AdSenseV

sábado, 30 de maio de 2020

O que fiz no corona crash de março 2020


Esse é um gráfico que atualizo mensalmente para acompanhar o desempenho da Carteira Batalha. O trecho acima capta o período de 2013 até o março de 2020. A linha azul é a evolução da minha carteira e a linha vermelha a correção dos meus aportes pelo IPCA.

O objetivo é ver se estou ganhando pelo menos da inflação. Perceba como a linha estava bem descolada e depois do corona crash ocorre o encontro das curvas.


Mais uma vez o clichê "crise e oportunidades"

Em momentos como o que vivemos em março, sentimos na pele os comportamentos que um investidor pode ter:
1) Medo - vender achando que pode perder tudo
2) Ganância - comprar pra aproveitar que está barato e aumentar a posição

Devemos controlar tanto o medo como a ganância. Investir tem muito do fator psicológico. 

Mas é certo que em toda crise as pessoas acham que o mundo vai se acabar e sempre há sim várias oportunidades


O que eu vi naqueles dias loucos em março de 2020:
1) Títulos do Tesouro pré-fixados com chances de perda maior que de ganhos
2) Na renda variável, quedas enormes nos preços dos ativos, em uma dimensão que há 12 anos não ocorria

As taxas de juro ficaram tão baixas que tornaram a chance de ganho nos títulos pré-fixados bem menor frente ao espaço para perdas se vendido antes do seu vencimento. Minhas NTNBs não eram tão longas mas sofreram por um risco maior por conta da situação fiscal de longo prazo.

Essa foi a decisão mais fácil: vendi esses títulos.

Mas aí entra a grande questão...


O que fazer em um momento de tamanha tensão nos mercados?

Em momentos de incerteza, a primeira coisa que fiz foi reforçar meu caixa em renda fixa, ou seja TD Selic/poupança, pois isso sim é reserva de emergência. 

Muita gente investe em títulos pré-fixados sem saber que a marcação a mercado pode causar muitas perdas se ele precisar sacar antes do vencimento eu um momento de alta de juros.


Mas seria hora de apostar em renda variável? The Batalha way:

Um dos sites mais bacanas para quem está começando é aquele do cachorrinho branco, o bastter. E recomendo demais para quem está começando a investir.

E devo a base da minha estratégia ao que aprendi lá: construção de patrimônio gradual. O ideal para nós, investidores pobretas. Como naquela música: "de tijolinho em tijolinho..."

Mas tem uma coisa que sempre me chama atenção quando escuto: "Fulano disse que o CERTO é fazer assim..." Cara eu já sei a opinião de fulano. Você não tem ainda a SUA?

Claro que você sempre tem algo a aprender (principalmente no início) com profissionais tais como Buffet, Barsi, ou mesmo o Bastter. Mas não precisa fazer TUDO igual a eles até porque seu patrimônio é totalmente diferente. 

Depois de muito tempo de estudo tenho as minhas próprias convicções. E prefiro ganhar ou perder por elas. É o que eu mais aconselharia para qualquer um, seja em investimentos ou em qualquer área. Perder é ruim, mas perder baseado na convicção de outros é muito pior.

O Bastter prega que você não deve olhar cotação, que preço não importa, etc. Eu passei um tempo reverberando isso... O que fiz em março vai quase contra tudo o que ele fala, mas que se dane... rs 

Em resumo: Não siga as ideias de ninguém cegamente. E questione sempre até a sua própria carteira, que deve ser recalibrada com frequência.


As "barganhas" de março

Soa estranho um holder como eu falar em "barganhas" pois a minha estratégia tem uma base forte na Hipoótese dos Mercados Eficientes (HME) do Eugene Fama, que pretendo falar num post futuro. 

Em linhas gerais a HME preconiza que um ativo vale o preço que está sendo pedido, simples assim: não há como saber se um ativo está caro ou barato.

MAS aquele era um momento de pânico geral nos mercados. O IBOV chegou a 61 mil pontos no auge do desespero.

Eu invisto para um horizonte de longo prazo, e sei que nessas condições o preço que pago é diluído com o tempo. 

Mas tenho uma oportunidade de comprar bons ativos que valiam R$10 a menos de um mês por R$4. A empresa continua com os mesmos fundamentos. Por que não vou comprar se tiver chance e condições?

Ou seja, com R$1000 eu compraria 100 do ativo X antes e nesse momento eu poderia comprar 250! Como falei, há 12 anos isso não ocorria. Se eu deixasse pra comprar no fim do mês como costumo fazer não conseguiria comprar tantas cotas.

A verdade é que na minha análise a grande maioria das quedas não se justificava. Em uma empresa sólida não ter lucro por um 1 ou 1,5 ano não explica uma ação cair 50, 60, 70 por cento.

E é muito bom ter uma enorme margem de segurança em todos os ativos que você compra. Pois caso você erre o cenário, ou aconteça um cisne negro e no pior caso você tenha que vender, vai perder menos. Afinal o ativo já está bem descontado.

Na época dos juros a 14% ao ano, errar na bolsa custava bem caro, mas neste momento o custo de oportunidade é baixo e deve ficar ainda menor. 

Parte do que vendi do TD eu aportei sim em RV comprando ações e FIIs sem passar do limite de exposição que defini nesses dias de circuit breaker.

Rebalanceei as carteiras e consegui comprar bem mais barato. Em alguns ativos conseguir dobrar a minha posição, tais como os FIIs que eu tinha começado a investir a pouco tempo, melhor que qualquer subscrição que você possa imaginar... rs

E pra te ser sincero dobrar a minha participação em alguns desses papéis me deixou foi mais tranquilo. Já estou tendo retornos melhores em vários exatamente por ter feito essa movimentação.


O longo prazo é lindo, mas...

Sim, eu posso estar muito errado. Nessa crise se só começa pode ser que alguns dos meus ativos caiam ainda mais, até quebrem, claro que é possível, mas estou diversificado pra isso.

A verdade é que o longo prazo é lindo mas não há garantia que ele chegue para todos nós...

Se ele não chegar e eu precisar vender num futuro eu terei baixado meu preço médio... e se o futuro for lindo do jeito que eu sonho terei muito mais participação nos bons ativos que estou investindo.

E se chegar o momento que o aperto seja tão grande que a reserva de emergência não dê conta e seja preciso vender suas ações? Nessas horas é melhor que se tenha o menor preço médio possível para vender no lucro ou ao menos minimizar seu prejuízo.

E são movimentações como essa nos dias de circuit breaker que me proporcionou essa baixa no preço médio ou pensando positivamente um aumento na quantidade de ações de uma empresa de qualidade.

Observação importante: Isso serviu para mim. Talvez não sirva para você. Não há uma receita para todos em nada nesse mundo, inclusive investimentos. E tenho consciência que não dá pra ganhar sempre. 2020 não tenho a menor expectativa de bons retornos...

Chances de rentabilidade positiva
Minhas chances de terminar 2020 com a rentabilidade positiva


Conclusão

Quando tudo isso passar ninguém vai lembrar dos preços que eles estavam, mas eu vou lembrar que comprei alguns ativos pela metade do preço.

“The time to buy is when there’s blood in the streets, even if the blood is your own”
[Baron Rothschild]

2 comentários:

  1. Caraca mano, não recomenda o Bastter pra ninguem. Aquele idiota recalcado não merece nem citacao.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha realmente eu deveria ser mais específico mesmo e recomendar o site que é muito bom, mas não a pessoa...

      Excluir