fosse apostar como em como vai ser, eu diria que vai ser algo assim parecido com a crise das ".com" em 2000, algo não muito bom no horizonte de 2 anos...

crise das .com em 2000
Crise das .com em 2000


E só não vai ser pior pelo fato do FED ter usado todo seu arsenal disponível para injeção de liquidez.

E eu espero estar bem errado pois se lá for assim, imagine aqui...


[Fonte dos gráficos: Fernando Ulrich]

domingo, 26 de abril de 2020

Psicologia e economia - A vida em tempos de corona...

Creio que a primeira coisa que devemos pensar nesse momento é tentar sobreviver, tanto literalmente como financeiramente. Precisamos cuidar da gente, dos nossos parentes e principalmente nossos coroas.

Agradeço todo dia a Deus por poder estar com minha mulher e filha e todos com saúde. Se não podemos sair, podemos dar mais atenção e acompanhar melhor o desenvolvimento da nossa filha nesta fase.

Ainda temos emprego, podemos trabalhar de home office recebendo em dia e por isso temos ciência que somos muito privilegiados. Então tentamos fazer a nossa parte mantendo o pagamento da nossa empregada doméstica mesmo sem ela poder vir trabalhar.

Eu acho que não há outra opção no momento a não ser ficar em casa. Mas quem sou eu para julgar quem não tem condições de ficar parado e precisa correr atrás de ganhar dinheiro para dar de comer a sua família. E como devemos ser gratos a toda essa turma dos serviços essenciais que não tem escolha.


Como lidar com este momento?

Não sou psicólogo, mas essa é uma grande batalha para todo o planeta, um grande desafio para a sanidade mental de todos. Tem dias que estamos bem, outros dias nem tanto.

Iisso é ainda mais difícil para pessoas que moram sozinhas, que sofrem de ansiedade, entre várias outras situações...

As atividades domésticas aumentaram e precisamos conciliar tudo pois o trabalho continua só que agora remoto.

Como gosto de ficar em casa que estou levando numa boa até então. Tenho tentado me distrair lendo livros, assistindo filmes, jogando PS4 e no final de semana tomando umas curtindo as lives...



Ainda sobre esse março tenebroso

Algo que me impressionou bastante foi que o comportamento do investidor pessoa física foi bem diferente do que pensei em um momento de quedas tão altas. Ao invés de debandar, grande parte deles tirou da Renda Fixa pra aportar na Renda Variável.

Houve um aumento da base de CPFs na bolsa de valores de 15% em relação a fevereiro. Só eu conheço 3 colegas que começaram a investir em ações no mês passado.


Por conta da incerteza do momento, pensei em reforçar meu caixa para emergências mas ainda assim dentro do possível tentar aproveitar oportunidades que explicarei melhor no próximo post.

Reduzi 0,5% de participação em COGN3 depois do último resultado por conta da dívida estar muito alta mas ainda boto muita fé no case e passei para RAIL3, que começou como uma aposta mas hoje já é uma realidade, opera com lucro e em franco crescimento.


O futuro cada vez mais incerto...

As incertezas são incontáveis. Ninguém consegue ter a menor ideia de quanto tempo as medidas de isolamento devem prosseguir com uma margem de segurança confiável, se ou quando haverá uma segunda onda e qual o impacto.

As bolsas globais já perderam em valor de mercado cerca de 11x o PIB do Brasil. E ainda não temos ideia de todas as consequências que surgirão do que estamos vivendo hoje.

Pela primeira vez desde que tive o primeiro batalha móvel vou passar um mês sem abastecer. Eu sou apenas um de centenas de milhões de pessoas e empresas que fazem o mesmo. Isso explica por que os contratos futuros de petróleo chegaram a valores negativos, algo inimaginável até então.

Eu me considero um cara otimista mas cada vez mais fica a impressão de estarmos no início da pior recessão da história, mesmo com todos os estímulos...


E nossa economia?

Uma economia ainda mais frágil, rombo fiscal enorme, com estimativas de déficit para 2020 em cerca de 8 por cento do PIB e se a necessidade do país crescer era grande ela se tornará vital agora.

O Tesouro já estava com dificuldades de colocar títulos de dívida no mercado antes da crise, o que só piorou agora. Nenhum governo tem capacidade de se endividar infinitamente e controlar a inflação ao mesmo tempo.

Os juros devem cair de 3,75% pra 3% e já há quem diga que pode chegar a 2%. Se isso se confirmar, meu amigo, haja interveção do BC para o dólar não passar de R$6...



Brasil, o país da trêta

Enquanto praticamente todos os países tentam resolver suas diferenças em prol da luta contra o coronavírus aqui nós infelizmente temos um ambiente de conflito sem fim o tempo todo...

Taleb deveria estudar o Brasil para ver como é possível aguentar tantos cisnes negros: Covid, queda do petróleo, demissão de ministros a todo momento...

Tudo que eu tinha recuperado na Carteira Batalha neste mês eu perdi na sexta passada... rs


É um grande desafio mas espero que a gente esteja mais forte depois disso tudo.
Que Deus ajude o nosso país...