AdSenseV

sábado, 9 de outubro de 2021

A teima eterna dos investimentos: Renda Fixa x Renda Variável

Zé Batalha reagindo à teima do dia

Uma teima que sempre costuma ocorrer com frequência nos papos sobre investimento com os considerados é a questão do que é melhor, o que mais vale a pena: Renda Fixa x Renda Variável. Motivado por debates recentes veio a ideia desse post.

Há pessoas que dizem que não faz sentido perder tempo com RV tendo em vista os altos juros (que voltaram com tudo) proporcionados no Brasil pela RF. Há quem ache que vale a pena ter alguma alocação em RV.

Quem quer provar que está certo escolhe um período que se adeque ao que acredita. O "histórico de atleta" do Brasil em RF desde o plano Real em 1994 rebate qualquer argumento ainda mais quando lembramos que a Selic chegou a 45% ao fim da década de 90. Mas no ano passado tivemos juros de 2% e aí a turma da RF se questionou por um tempo. 

Até mesmo eu estou priorizando já faz um bom tempo os aportes em RF, pois penso que a tendência da Selic é de subir ainda mais para conter a inflação que não é hoje apenas um problema local, mas sim mundial.

Voltando ao tema do post, para explicar o que realmente penso mostrarei a rentabilidade da Carteira Zé Batalha em 2, 5 e 7.75 anos pelo StatusInvest. Nos gráficos extraídos de lá comparo o desempenho da CZB com IBOV, IFIX, CDI e IPCA. Dados até setembro de 2021.

2 ANOS: CZB derrota todos! O desgraçado do ZB é um GÊNIO!

5 ANOS: CZB só não bateu o IBOV. Tranquilo, ZB... são poucos que batem o mercado.

7.75 ANOS: esse animal BURRO do ZB só ganhou da inflação e por pouco! Tão fácil ficar só na RF...

Deu pra ver que em um período curto você vai do céu ao inferno. E para quem investe focando no longo prazo como eu 8 anos é pouco ainda. Para mim isso não é uma corrida de 100, 400 ou 1000 metros. É uma maratona.

E o mais louco: o que menos investi, criptomoedas, foi o que me deu disparado o maior retorno: quase 2000%. Olhando pra trás é fácil dizer que deveria ter colocado tudo lá mas não me arrependo de ter colocado apenas 1% do meu patrimônio nisso, pois tenho consciência do altíssimo risco.

Algo que explica meu desempenho mais fraco quando considero o período completo é o fato de que os primeiros anos de investimento foram os que fiz as maiores besteiras: baixa diversificação, quando diversifiquei foi às pressas e de forma errada, entre outras coisas. Perfeitamente normal para quem está começando. 

A gente erra mais no início e adivinha só: ainda vamos errar muito eu e você. Assim é a vida, não só nos investimentos. O segredo é procurar aprender com esses erros.

Até o bom velhinho erra, quem diria pobres mortais como o Zé Batalha

Há quem ache um absurdo minha estratégia. Há pessoas que não aguentam ver cotações caindo. E tudo bem se o cara for assim, porque cada um pensa de uma forma. Uma das coisas mais imprudentes que um investidor pode fazer é querer replicar exatamente a estratégia de outra pessoa, pois no final vai acabar vendendo no prejuízo e perder dinheiro.

E QUEM ESTÁ CERTO ENTÃO? 

Estão certos todos aqueles que investem seguindo o SEU próprio perfil de investidor. O cara que prefere a RF e não gosta muito de RV pode se dar tão bem quanto um que pense completamente diferente. Tem quem gosta de investir somente em imóveis e pode se dar bem da mesma forma. E por aí vai.

O negócio é não fazer grandes besteiras: um all-in numa ação só, baixa diversificação, etc. O mais louco é que até quem age assim pode se dar muito bem num lance de sorte e quando isso ocorre ele ganha as capas dos jornais como se fosse um gênio dos investimentos...

Conheço gente que está 90% alocado em OIBR3 e se sente muito bem fundamentado e tranquilo. Eu NUNCA faria isso, mas o cara trabalha na área e está ciente dos riscos. Quem sou eu pra julgar.

O QUE IMPORTA NO FINAL DAS CONTAS

O que importa é construção de patrimônio. Não adianta ter as melhores rentabilidades se você não aporta constantemente. Quanto maior o aporte mais rápido você chega na sua meta, se não fizer grandes besteiras, é claro.

E como conseguir aportar mais? Ganhando mais, investindo na sua capacitação com um melhor emprego ou melhor negócio, através da PERSEVERANÇA.

Importa mais ainda aportar forte mas sem se privar das coisas que você gosta. Dinheiro é pra gastar (com responsabilidade) e você só tem uma vida.

No meu caso eu peguei gosto por analisar empresas, o que é indispensável para quem quer adotar uma estratégia buy and hold. Mas creio que a enorme maioria das pessoas não quer fazer isso. 

E tudo bem se não quiser. Não perca o tempo da sua vida fazendo algo que não gosta. Procure uma estratégia que se adeque ao que você vai conseguir fazer como investidor ou deixe tudo na renda fixa mesmo e não esquente a cabeça. Faça o que te faz feliz, campeão.

Não há uma estratégia garantida para se dar bem nesse mundo dos investimentos. Se houvesse estariam todos ricos. Todos nós estamos sujeitos às regras desse jogo.

7 comentários:

  1. É isto, o que ganhei em 5 anos de bolsa no Brasil perdi tudo nestes ;ultimos 3 meses...se tivesse ficado em RF teria meu principal intacto e com juros reais num IPCA. O jeito é RF no Brasil e RV nos EUA, ponto final Abbc

    ResponderExcluir
  2. Olá Zé Batalha, boa noite

    Concordo com você sobre o que importa é construir o patrimônio.

    Referente a relação RF x RV, cada um sabe aonde o "calo aperta" e tem noção de qual percentual de conforto. Eu já mudei bastante, no começo dos investimento cheguei a ter 80% em RF e atualmente tenho 30% e estou muito satisfeito.

    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá VAR!

      Concordo contigo.
      Essa relação somente cada um pode dizer qual a mais adequada para dormir tranquilo.

      No meu caso, hoje tenho uma meta de 65/35 (RV/RF), sem considerar a previdência privada. Mas à medida que a idade for avançando vou aumentando a RF. Hoje tenho 42 anos. Ao fazer 45 devo mudar para 60/40.

      Abraço!

      Excluir
  3. Boa noite ZB! Essa guerra RF x RV é longa e como você disse ambos os lados tem estatísticas para justificar sua vitória, mas uma coisa que me incomoda é que várias pessoas defendem que RF não é para lucro, mas para reserva de capital...Tendo hoje em dia ativos de RF que pagam acima de IPCA+4% líquido e com FGC ao meu ver a RF é uma ótima oportunidade de diversificar e também obter lucratividade... Hoje minha alocação está em 25%RV BR, 25%RV Global, 40%RF, 5%FII e 5% Fundo Multimercado (o objetivo é converter o FM para FII, ficando com 10% FII). Mas concordo com você que a proporção de RF deve ir aumentando com o aumento da nossa idade.
    Grande abraço!
    VVI - vvibr.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá VVI!
      Achei muito interessante a sua alocação.
      Concordo com sua ideia de aumentar mais o % em FIIs. E que a RF tem um enorme valor sim, ainda mais no Brasil;

      Valeu a visita aí.
      Abraço!

      Excluir
  4. Zé, gostei da provocação do seu post. E você está corretíssimo no seu ponto.
    Cada investidor deve fazer o teste da "cabeço no travesseiro", para saber se dorme tranquilo com a carteira, ou se está perdendo o sono.
    Eu acho que o perfil do investidor vai mudando conforme ganhamos conhecimento, e também com a fase da vida.
    Não existe certo e errado.
    O foco da discussão não deveria ser um ou outro, mas sim ter os dois dentro de uma carteira diversificada.

    Sucesso,

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente, João
      O tempo e a experiência faz a gente aprender mais e ajustar nossas carteiras.
      Abraço e obrigado pelo feedback!a

      Excluir